A badalação volta ao Centro de Porto Alegre

Só em 2011, três estabelecimentos já abriram no bairro mais antigo da capital

Por: Clarissa Caum

Entra ano e sai ano, a vida noturna de Porto Alegre dá voltas. Se o Centro Histórico da capital era um verdadeiro ponto de encontro dos jovens nos anos 70, eis que esse ambiente de pura badalação no passado ressurge – e o melhor, com a cara dos anos 2000.

Novos locais que estão migrando para o Centro, começam a se tornar destino dos jovens porto-alegrenses. Para quem ainda está longe de atingir os cabelos grisalhos, parece estranho imaginar uma balada por lá, afinal, o bairro nos remete a uma rotina diária que se encerra sempre com o cair do sol. Encerrava.

Deixar de lado o point confirmado como a Cidade Baixa e zarpar para um destino tão escasso de agito, foi o que os sócios Ana Flor e Fábio Abbud decidiram fazer quando criaram o Alumiar. Também colegas de faculdade, os dois já tinham em mente trazer ao público um lugar diferente, que fosse bar e, ao mesmo tempo, atelier. E por que não ser mais diferente ainda e fugir da rota tradicional da festa?

“A gente teve essa ideia pra ser uma opção além do que todo mundo conhece. Ali é mais vizinhança, mais tranquilo, e fizemos um ambiente onde as pessoas se sintam à vontade. Nós buscamos criar uma vertente contra um monopólio, onde só se junta dinheiro, gente, muvuca”, desabafa a sócia Ana Flor, que recebeu muitos comentários positivos do público, concordando que faltava algo do tipo naquela região.

Para quem fica com o pé atrás por causa do perigo, Ana retruca: “aqui na Demétrio é tranquilo. Como nosso espaço funciona mais cedo, têm pessoas passeando com o cachorrinho na rua, padaria aberta…”

A ideia do Alumiar é abrir cedo e fechar cedo, tipo happy hour. Mas para quem prefere agito, o Madam Club é o cenário ideal para uma boa noite sem sono. Inaugurado em junho deste ano, em plena Washington Luiz, o local recebe todo final de semana um público focado em música eletrônica e está sempre lotado. “O pessoal gosta da casa em todos os sentidos, por ser distante e diferente do convencional”, comenta um dos três sócios, Sandro Santos, que também é DJ, mais conhecido como Double S. Para ele, levar a noite para o Centro é bom pois não tem trânsito, foge da mesmice e tem todo um charme por causa da região.

Mas e a temida falta de segurança? É o mesmo que em outro ponto da cidade, explica, pois o club tem profissionais especializados e conta com o policiamento tradicional como qualquer casa noturna, além do estacionamento com manobrista. “As pessoas vivem de costas para o Centro, está na hora de ver ele de frente”, frisa.

Falando em diversão noite adentro no Centro Histórico, nesta quinta-feira, 25, inaugura o Club688, que promete atrair os olhares dos gaúchos com uma balada bem diversificada, do pop ao eletrônico, de quinta a sábado. A casa chega com uma aposta de trazer grandes nomes para a noite porto-alegrense, gerenciada sob os olhos de quem já fez a frente de grandes clubs do RS como o República de Madras e o Jimbaran no litoral, Roberto Huwwari, um dos sócios do empreendimento. Dentre as atrações já confirmadas para fortalecer a identidade do C688 estão DJs consagrados da música eletrônica mundial, Loco Dice e Steve Aoki.

Para o público, principal personagem desta história toda, a curiosidade e o desejo que dê certo o retorno da noite ao Centro da cidade é notável. “Eu acho uma boa o retorno das festas por lá, o bairro está muito abandonado e nada melhor do que a noite para estimular a migração das pessoas para o centro mais charmoso do Estado”, completa Rafael Kaefer, 26 anos.

Se o Centro parece tendência para uma nova vida noturna em Porto Alegre, esses lugares estão aí para tirar essa impressão à prova.

Fonte: Oba Oba Magazine



Categorias:Revitalização do centro

Tags:, , , , ,

%d blogueiros gostam disto: