Autoridades lamentam a perda da Copa das Confederações

Com reformas paralisadas, Beira-Rio não será sede da Copa das Confederações JOÃO MATTOS/JC

Depois da confirmação de que Porto Alegre não receberá os jogos da Copa da Confederações, o Internacional divulgou nota oficial, na tarde desta quinta-feira (20) sobre o episódio. No texto, o clube reafirma que as obras no Estádio Beira-Rio estão paradas em função do processo de negociação com a construtora responsável pelo projeto.

“A paralisação da obra ocorreu porque, a partir do contrato, a parceira ficará responsável por toda a obra. Como há tempo hábil para que se realize as reformas até dezembro de 2012, e a construtora não ficaria responsável pelos custos antes da assinatura do contrato, o Clube interrompeu os trabalhos para não ter que pagar por algo que ficará sob ônus do futuro parceiro”, diz a nota.

Em entrevista concedida a emissoras de rádio o presidente do Internacional, Giovanni Luigi, garantiu que a intenção do clube não era a sediar a competição que acontece em 2013 em pelo menos quatro cidades do País. “Nos candidatamos para receber os jogos da Copa do Mundo e a Fifa confirma em seu site que o Estádio Beira-Rio terá cinco jogos”, declarou. Luigi não detalhou o andamento das negociações do contrato com a empreiteira Andrade Gutierrez e não quis comentar a respeito de novos prazos para o reinício da obras.

Em declaração concedida à Rádio Gaúcha, o governador Tarso Genro lamentou o corte de Porto Alegre da Copa das Confederações. “Trabalhamos para que a Copa das Confederações fosse possível. É lamentável que isso tenha acontecido, mas certamente este é um problema que envolve o Internacional”, disse o governador.

Tendo em vista o efeito dos atrasos nas obras, o prefeito da Capital, José Fortunati, afirmou que não trabalha com a hipótese de que a Copa do Mundo não seja realizada no Beira-Rio, mas admite a existência de um “plano B”. Segundo ele, até que a Fifa diga o contrário, a Copa do Mundo será disputada no Estádio Beira-Rio. No entanto, ele afirma que Porto Alegre será sede do evento e, caso o Internacional não resolva o impasse, a competição poderá acontecer no estádio do rival Grêmio, que já está em fase avançada de construção.

“Se o Estádio Beira-Rio não ficar pronto existe um plano B, Este plano B se chama Arena do Grêmio”, defendeu.

Questionado a respeito das obras de mobilidade urbana exigidas pela FIFA no entrono dos Estádios, Fortunati disse não haver problemas em levantar investimentos para os projetos necessários nas proximidades da arena.

O prefeito chegou a citar o esforço conjunto da bancada gaúcha no Congresso Nacional para incluir verbas de R$ 65 milhões no Orçamento de 2012 para obras de Mobilidade Urbana na cidade.

A Fifa divulgou, no início da tarde desta quinta-feira (20), em Zurique, Suíça, quais serão as sedes da Copa das Confederações de 2013 no Brasil. Apenas quatro sedes foram confirmadas oficialmente: Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza e Belo Horizonte. Enquanto outras duas, Recife e Salvador, dependem da conclusão dos estádios para receber a competição. Porto Alegre ficou de fora da lista.

Sobre o anúncio, José Fortunati afirmou que a decisão foi da entidade máxima do futebol foi política. “Se duas cidades ficaram em suspenso, Porto Alegre deveria ter ficado na mesma situação”, declarou.

Durante o evento, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou: “Esse torneio é decisivo para um resultado próspero para a Copa do Mundo”. Apesar da indefinição sobre as sedes, a Fifa já definiu os palcos dos principais jogos da Copa das Confederações. Assim, Brasília terá a abertura do torneio em 2013, enquanto o Rio ficará com a grande final. Belo Horizonte e Fortaleza irão receber uma semifinal cada um.

Jornal do Comércio



Categorias:COPA 2014, Copa das Confederações 2013

Tags:

3 respostas

  1. Claro que as indicações das cidades sedes da Copa da Confederações foi política, assim como foi política a indicação do Beira e, principalmente, a sua manutenção como estádio de Porto Alegre, apesar de todos os seu problemas. Tudo MÁ-POLITICA, a política pequena, onde contam os interesses privados de pessoas e de grupos e que simplesmente desconsidera os interesses coletivos.

    Curtir

  2. Concordo Bruno, nossa cidade “em tese” está alinhada politicamente ao Governo Federal. Isso não seria suficiente?

    Estou com tanto nojo, tão indignado com isso tudo. Às vezes dá vontade de ver a cidade eliminada da Copa, tamanha a incompetência e letargia do Fortunatti, do Inter, da Impresa, dos cidadãos que não cobram as obras…

    Curtir

  3. aí tarso, o corte de porto alegre da copa das confederações não envolve só o inter, mas todas a cidade! fica a dica!!!

    e se o fortunati admite que a questão da escolha das cidades envolveu questões políticas, então devemos pensar oq? que ele é um mau político (já que não conseguiu se sair bem nessa situação)?

    fala sério, cara, a imprensa tem que cair em cima dessa organização da CM de PoA!!! políticos, internacional, grupos de trabalho etc, todos têm que se explicarem!!!

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: