Fórmula Indy em Porto Alegre – falta de recursos dificulta realização da prova

Capital quer seguir moldes da corrida promovida nas ruas de São Paulo. Foto Divulgação/Indycar.com/CP

Os organizadores da prova da Formula Indy em Porto Alegre encontram dificuldades para fechar os recursos que tornem a corrida sustentável e aguardam uma resposta do governo do Estado para enviar para a administração da categoria uma resposta final. “Se não for resolvido em outubro, a corrida não sai”, destacou o prefeito José Fortunati em conversa com o PitLane.

O prefeito salientou que a administração Tarso Genro ficou de viabilizar patrocínios da iniciativa e que aguardam o retorno nos próximos dias. As chances são reduzidas em função dos valores do projeto, que incluem taxas a serem pagas à Indy, além da construção de toda a estrutura necessária na região central da cidade.

A assessoria da prefeitura enfatiza que foi feito um estudo sério e responsável para realização do evento esportivo, na garantia de que ele sairia do papel apenas de forma sustentável, sem ônus para a administração pública. As negociações com a Indy sempre foram diretas e às claras, sem qualquer forma de pressão de que a corrida teria ofertas melhores para ser realizada em outra cidade do Brasil. Se não for possível reunir os recursos necessários para 2012, as portas teriam ficado abertas para a promoção do evento em outra temporada.

Em São Paulo, a Indy já realiza uma corrida de rua, próximo ao rio Tietê e ao sambódromo da metrópole. Lá houve todo tipo de reação à corrida, que já vai para a sua terceira edição em 2012. No primeiro ano, muitas críticas pela organização de última hora e má qualidade do piso. Este ano, a chuva atrapalhou, mas a Indy gostou da responsabilidade dos promotores locais.

A decisão é essencial em outubro para que a cidade tenha tempo, até setembro de 2012 (data marcada no calendário da Indy) para construir a estrutura para o traçado. Isso envolveria recapeamento das avenidas por onde os carros vão passar, construção de arquibancadas, saídas de escape e boxes. Além disso, toda a malha viária teria de ser condicionada para atender à interrupção de ruas chaves do Centro da Capital.

Blog Pitlane – Correio do Povo

Postado por Bernardo Bercht em 29 de setembro de 2011 – Automobilismo gaúcho, Fórmula Indy



Categorias:fórmula indy

Tags:,

10 respostas

  1. Só questão de relações públicas, ver diversos patrocinadores grandes de peso que custeem uma boa parte do projeto Formula Indy..Temos que colocar nossa cidade internacionalmente, se a nossa prefeitura coloca asfalto em vilas que não pagam impostos só votos, deem um geito de arranjar dinheiro, pois o retorno será enorme pra nossa cidade..Infelizmente nossos governantes parecem inesperinetes.. Vão estudar e trabalhar por nossa cidade.

    Curtir

  2. esse tipo de atittude é coisa de corrupto nato; se ele fosse ganhar dinheiro desviando verbas ai seria feito mais como a organização da f indy é uma instituição seria isso dificulta muito: imaginem só a cidade que sera sede da copa do mundo tendo por dois anos antes um evento mundial;;a cidade ganharia muito com isso (o comercio, hoteis, bares restaurantes e muito mais) mas como a cidade de porto alegre não esta e nem vai ficar totalmente preparada pra copa do mundo eu ja esperava essa atitude do exelenticimo dr. fortunati? eu ja sabia ///votem nele de novo

    Curtir

  3. Se fosse uma corrida de carroças arrumaria patrocínio rapidinho em Porto Alegre.

    Curtir

  4. Mais um projeto de Gov. do fracassado Pref. Fortunati, em que a prioridade para a saúde, educação e segurança, planejamento urbano, ficam para uma etapa a posterior, tudo em prol de mais uma maldita façanha de políticos, que quando no Poder, procuraram realizar eventos com o intuito de se auto promover com suas façanhas.

    Aliás, os eventos são patrocinados com dinheiro público, na forma direta ou indireta, isso que se chama de governo democrático, afinal de contas a conta, a conta será paga pelo cidadão que paga impostos.

    O evento da Copa já começou com irregularidades, continuam as irregularidades e, assim vai a Copa do Mundo dos Políticos deste país.

    Voltando ao evento da corrida, o que chama a atenção é que o Centro Histórico está sendo revitalizado ou pelo menos alguns projetos estão em andamento e outros foram realizados, e aí fica o questionamento, revitalizar para a implantar uma pista de corrida em pleno Centro Histórico. Piada.

    Certamente, mais um projeto que será no mínimo custeado com isenções fiscais, renúncias fiscais, claro, evidente para não perder o rítimo.

    Enfim, uma cidade próspera, a espera de investidores de projetos com recursos públicos.

    Curtir

    • O recurso para cobrir os custos de uma obra tocada pela iniciativa privada mediante renúncia fiscal é melhor aproveitado do que seria caso fosse absorvido pelo governo na forma de impostos, e dilapidado com corrupção e os infames “cabides” de emprego.

      Curtir

  5. aaaaaaaaaaa booom… que cagaço… fiquei puto da cara, achei que eles queriam algo sustentavel, que custaria mais caro, ae eu pirei…

    Retiro o que eu disse então, a idéia do patrocinio é boa, poderiam usar a GM pra isso, que tem fabrica na região, ou marcas de materiais esportivos..

    Curtir

  6. PQP, não acredito, até para uma CORRIDA, esses desgraçados falam em sustenabilidade?

    Mas vão tomar no c*, é só uma corrida, da uma arrumada no asfalto, coloca proteção e alguns detalhes e deu.
    Pra que sustentabilidade pra isso? Vão fazer as sinaleiras funcionarem com energia solar?
    ¬¬
    Se cata, nunca vi cidade que gosta tanto de jogar oportunidades no lixo, por isso que ta largada assim.
    Que vergonha, queee vergoonha.
    Vão tomar no c*!
    Eu não aguento mais isso, só passo vergonha por causa dessa cidade, a tão odiada São Paulo ta muito superior que Porto Alegre, alias, cidades do nordeste tambem, sim, o mal falado nordeste.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: