Liberada hidrovia para transporte de passageiros entre Porto Alegre e Guaíba

Com os Catamarãs em funcionamento, as saídas das embarcações acontecerão a cada 20 minutos

A Marinha do Brasil liberou a hidrovia para o trajeto Porto Alegre/Guaíba. O comunicado extra-oficial foi feito, na manhã desta sexta-feira (30), ao superintendente Vanderlan Vasconselos. Com a liberação da hidrovia, a Catsul, empresa que tem a concessão para explorar a travesia, está autorizada a dar início à prestação do serviço.

Segundo Vanderlan, a empresa ainda precisa concluir o terminal hidroviário em Porto Alegre e instalar os flutuantes para acesso dos passageiros aos Catamarãs. “O que nos estimula neste processo é que a partir da união entre os entes públicos envolvidos, conseguimos o resultado que tanto esperávamos”, avalia.

A liberação do canal hidroviário para a travessia foi comunicada pelo Capitão-de-Mar-e-Guerra dos Portos do Rio Grande do Sul, Sérgio Luiz Correia de Vasconselos, que garantiu, ainda, a entrega dos documentos oficiais à SPH.

Travessia

Com a liberação da hidrovia Porto Alegre/Guaíba, a população dos dois municípios terá uma alternativa mais rápida de travessia, evitando os congestionamentos da BR 290 e situações de içamento da ponte do Guaíba. Com os Catamarãs em funcionamentos, as saídas das embarcações acontecerão a cada 20 minutos, das 6h às 21 horas, com a capacidade de transporte de até 120 passageiros por viagem.

Texto: Cristiane Franco

GOVERNO DO ESTADO – Edição: Redação Secom



Categorias:hidrovias

Tags:, ,

11 respostas

  1. Não tem funcionabilidade efetiva viável essa travessia. Para os trabalhadores de Guaiba não existe possibilidade, pois um trabalhador que trabalha fora do centro de Porto Alegre teria ainda que acrescentar uma condução a mais no seu etinerário diário. Não existe a longo prazo usuários suficientes para manter esse serviço. Se somar tempo de baldeação, espera nas paradas e terminais, o transporte rodoviário mesmo capenga ainda e 75% mais eficiente. Esse cara da catsul é louco. E para ter um barco a cada vinte minutos, teria que ter no mínimo seis catamarâs. Repito isso é embuste político.

    Curtir

  2. Quando duplicaram a BR290 até Eldorado do Sul no início da década de 80, eu já achava que deviam ter cosntruído as novas pontes com largura suficiente para acomodar uma futura linha do Trensurb para Eldorado do Sul e Guaíba. Estas duas cidades cresceram muito em população e são segregadas da Grande Poa em termos de acessos, (vão móvel da ponte, pedágio, estradas de acesso com mão simples; BR116 sul e estrada do Conde) são dois municípios com pouca relevância econômica e por consequência pouquissima força política para reinvindicar melhorias de infraestrutura. Concordo com o fmobus, não será esta travessia de catamarã que irá resolver os problemas de transporte de massas de Guaíba.

    Curtir

  3. com certeza é util, desculpe a alguns amigos…..mas quando a ponte tranca a gente nao atravessa……e a maioria do pessoal de guaiba trabalha em porto alegre e regiao metropolitana, alem do mais q seria fonte de turismo ate p a copa de 2014…….no inicio sempre é assim……..poucas alternativas, mas com o tempo tudo se resolve…..a quanto tempo , a ponte vive trancando…..??? anos….hehehe…a ponte nova nem no papel..entao isso resolve pelo menos para quem trabalha no centro de porto alegre….e regiao metropolitana

    Curtir

  4. Olha, eu gosto muito da ideia de barcos de passageiros no Guaíba, mas daí a dizerem que isso é a panaceia para o congestionamento na BR-290, sorry, eu sou realista e não sirvo pra velinha de Taubaté. Vamos aos cálculos:

    Uma viagem a cada 20 minutos, portanto, três viagens por hora. 120 passageiros por viagem, portanto 360 passageiros por hora.

    A rodovia que liga Guaíba a Porto Alegre têm duas faixas em fluxo livre. Cada faixa de fluxo livre pode carregar algo como 1800 veículos por hora. Portanto, 3600 veículos por hora. Assumindo uma média de 1,5 passageiros por veículo, temos algo como 5400 passageiros por hora.

    Basicamente, estão tentando me dizer que uma alternativa com 6% da capacidade do atual vai RESOLVER o engarrafamento da BR 290?


    Previsão minha: os engarrafamentos vão continuar acontecendo diariamente, e não vai ser um reles e escasso serviço de catamarãs, nem tampouco uma caríssima ponte de 2,5 Km que vai resolver essa situação. As cidades de Guaíba, Eldorado do Sul e Barra do Ribeiro precisam estar integradas de forma mais consistente à malha de transporte coletivo da Grande Porto Alegre. A visão atual de investimento em transporte urbano para os próximos 20 anos aqui é patética. Precisamos de novas alternativas, mais ousadas, mais capazes e, acima de tudo, mais pervasivas.

    Segue a minha mais recente edição da alternativa de transporte para RMPA, maluca como sempre:

    1) Em vez da caríssima ponte de 2,5Km, a ponte do Guaíba poderia ser construída descrevendo um arco ao sul da ponte atual, reaproveitando todo o complexo de viadutos de acesso. Poderia ter três pistas, e a ponte atual seria desmanchada, mantendo-se apenas um pedaço como mirante.

    Por ser mais curta, e por reaproveitar a estrutura de acesso já existente, esta ponte seria substancialmente mais barata.

    Desenho muito tosco disso: http://dl.dropbox.com/u/5946888/ponte_do_guaiba.png

    2) Adicionalmente, eu construiria uma ponte para uma linha de aeromóvel Porto Alegre-Guaíba. Essa ponte sairia do entorno do Gasômetro (estendendo a pista-piloto do aeromóvel), passaria pela Ilha da Pintada (com uma estação) e seguiria em direção à Guaíba, entrando pelo bairro Sans Soussi. A primeira ponte dessa travessia, sendo sobre um canal de navegação, teria que ter uma altura adequada, enquanto que a segunda ponte poderia ser mais baixa e barata.

    A principal vantagem de construir uma ponte de aeromóvel é o peso. A estrutura requirida para o aeromóvel seria substancialmente mais leve que a de uma ponte rodoviária. Pelos cálculos do Diego Abs em outro post deste blog, poderíamos transportar 25 mil pessoas por hora por sentido com o aeromóvel. Considerando que a população de Guaíba e Eldorado somam 130 mil pessoas, e que o modelo atual transporta, na melhor das hipóteses (i.e. colocando mais ônibus), 10 mil pessoas por hora, é uma melhora significativa.

    Desenho muito tosco disso: http://dl.dropbox.com/u/5946888/ponte_aeromovel.png

    2a) para adicionar ainda mais à ênfase em sustentabilidade, esta ponte do aeromóvel também deveria prever uma pista anexa para ciclistas e pedestres – estrutura igualmente leve

    3) o projeto da linha 2 do metrô seria alterado: em vez de curvar-se para o Sul perto do Mercado, seguiria para Oeste, em direção ao gasômetro. As estações seriam: Conceição, Camelódromo, Mercado, Alfândega e Gasômetro. A estação Gasômetro estaria integrada com o Aeromóvel.

    4) a linha 1 do metrô seria alterada, entrando para baixo da terra antes da Estação Farrapos, e virando para o Sul sob a Av. Farrapos, encontrando-se com a linha 2 na Estação Cairú. Dali, seguiriam as duas linhas no mesmo túnel até o Centro. Com isso, liberaríamos o Cais Mauá, e teríamos mais flexibilidade de acessos na Castelo Branco. Aquele trecho do Trensurb entre a Ponte e a Estação Farrapos poderia virar uma conexão rápida da Castelo Branco à Av. dos Estados

    5) para atenuar o impacto da construção da linha 2 sob a Assis Brasil, seria construído um ramal da linha 1, em superfície, divergindo ao norte da Estação Anchieta para Leste, para um terminal intermodal nas imediações da fábrica da Coca-Cola. Este trecho é trivial de construir, e tiraria um grande número de ônibus e veículos da Assis Brasil, permitindo ações mais drásticas na escavação.

    6) em consonância com 5, e para evitar redundâncias, a linha 2 do metrô deixaria de ir para a Fiergs; em vez disso, rumaria para Leste, em direção à Alvorada, sob a Av. Baltazar de Oliveira Garcia. A primeira fase poderia terminar ali no triângulo, com as demais estações construídas progressivamente.

    Curtir

    • Isso merecia um post separado 😀

      Curtir

    • Essa linha hidroviária é uma começo, não um fim (eu espero), na diversificação dos modais de transporte na grande Poa.

      Curtir

      • Com certeza. Eu gosto da ideia pela diversificação. No entanto, para ser algo realmente útil, ainda vai ter que comer muito feijão[1]. E, mesmo tivéssemos um catamarã por minuto (coisa que seria bem cara), seriam apenas 7200 passageiros por hora.

        [1] eu ia dizer tomar toddynho, mas parece que isso seria uma má ideia

        Curtir

  5. qual era o cara que sempre falava que não ia sair essa hidrovia mesmo?
    sahuashusuashhuas

    De qualqer maneira, finalmente, e parabens aos governantes.. haha

    Curtir

  6. E qual o preço da passagem?
    Espero que funcione domingos e feriados, vou eu e mais metade da cidade de Porto Alegre passear em Guaíba. Pelo RIO Guaíba.

    Curtir

  7. Parabéns a todos!

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: