Mobilidade: Rio de Janeiro e Curitiba estão na frente

Trabalho avaliou a situação da mobilidade urbana em nove capitais brasileiras

Rio de Janeiro e Curitiba são as capitais brasileiras com melhores indicadores de mobilidade urbana sustentável. É o que mostra o “Estudo Mobilize 2011”, realizado pela equipe de jornalistas do Mobilize Brasil e do Portal 2014 com base em informações de órgãos governamentais, institutos de pesquisa, universidades e entidades independentes.

O Rio ficou com a nota 7,9 numa escala de zero a dez, especialmente pelo expressivo uso de transporte coletivo na cidade (em torno de 65% das viagens) e também em função do recente programa de implantação de ciclovias, que já soma 240 km. Segunda colocada, a capital paranaense ganhou nota 7, especialmente pela acessibilidade quase universal em seu transporte coletivo.

As piores notas foram obtidas pelas cidades de São Paulo (2) e Cuiabá (2,4), principalmente em função do uso excessivo de automóveis e motocicletas na locomoção urbana nessas capitais. Brasília, terceira colocada no ranking, ficou com a nota 5,1. Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre e Natal ficaram com notas entre 3 e 4.

A ideia foi comparar o desempenho das capitais brasileiras e por isso a escala de pontuação tomou como parâmetro as próprias cidades e não referências internacionais de sustentabilidade em mobilidade urbana, explica o economista e jornalista Thiago Guimarães, consultor editorial do Mobilize, que coordenou o estudo.

O “Estudo Mobilize 2011” procurou inicialmente avaliar treze capitais brasileiras, incluindo Goiânia, Fortaleza, Manaus e Recife, mas a carência de dados resultou na exclusão das cidades. Também previa avaliação de outros indicadores da mobilidade urbana sustentável, que não puderam ser levantados em todas as localidades, como a quantidade de CO2 emitido pela frota, viagens feitas por modos não motorizados, calçadas com acessibilidade.

A maior dificuldade para a realização do estudo foi localizar fontes confiáveis de informação, já que na maior parte das cidades os números estavam dispersos por vários gabinetes, em secretarias e departamentos, ou simplesmente não existiam. Por exemplo, algumas grandes cidades brasileiras ainda desconhecem a extensão total de suas vias públicas, e raras delas sabem quantos quilômetros de calçadas são acessíveis a deficientes.

Ao final, foram considerados cinco indicadores:

– Extensão de vias adequadas ao trânsito de bicicletas em relação à extensão do sistema viário;

– Razão entre a renda média mensal e a tarifa simples de ônibus urbano;

– Razão entre o número de viagens por modos individuais motorizados de transporte e o número total de viagens;

– Porcentagem de ônibus municipais acessíveis a pessoas com deficiência física;

– Mortos em acidentes de trânsito (por 100.000 habitantes) por ano.

Mobilidade sustentável

Mobilidade urbana sustentável é a integração inteligente de vários modos de transporte urbano, com a maior eficiência e conforto possível para os passageiros, com o menor impacto ambiental para os espaços urbanos, explica Ricky Ribeiro, diretor executivo do Mobilize Brasil, um jovem administrador público que hoje luta contra uma doença que lhe roubou os movimentos e até a voz.

“O planejamento de transportes e a política urbana devem permitir que os cidadãos consigam chegar ao local de trabalho, ao mercado, ao teatro etc., sem que necessariamente realizem um grande número de deslocamentos por meios motorizados”, argumenta Guimarães. O Mobilize Brasil pretende repetir o estudo anualmente, de forma a acompanhar a evolução dos investimentos em transporte público nas cidades brasileiras nos próximos anos.

Portal 2014



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , ,

6 respostas

  1. Realmente, o trânsporte público no Rio é muito bom mesmo, ainda mais se comparado ao daqui, que é horrivél, jamáis fiquei 30min na parada em horário comercial no Rio, aqui pego o T2 p/ trabalhar, que sofrimento diário! e dizer que ainda tem gente que diz que o trânsporte de POA é o melhor do país, que a carris é a melhor empresa e tal, não sei se é para rir ou chorar! estamos muito mal e em tudo! triste mais verdade ( porque eu não quero deixar pro meu filho, a pampa pobre que herdei de meu pai ).

    Curtir

  2. E ainda dão mais dinheiro para Curitiba quanto ao metrô…

    Curtir

  3. Pelo que usei do transporte do Rio, acho o máximo a integração do metrô… dá para ir a vários lugares, comprando um bilhete na estação… o metrô deles é mto bom, pena que é muito lotado!

    Curtir

  4. Os anti-Curitiba vão ter pesadelos e acordar totalmente urinados depois dessa hahaha.

    Me surpreendeu o Rio. Sei das obras que o Norton falou, mas hoje eles realmente tem uma estrutura boa? Ou tem mais gente usando ônibus pq tem mais gente sem condições de ter carro?

    Curtir

  5. Sei que no Rio tão fazendo bastante obras de mobilidade pra olimpiadas e copa do Mundo. BRT, mêtro e até VLT serão utilizados na Cidade Maravilhosa. Enquanto em Porto Alegre pouco se investe no transporte coletivo e estamos ficando cada vez mais pra trás.

    Curtir

  6. 15 de outubro Praça da matriz

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: