Prefeitura propõe lei para incentivar empresas de tecnologia

Uma proposta de lei, criando a Região de Potencial Tecnológico (Repot) em Porto Alegre foi aprovada pelo no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental (Cmdua), presidido pelo secretário municipal do Planejamento, Márcio Bins Ely. A Repot delimita o território onde serão incentivados empreendimentos da área de tecnologia. O anteprojeto foi elaborado pela prefeitura, com a coordenação da Secretaria do Planejamento Municipal (SPM) e participação do Inovapoa, Procempa e Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia (Comcet).

O secretário do Planejamento, Márcio Bins Ely, considera a proposta fundamental para estimular a instalação de empresas e atividades com alta tecnologia que terão um diferencial competitivo. “É uma medida que facilitará a atração de recursos de agências financiadoras, pois potencializará a instalação de atividades ligadas ao setor de TI na cidade. Além disso, a proximidade física entre as empresas, universidades e hospitais favorecerá projetos de desenvolvimento de tecnologias inovadoras.

As vantagens para a implantação de empresa desse ramo são o enquadramento dos projetos considerados “especiais” com regime urbanístico diferenciado para aproveitamento melhor da área. Essa flexibilização segue as regras previstas pelo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental.

Área escolhlida – Para isso, será necessário, em primeiro lugar, ter o certificado que o empreendimento se enquadra dentro das normas exigidas pelo Comcet. Só depois, o interessado protocoliza na prefeitura o estudo de viabilidade urbanística (EVU).

A proposta de lei prevê que o empreendimento beneficiado deverá manter a atividade ligada à tecnologia por, pelo menos, 10 anos. Também exige que as instalações da empresa sigam princípios de construções com sustentabilidade ambiental, como uso eficiente de energia, reutilização e redução de resíduos, uso racional e reaproveitamento da água e de materiais certificados e renováveis, entre outros.

A Repot abrange a área do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec), o campus do Vale da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o eixo ao longo da avenida Ipiranga e áreas próximas (onde se situam hospitais, universidades e laboratórios), partes do Centro Histórico e a Restinga. A área foi escolhida por ter estrutura de comunicação e instituições reconhecidas na área acadêmica e empresarial.

Repot está no Centro, eixo da Ipiranga, Restinga e campus do Vale

 

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Ciência e Tecnologia

Tags:,

3 respostas

  1. Achei ÓTIMA a notícia. Não entendi bem qual o benefício, seriam flexibilizações do plano diretor e coisas do gênero?

    Adriel, minha opinião é que querem decentralizar um pouco essa área, que hoje está praticamente toda instalada na Carlos Gomes e Moinhos. Note que são bairros já saturados e ricos. E os bairros indicados em geral precisam de revitalização.

    Acho natural as cidades setorizarem a cidade. Outros pólos importantes fizeram isso com sua indústria, como Joinville e Caxias, por que não fazerm com serviços em POA?

    Curtir

  2. Parece a Itália (a região hachurada)!! hehehe

    Curtir

  3. Isto está me cheirando planejamento central, e isto não costuma dar certo!

    Pq favorecer determinadas áreas em prol de outras? Não irá acontecer de empresas já instaladas se mudar para estas área por causa do incentivo, gerando gasto improdutivo?
    Pq não deixar que as empresas decidam quais as melhores áreas para si?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: