Containers: o povo aprovou. Porém…

Os novos containers da prefeitura estão funcionando? De uma maneira geral, a população os aprovou e a medida é boa, apesar de que a coleta tarda e o lixo se acumula.

Como poderia melhorar? Uma grande parcela do povo está colocando lixo seco também ali: todos os containers são diariamente revirados por catadores. A administração municipal precisa fazer que fique mais claro que não se deve colocar lixo reciclável ali. Por outro lado, é difícil evitar as pessoas de se utilizarem daquela caixona enorme dando sopa quando se tem lixo para se livrar. Seria bom se, quando o projeto fosse consolidado daqui a uns seis meses ou tanto, que a prefeitura colocasse ao lado também um container para lixo reciclável.

Como ficarão os catadores? Por mais que eu odeie a idéia de um ser humano ficar remechendo no lixo, estou ciente que esta parte da população precisa trabalhar. Porque não cadastrá-los e colocá-los a trabalhar unicamente em locais de separação do lixo (ou treiná-los em algum ofício: o Brasil está precisando de mão de obra qualificada!) , em vez de ficar pelas ruas empurrando carrinhos de supermercado e chafurdando no lixo?

Clique nas fotos para ampliá-las.



Categorias:Outros assuntos

80 respostas

  1. Sinceramente… a ideia desses contêineres foi até legal, mas, deixa muito ao mesmo tempo que desejar, quando a gente chega perto dessas grandes lixeiras, estas expelem um cheiro muito ruim, se a gente está num restaurant e se depara com uma dessas lixeiras grandes, dá vontade de até……..melhor nao digo mais.
    Andando pelo centro e ao redor de Porto Alegre, a cidade ficou esteticamente como se fosse um deposito de lixo e nao cidade. A ideia foi boa, diria eu, a intençao foi boa, mas seria melhor educar as pessoas ou ser mais rigido na coleta do lixo e limpeza da cidade.

    Curtir

    • Pois é, mas o lixo é recolhido assim, mecanicamente, em todo mundo (civilizado).

      O cheiro aparece quando a lixeira fica aberta ou porque as pessoas colocaram objetos grandes demais lá dentro (lixo reciclável) ou porque o recolhimento e a limpeza dos contêineres não foi feito a tempo. Esses problemas devem diminuir quando houver mais conscientização da população e o aprimoramento dos prestadores de serviço da Prefeitura.

      Entretanto, o pior problema vem dos catadores e mendigos que retiram o material, pegam o que lhes interessa e deixam o resto ao lado do contêiner, para serem espalhados por animais, pela chuva e pelo vento. E isso deve ser continuar assim, já que, conforme muitos, essas pessoas são imunes a regras e penalizações.

      Curtir

  2. É a empatia, por exemplo, que faz como que uma pessoa de dinheiro para crianças nas esquinas ou para mendigos nas ruas da cidade, ao invés de doar esse dinheiro para uma instituição estruturada para recebê-los, incentivando que essas pessoas permaneçam no caminho da degradação.

    Curtir

  3. No caso, a empatia, para vocês, só serve para jusficar qualquer ato.

    Assim se justica roubar, matar, usar drogas, prostituir-se…; também que não se vá para albergue porque lá não se pode beber e fumar e obrigado a tomar banho; ainda que crianças não possam ser tiradas da ruas sem sua aprovação e, o que é pior, que é possível solucionar os problemas particulares, de efeitos coletivos, com soluções individuais e com regras próprias que não as estabelecidas pelo conjunto da sociedade.

    Portanto, o grande mal da humanidade não é falta de empatia, mas excesso de empatia que legitima a via antissocial, que aceita tudo e que mantém as questões sociais inresolvidas.

    Curtir

  4. Empatia é um exercício mental incrível. é preciso abdicar muito dos seus próprios valores para conseguir enxergar como o outro enxerga.

    Simpatia, sim, é valorizar uma pessoa em virtude dos seus próprios valores, porque se identifica com ela.

    Curtir

  5. Julião, desculpa insistir, mas é um ponto importante, tão importante que eu considero o maior mal da humanidade, a falta de EMPATIA.

    Empatia – No dicionário Aurélio, a palavra empatia significa: “a capacidade psicológica para se identificar com o eu de outro, conseguindo sentir o mesmo que este nas situações e circunstâncias por esse outro vivenciadas”.

    Não tem nada a ver com valores, e justamente tentar enxergar o mundo com os olhos daquela outra pessoa, como se fosse ela, nas condições dela, sentir o que ela sente. Não é uma coisa fácil de se fazer, mas é fundamental tentar, para se discutir qualquer assunto de forma justa.

    Aqui um texto legal falando de Empatia:
    http://www.clicatribuna.com/artigo/empatia-voce-sabe-o-que-isto-significa-16284

    Curtir

  6. Empatia eu tenha para quem estuda, produz, trabalha, seguindo as regras e respeitando a sociedade e suas regras.

    Curtir

    • Julião, não é simpatia, é empatia, quer dizer tentar se colocar na pele do outro!

      Curtir

      • Cada um coloca-se na pele dos outros, conforme seus valores, e os meus valores são do trabalho e o do respeito as regras para viver em sociedade.

        Já para outros, a sobrevivência ou a busca de bem materiais justifica tudo… pra mim, não,i pois isso é coisa de bicho.

        Curtir

  7. Aguardando AINDA a publicação dos meus posts.

    Curtir

    • Precisa uma cadeira pra sentar Augusto? O teu comentário que foi moderado NÃO SERÁ LIBERADO. O Marcelo fez muito bem em moderar. Mais alguma dúvida ?

      Curtir

      • “Mais alguma dúvida ?”

        Nenhuma. Não resta-me dúvida que esse blog é PARCIAL.
        Não participo mais. Fóruns que escondem opiniões dos participantes não são lugares para o debate. Se eu não consigo mostrar o que penso, não me interesso em dialogar.

        Curtir

        • Augusto, vou explicar pela última vez. Se não aceitar esta explicação, paciência. É o seguinte: o Blog não é parcial, ele é democrático. Mas a moderação existe para limitar alguns abusos, por exemplo: se tu fala em exterminar pessoas, e as chama de rato ou similar, isto não tem a ver com o Blog, com sua proposta e identifica alguém que não está nem aí pro ser humano. O Blog tem suas regras, sim. Portanto, este tipo de comentário não será jamais liberado. Pois, inclusive, eu, Gilberto, posso ser responsabilizado juntamente contigo pelo que tu fala, pois sou um dos responsáveis pelo Blog e sua moderação. Se tu quer arriscar a tua integridade, ninguém te impede de pegar uma metralhadora e sair matando incendiários de conteiner por aí. Mas depois arcarás com a responsabilidade sozinho, ok ? Se ainda acha que o Blog é parcial, e se é o meu tchau que tu espera, TCHAU ! Se, ao contrário, entender o que falo, e seguir as regras do Blog como eu falei antes, e lendo a página onde tem explicações sobre a moderação, beleza, será um prazer continuar a ler os teus comentários. Aproveito pra dar um conselho: nós temos muito poucos lugares na internet, e mesmo fora da internet, onde podemos falar sobre este assunto que discutimos aqui no Blog. Se desperdiçares este espaço, será uma pena. Então, por favor, procura se adequar. Creio que todos nós temos contribuições a serem consideradas para a cidade. Não desperdiça. OK ? Grande abraço, do responsável e criador do Blog. Gilberto Simon.

          Curtir

  8. Eu sou um pouco como o Rogério, mas ele tem muito mais paciência que eu, ler comentários que se lê aqui e tentar e tentar novamente explicar, argumentar com lógica, razão mas também sentimento de empatia é muito difícil. Pelo menos o comentário incitando a violência foi retirado (obrigado moderação), mas ainda temos aqui vários comentários cheios de preconceitos e permeados de falta de conhecimento (ignorância de assuntos) que acabam por reforçar um ao outro, o achismo é o que mais aparece. Eu coloquei numa outra postagem um comentário, que depois dela ninguém argumentou mais nada, ela é a última na discussão sobre a funcionária da ONU, e vejo aqui o mesmo problema, então vou repetir a mensagem, ela tem tudo a ver com o lixo também e com todos os demais problemas da cidade, TALVEZ isto resuma o que eu quero dizer, FelipeX, o problema de classes, consumo, capitalismo, diferença social é real, e não sou eu quem diz, é só olhar e prestar atenção, principalmente na maneira como se tenta resolver alguns problemas sociais:

    Talvez esta notícia explique um pouco as opiniões expostas pela maioria aqui neste blog:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/935502-classe-c-e-a-unica-que-continua-a-crescer-aponta-fgv.shtml

    Segundo, os critérios, a renda familiar me coloca na classe A, mesmo assim só eu sei das minhas dificuldades financeiras, mas isso não me impede de enxergar as dificuldades ainda maiores que as pessoas que estão nas classes mais baixas tem. E enxergar não basta, para entender é preciso um pouco de empatia, a falta dela talvez seja o maior mal da humanidade.

    Curtir

    • Olavo, é disto que estou falando.

      Muito bem, muito “empático”, etc, etc. Mas o que queres dizer afinal? Estou falando de ações. Tu és daquela linha de raciocínio que a única maneira de resolver o problema do lixo (lembre, este é o assunto deste post), a violência, a sujeira, tudo é solucionando a pobreza?

      E como achas que vamos solucionar tudo isso? Não terceirizando o DMLU e deixando de ser consumistas? Foi só isto que citaste aqui nesta discussão, além de criticar a opinião dos outros.

      Curtir

      • 1) Sim, terminando com a miséria se termina com muitos problemas, e sim acredito que o Brasil como um todo pode fazer isso a médio e longo prazo.

        2) A tercerização do Dmlu foi só uma coisa, ela aumentou o problema, numa postagem minha eu disse que não tercerizar seria o primeiro passo.

        3)Existe uma regra para a sustentabilidade, todos já devem ter escutado so 3 Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) então sim, reduzir o consumo é uma parte da solução.

        4) Alguém ai disse que o lugar de lixo é no aterro sanitário, esta é a pior ideia e mais antiguada para o tratamento do lixo, lixo orgânico deveria ser tratado localmente (de preferência nos bairros em compostagens comunitárias) a cidade precisa ter espaço para isso, se não vai virar um inferno cada vez maior.

        5) Lixo reciclável deve ser muito bem separado, e quem melhor faz isso hoje em dia são os catadores, pois não adianta separar em casa (não é uma separação bem feita, mesmo com a melhor das intenções) e colocar os sacos na rua juntos com o orgânico, é preciso local e dias separados para colocá-los na rua, isso não funciona direito, já funcionou melhor no meu bairro.

        6) Eu não tenho nenhum vínculo político, não tenho a menor intenção de ter, não sou contra iniciativas privadas. Eu sou contra a ganância, a concentração enorme de renda, o incentivo ao consumo desenfreado, ao pensamento de que os resíduos(lixo e esgoto) que produzimos não são também nossa responsabilidade , normalmente as pessoas querem é se livrar deles de qualquer forma de preferência sem saber o que é feito com ele depois que saiu da frente de casa que tem que ficar sempre bem limpinha.

        Curtir

    • E mais: blz, quem é morador de rua tem problemas psicológicos. E daí? O que devemos fazer a respeito? Um sociopata também tem problemas psicológicos e nem por isso devemos deixar ele solto nas ruas fazendo o que quiser.

      Curtir

  9. Sim, não entendi o porque até agora de a prefeitura não ter colocado outro container do lado do atual. Como querem que a população separe o lixo se não tem onde colocar o lixo seco? Aqui tem sempre 2 um orgânico e outro reciclável.

    Curtir

  10. A respeito de um segundo container, acho bom, mas que resolveria o caso das pessoas separarem o lixo? Não. Porque não é da cultura Porto Alegrense, por mais que tenha gente que o faça (eu separo) sempre vão haver pessoas que irão colocar lixo no lugar indevido. Aqui em Curitiba quem não separa o lixo é sujeito a multa, e a multa é alta. Cabe a prefeitura lançar uma campanha de conscientização, é um habito primordial que temos de ter para mudar o mundo em que vivemos. E a respeito da coleta, a automatização dela, não fez com que os lixeiros se extinguissem de Porto Alegre?

    Curtir

    • Talvez (com ênfase nesta palavra) diminua os casos de botarem lixo seco (caixas de papelão, etc) no contênier.

      Mas concordo, o certo era fiscalizar e multar… como tantas outras coisas.

      Curtir

  11. Nao e’ preciso estudo algum pra se dar conta de que a menina pobre de 16 anos que ficou gravida na favela pensaria duas vezes antes de ter o filho caso o posto de saude local oferecesse aborto gratuitamente. Tambem nao e’ preciso estudo algum pra saber que a chance maior e’ que o filho dela venha a ter uma vida pobre igual a mae ou, pior, uma vida de crime. Seja o filho desejado ou nao. Podiam incluir junto nesse programa de saude publica a castracao gratuita de petistas tambem. Nossas cidades melhorariam muito.

    Curtir

    • Ricardo.

      Ia fazer uma ironia sobre a bobagem que escreveste, porém acho que não leste o que o Simon escreveu acima. Atitudes como esta causam a limitação da liberdade dos outros, fazendo com que o tempo do nosso bom Gilberto perca o seu tempo procurando bobagens.
      Será que é só isto que tens a nos oferecer?

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: