Secretaria de Portos vai custear estudo para implementação do Terminal Turistico de Passageiros em Porto Alegre

Projeto foi apresentado ao Ministro Leonidas Cristino, pelo Superintendente de Portos e Hidrovias, Vanderlan Vasconselos, durante audiência em Brasília.

Foto: Cristiane Franco

O presidente do Conselho de Autoridade Portuária (CAP), Ricardo Maia, informou que a Secretaria Especial de Portos irá custear o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) para a implementação do terminal Turístico de Passageiros no Porto de Porto Alegre. A notícia foi dada na manhã de sexta-feira (2), durante a reunião com os conselheiros e diretoria executiva da Superintendência de Portos e Hidrovias. O estudo está orçado em cerca de R$ 40 mil.

Maia explicou que a SEP-PR irá contratar a empresa de consultoria ou instituição acadêmica para a elaboração do Estudo que precede a possível inclusão do terminal internacional de passageiros. “Este estudo deverá ser contratado ainda no mês de setembro e deverá contemplar ainda o balizamento noturno da hidrovia de acesso ao Porto da Capital gaúcha. Este é um projeto que deverá ser incluído no PAC da Copa, beneficiando não apenas atividade turística, mas especialmente a navegação mercante, que poderá se valer da hidrovia PoA/Rio Grande também durante a noite”, frisou. O estudo está orçado em cerca de R$ 40 mil.

O presidente do CAP destacou que com o terminal turístico será possível suprir a necessidade hoteleira durante a Copa do Mundo e posterior ao evento, atendendo linhas permanentes de turismo. “É um benefício para o Porto e a cidade a ser usufruído também após o campeonato mundial, pois ligará Porto Alegre ao Conesul, nesta linha turística, atraindo embarcações de cruzeiros”, disse. Além disso, a hidrovia será beneficiada com a sinalização noturna, o que ampliará seu uso de 12 para 24 horas, encurtando as distâncias e o tempo entre Porto Alegre e Rio Grande.

O Superintendente Vanderlan Vasconselos, que acompanhou a reunião do Conselho de Autoridade Portuária, comemorou a notícia. “Com o estudo de Viabilidade Técnica e Ambiental custeados pela SEP, a SPH não terá que arcar com esta despesa e se insere em um projeto que trará reflexos para toda a cadeia econômica não apenas da capital, mas do Estado”, acredita. “Ganhamos no setor turístico, mas especialmente na navegação de longo curso que é, hoje, a responsável por um terço da economia Gaúcha”, afirmou.

SPH – Superintendência de Portos e Hidrovias



Categorias:Projeto de Revitalização do Cais Mauá, TURISMO

Tags:, , ,

3 respostas

  1. O estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental do terminal turístico vai incluir o balizamento noturno, diz o presidente do CAP/POA. O que é que uma coisa tem a ver com a outra? A sinalização noturna existe desde meados do século passado; primeiro com lanternas a acetileno, depois com lanternas elétricas. A partir da década de 90, há vinte anos, houve nova modernização, e as boias e faroletes foram dotados de lanternas LED e baterias solares. Em resumo, o sistema de balizamento noturno existe há mais de 60 anos, e passou por sucessivas modernizações. Embora alguns não saibam, a navegação acontece 24 horas por dia, e as restrições existentes referem-se a navios de porte excessivo ou que transportam cargas perigosas, devido às limitações dos canais (estreitos, rasos e curvas) e demandas ambientais. As restrições não tem nada a ver com a sinalização ser diurna ou noturna. A viabilidade ou não do referido terminal, por consequência, não depende da implantação do que já existe (balizamento noturno); basta fazer a manutenção da atual sinalização, o que não tem sido feito de firma adequada pela SPH (o nível de eficácia é sofrível).

    Curtir

  2. Graças ao aluguel proporcionado pela Conversão do cais da Mauá num Centro de lazer e entretenimento, a SPH terá recursos para executar essa ideia no futuro.

    Curtir

  3. Se faz necessário essa obra, há anos…….

    Curtir

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: