O novo point dos camelôs

Estou morando no Bomfim há alguns meses, e passo na Osvaldo Aranha (a primeira quadra partindo da esquina com a Felipe Camarão) quase todo os dias. Tenho a impressão que a cada semana tem um camelô novo tomando posse de um pedaço da calçada. Alguns já estão ali há tempos, então presumo que tenham licença para estar ali? SMIC, estou correto? Justo ali em uma zona da cidade que deveria ter mesas e cadeiras nas calçadas, não caixotes e tabuleiros de papelão.

E mesmo se eles já tem direitos adquiridos, poderiam receber uma padronização e toldos uniformes, ou pequenos kioskes. Deste jeito parece uma calçada de Bombaim.

Clique nas fotos para ampliá-las!

O e-mail da SMIC:


fiscal@smic.prefpoa.com.br




Categorias:Outros assuntos

16 respostas

  1. Alguém já notou que tem dois estabelecimentos na quadra seguinte (calçados e restaurante) que sempre deixam lixo na calçada?

    É implicância deles com o sistema ou o quê?

    Curtir

  2. Faltou também as caçambas de entulho sobre a calçada.

    Curtir

  3. Eu nem vou comentar sobre o resto, mas calçada também não é lugar de mesas e cadeiras, calçada é lugar para se passar caminhando.

    Curtir

    • Ó, Olavo, tu me entendeste: mesas e cadeiras na frente de bares e cafes onde isso os comporta, como na segunda foto, por exemplo.

      Curtir

      • Marcelo, nem ali eu concordo, mesas e cadeiras devem ficar no espaço do estabelecimento e nunca na calçada. A Segunda foto mostra algo bem interessante, as grades que impedem que as pessoas atravessem a rua na esquina, acabou sendo o lugar perfeito para instalação de uma banca de camelô, pois ninguém consegue passar ali.!!!!

        Curtir

    • Concordo Olavo alguns bares tomam conta da calçada de forma que temos que andar na beira da rua um absurdo, é a apropriação do espaço público, e não tem fiscalização nenhuma.

      Curtir

  4. De novo minha gente todos juntos: CAUCASIAN OVCHARKA!! cura ate’ sarampo.

    Curtir

  5. Concordo com o Augusto, a “desordem” impera.

    Curtir

  6. Hoje no Bom Dia Rio Grande eu vi uma reportagem sobre o tal Plano Diretor de Acessibilidade, anunciado aqui ontem. Adivinha uma das queixas da cadeirante que apareceu na reportagem, juntamente com a falta de rampas de acesso? Calçadas esburacadas, orelhões que ocupam metade do espaço delas, etc.

    Quando o prefeito falou a respeito, o que ele disse? Que prédios novos não sairão sem a nova regulamentação. Nada mais, nenhuma menção aos 239 anos de construções que já temos.

    Curtir

    • Parece piada mas é trágico, os cadeirantes e outros deficientes não poderão contar com o tal “Plano Diretor de Acessibilidade” (como a esquerda “festiva” gosta de nomes popmposos) porque eles não terão calçadas decentes para circular. Se para quem está dentro dos padrões ditos “normais” já difícil circular pelas calçadas de Porto Alegre, imaginem para quem foge um pouco destes padões “normais”. telefones públicos, calçadas esburacadas, camelos, lixeiras, postes mal colocados, raízes de árvores, canteirinhos nas calçadas, sacos de lixo, caixas de papelão, desocupados deitados sob as marquises, desníveis, lages quebradas… e por aí vai a lista de problemas das calçadas de PoA.

      Curtir

  7. Se as leis fossem cumpridas Porto Alegre seria um outro lugar. Não teríamos calçadas esburacadas, camelos infestando as ruas, lixo rolando etç. O que falta realmente é fiscalização, gente trabalhando. Me pergunto o que este pessoal da SMIC faz o dia inteiro? Isso parece terra de ninguém, uma cidade abandonada.

    Curtir

  8. Bah, tem um ai que trabalha ali desde que me conheço por gente..
    ashusahuashusashashuasuash

    Mas de fato, é terrivel…

    Curtir

  9. Nem que façam mais 100 camelódromos, vão tirar essa gente das ruas.
    Nem que coloquem mais 100.000 contêineres, vão tirar o lixo das ruas.
    Nosso problema não é infraestrutura. É desordem.

    Curtir

    • É Augusto… você pode até exagerar em muitos casos, mas diz a verdade que muitos não querem escutar.

      A desordem é o que acaba com a cidade, estado e país.

      Falta justiça, educação, punição, fiscalização!

      Falta o estado cumprir seu dever!

      Curtir

  10. Boa, Marcelo.

    Também passo todos os dias por ali.

    Faz tempo que os camelôs invadiram aquela esquina e tumultuam a calçada. Em dias de chuva é pior ainda. Aquela esquina é muito movimentada de pedestres pela proximidade de dois grandes hospitais e agências bancárias. Sem citar o brique, que no sábado atrai uma multidão.

    Onde está a fiscalização? Fecharam os olhos?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: