Internacional ainda sonha com a Copa das Confederações

Capital pernambucana é forte candida a ganhar vaga de Porto Alegre 

De olho em Zurique, na Suíça, dirigentes colorados alimentam a esperança de ver o estádio Beira-Rio e Porto Alegre entre as sedes da Copa das Confederações de 2013. Não ter ainda o contrato firmado com a construtora Andrade Gutierrez para a reforma de R$ 290 milhões do estádio pode não ser o maior complicador na reta final da escolha, a ser anunciada amanhã pela Federação Internacional de Futebol (Fifa). Fontes locais acreditam que a decisão será baseada em critérios mais subjetivos, entre os quais o fator político.

Pré-teste para o Mundial do ano seguinte, a competição é sinônimo também de receita com a atração de visitantes. Como o Uruguai estará na disputa, a crença dos gaúchos é de que a Fifa vai querer posicionar a seleção vizinha mais perto de sua torcida. Além das sedes de 2013, a reunião da federação define oficialmente as chaves e como serão as etapas para o Mundial de 2014, incluindo abertura. O presidente regional do Sindicato Nacional da Arquitetura e Engenharia (Sinaenco) em São Paulo e coordenador da entidade para as obras da Copa, José Roberto Bernasconi, aponta que obras de três estádios preocupam mais.

No grupo, estão o Beira-Rio (reforma parada), a arena da Baixada (sem definição da construtora que tocará o projeto) do Atlético do Paraná, e a de Natal (Machadinho), que não saiu do chão. “No caso do Inter, pode pesar esta indefinição. Era importante ter obra andando”, avalia o dirigente. “Mas a construtora Andrade Gutierrez tem capacidade para cumprir os prazos”, afirmou o coordenador do evento no Sinaenco. Diante do impasse, ganham mais fôlego Recife, Salvador e Fortaleza.

A capital pernambucana pode ser a maior ameaça à pretensão porto-alegrense. Até a proximidade entre o governador pernambucano, Eduardo Campos, e o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, que também preside o Comitê Organizador Local (COL) da Copa, indicariam uma vantagem em relação à Capital gaúcha. De outro lado, apoios como o da presidente Dilma Rousseff, torcedora do Inter, pode não ter grande efeito ante uma relação nada amistosa com Teixeira.

Na sexta-feira passada, quando Dilma veio anunciar o metrô da Capital, o governador Tarso Genro ligou para o presidente da CBF e pediu 60 dias para o clube arranjar seu contrato. “Ele disse que ia pensar”, reproduziu uma fonte. “O estádio pernambucano está no começo, e o do Inter está pronto. Só falta a conclusão das arquibancadas inferiores e ajustes nos vestiários. Mas isso pode não significar nada”, contrastou outra fonte. Na direção colorada, o presidente Giovanni Luigi assegura não ter carta na manga e aposta que não será a inexistência de acordo com a construtora que irá afastar a competição. “Espero que a decisão seja técnica e não política”, projeta Luigi. O clube também se agarra ao fato de a Fifa nunca ter exigido a assinatura do contrato como requisito para 2013.

O presidente do Conselho Deliberativo, Luiz Carlos Bortolini, faz coro a Luigi sobre as chances do Beira-Rio. “Temos condições plenas. Nosso contrato será firmado com cautela e todo cuidado para evitar contratempos na execução”, ressaltou Bortolini. A expectativa é começar a tramitar a minuta do documento nos conselhos até o fim do mês. “Há muitos interesses envolvidos, entre políticos, técnicos e financeiros, na definição da Copa das Confederações. Não sei qual pesará mais”, pondera Bortolini.

Patrícia Comunello – Jornal do Comércio



Categorias:COPA 2014, Copa das Confederações 2013

Tags:, , ,

24 respostas

  1. Parece que o R. Teixeira confirmou mesmo para o presidente da Federação Colorada de Futebol (pra quem ainda não sabe, a pessoa que “escolheu” o Beira-rio como o estádio da copa da capital gaúcha), que não haverá Copa das Confederações em Porto Alegre, porque o estádio dá cidade não tem GARANTIA de conclusão das obras (contrato com uma construtora).

    Agora, a minha perspectiva é que o Beira-rio perca também a condição de estádio da Copa do Mundo, como retaliação a “dor de cabeça” que está provocando a FIFA/COL., sendo substituído pela Arena do Grêmio. Certo mesmo é que, seja qual for o estádio, Porto Alegre terá um papel bastante SECUNDÁRIO no Mundial de 2014.

    LAMENTÁVEL!!!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: