Porto Alegre vai testar ônibus híbrido por 15 dias

Tempo de experiência do veículo será na linha T5 da Carris Foto: Cristine Rochol/PMPA

A partir de amanhã, 6, o primeiro modelo de ônibus híbrido será testado pela Carris na linha T5. O veículo com motores diesel e elétrico, que reduz em 90% a emissão de gases tóxicos, foi apresentado na tarde desta quarta-feira, 5, em ato no Largo Glênio Peres, com a presença do prefeito José Fortunati. A nova tecnologia será operada por 15 dias em Porto Alegre, por meio de parceria do município com a fabricante Volvo. (fotos) (vídeo)

O modelo em teste tem tecnologia européia e representa economia de 35% no consumo de combustível. O motor elétrico, utilizado da arrancada até a velocidade de 20 km/h, é alimentado pela energia gerada na frenagem, sem a necessidade de alimentação externa, enquanto o motor a diesel entra em operação a partir dos 20 km/h. No perímetro urbano, com velocidade média baixa, a estimativa da empresa é que o sistema elétrico seja aplicado em 70% dos trajetos. O arranque por motor elétrico resulta na redução dos ruídos e gera mais conforto para os usuários. Com acessibilidade universal, o veículo comporta 32 passageiros sentados.

Após a apresentação, um passeio inaugural reuniu autoridades, cidadãos e jornalistas, percorrendo as vias Borges de Medeiros, Mauá, General Câmara e 7 de Setembro. O prefeito enfatizou que a inovação faz parte do plano constante de qualificação do transporte coletivo na Capital. “Vamos testar uma tecnologia inovadora que privilegia os cuidados com o meio ambiente e garante conforto e segurança aos passageiros”, avaliou. De acordo com Fortunati, a equipe da Carris fará a avaliação técnica para possível utilização do veículo na frota de Porto Alegre. “Com a confirmação da viabilidade, poderemos incorporar esse modelo dentro do projeto permanente de qualificação da mobilidade urbana da nossa cidade”, disse o prefeito.

Conforme o diretor executivo da Dipesul, a concessionária da Volvo no estado, Joel alberto Beckenkamp, a iniciativa em Porto Alegre foi motivada pela qualificação do transporte coletivo local. “Firmamos a parceria pela relevância que a cidade dá ao transporte coletivo, verificada na qualidade da frota que está nas ruas”, disse. De acordo com o executivo, a versão híbrida será fabricada na planta do Brasil a partir do ano que vem, pela primeira vez fora da Europa. O modelo é avaliado em outras três capitais – Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

O diretor-presidente da Carris, Sergio Zimmermann, afirmou que o modelo deverá receber adaptações para atender a realidade do transporte brasileiro, considerando a formatação dos equipemento urbanos. Conforme Zimmermann, se for aprovada, a versão híbrida poderá integrar as licitações que a Carris realiza periodicamente para renovação da frota.

Prefeitura de Porto Alegre

 



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

12 respostas

  1. Sempre os mesmos comentarios dos mané conta-moeda. “Quanto é o preço de um onibus assim?” “Sera que vale a pena gastar todo este dinheiro?”
    E depois reclamam que os sistemas de onibus são uma b****…mas é claro quando alguem quer melhorar alguma coisa em Porto Alegre sempre aparecem os mané conta moeda para dizer que esta muito caro!!

    Curtir

  2. Tudo muito tri… E a pass? $$$$$…

    Curtir

  3. O dobro do preço, O Prefeito d curitiba comprou 50 unidades, um absurdo.

    Curtir

    • um absurso é esse pensamento retrógrado e mercenário. Continuem comprando tudo do mais barato sem pensar nas consequências pra ver onde vocês vão parar.

      Curtir

  4. Tava na hora de se bolar um novo esquema de cores para os onibos da cidade. Como este ficou elegante!

    Curtir

  5. Como um ideia inicial, parece bom. Acho que no futuro os ônibus (e automóveis) seguiram nessa linha até a descoberta de uma forma de energia transportável substituta dos combustíveis fósseis atuais.

    Curtir

  6. os carros ficaram aerodinâmicos, porque o ônibus precisa ser em formato retangular?

    Curtir

    • deve ter a ver com as pessoas irem de pé tmb….aproveitamento de espaço…algo do genero….é uma boa pergunta mesmo.

      Curtir

  7. Ficou bonito “brancão” mesmo. E com entrada baixa, gostei.

    Curtir

  8. Esse ônibus é lindo demais, me apaixonei.

    Curtir

  9. É bem mais caro principalmente por causa das baterias, que também são excessivamente pesadas e acabam comprometendo a capacidade de carga do veículo, principalmente se considerarmos o PBT máximo para veículos de 2 eixos (16 toneladas). E a redução de 35% no consumo parece um tanto otimista mesmo…

    http://dzulnutz.blogspot.com/2011/09/historia-mal-contada-dos-hibridos.html

    http://dzulnutz.blogspot.com/2011/08/hibridos-uma-forma-de-tapar-o-sol-com.html

    Mas eu não sou contrário ao desenvolvimento dessa tecnologia, só acho que tem que ver bem como a Carris faria o manejo das baterias quando chegassem ao fim da vida útil e, principalmente, depois que o veículo deixasse de operar pela empresa como o eventual comprador, provavelmente em algum lugar do interior ou até em estados do Norte/Nordeste, teria condições de fazer o descarte de forma correta e segura.

    Curtir

  10. Esse “teste” tá cheirando a marketing da Volvo, com ela querendo “empurrar” esse ônibus pra prefeitura de Porto Alegre.

    Qual o preço de um ônibus desse em comparação com um ônibus normal? Será que é o modo ideal de Porto Alegre gastar seu dinheiro caso a Carris compre alguns (3 ou 4) desses ônibus?

    Esses 90% de redução na emissão de gases tóxicos é extremamente otimista, tanto quanto os 35% de redução no consumo. Devem ser informações dadas pela assessoria de imprensa da volvo….

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: