Inter diz que exclusão da Copa das Confederações foi “política”

Clube gaúcho sustenta que Porto Alegre é a “sede mais avançada” e Beira-Rio poderia receber jogos

Da redação – São Paulo

Inter atribui escolha da Fifa a motivos políticos (crédito: Divulgação)

Fora da Copa das Confederações por conta de uma paralisação nas obras do Beira-Rio que já dura quatro meses, o Internacional de Porto Alegre publicou nota oficial, ontem (20), para explicar os entraves na reforma do estádio.

Segundo o clube, o contrato começou a ser negociado em maio e está em fase final de ajustes com a construtora Andrade Gutierrez. A empresa bancará todos os custos em troca da exploração comercial do estádio por 20 anos (garagem, camarotes e áreas vip).

A direção do Internacional lamentou a exclusão da cidade no evento-teste para a Copa, dizendo que a escolha do Comitê Organizador Local (COL) e da Fifa foi “política”.

De acordo com a nota, o Beira-Rio é um dos estádios em fase mais avançada para a competição e, mesmo sem obras no momento, está recebendo jogos com público de até 40 mil e deve estar completamente modernizado em dezembro de 2012.

Até junho, data da paralisação, o clube havia custeado com recursos próprios as fundações para a nova cobertura e parte de uma arquibancada inferior. Era o chamado modelo de “autofinanciamento”, que se tornou inviável, segundo a nota, porque nenhuma instituição financeira deu aval para a tomada de empréstimo.

Foi isso que teria levado o Internacional a procurar a Andrade Gutierrez, adotando o modelo de “parceria” para concluir as obras do Beira-Rio.

A nota afirma ainda que, mesmo se o clube tivesse queimado etapas para retomar as obras do estádio, não haveria garantias de que Porto Alegre recebesse a Copa das Confederações.

Confira a nota na íntegra

Nota oficial sobre as obras do Beira-Rio

O Sport Club Internacional vem por meio desta esclarecer os principais pontos sobre as obras do Beira-Rio em razão da decisão hoje da FIFA sobre as sedes da Copa das Confederações, em 2013, e da Copa do Mundo no Brasil, em 2014.

Andamento das obras

As obras no momento estão paradas porque o Clube está em fase final de negociação do contrato com a parceira Andrade Gutierrez. A paralisação da obra ocorreu porque, a partir do contrato, a parceira ficará responsável por toda a obra. Como há tempo hábil para que se realize as reformas até dezembro de 2012, e a construtora não ficaria responsável pelos custos antes da assinatura do contrato, o Clube interrompeu os trabalhos para não ter que pagar por algo que ficará sob ônus do futuro parceiro.

Razões para as obras estarem paradas

O Clube iniciou várias obras de reformas como fundações e demolição de uma parte da arquibancada porque acreditava que poderia executar todo o projeto no modelo de autofinanciamento. Ocorre que este modelo não se tornou viável porque todas as instituições financeiras procuradas não deram o aval necessário para o financiamento. Além disso, o montante arrecadado com a venda do Estádio dos Eucaliptos e o aluguel dos futuros camarotes não foi suficiente para que este modelo avançasse. Dessa forma, o Clube buscou a alternativa de um contrato com uma construtora parceira, que irá assumir todos os custos da obra em troca da exploração comercial de áreas que serão criadas no estádio, como edifício-garagem, novos camarotes e espaços vip por 20 anos.

Investimentos das obras x investimentos de futebol

O Clube seguirá investindo forte no seu departamento de futebol como sempre o fez. Todo o volume financeiro das obras e do contrato não se relaciona com a previsão orçamentária para o departamento de futebol. Durante as obras, o Clube seguirá mandando seus jogos no Beira-Rio, como o fez até hoje, mas com capacidade reduzida. Hoje está em torno de 40 mil lugares. Durante o ano de 2011, por exemplo, mesmo com as obras em andamento, o Clube disputou todos os seus jogos como mandante no Gigante, tendo conquistado inclusive dois títulos: Campeonato Gaúcho e Recopa Sul-Americana.

Duração das negociações com a construtora

As negociações com a Construtora Andrade Gutierrez para a elaboração do contrato de parceira por 20 anos começaram em maio, após aprovação pelo Conselho Deliberativo do novo modelo de negócio para as obras do Beira-Rio (o modelo da parceria). É um contrato longo e que irá repercutir nas próximas duas décadas no Inter, por isso estão sendo tomados todos os cuidados em busca do melhor possível para ambas as partes. Uma Comissão de Obras com colorados experientes e renomados em questões de contratos e obras foi criada. Escritórios jurídicos e de contabilidade dos mais qualificados do País foram contratados para a elaboração do modelo de negócio entre as duas partes. É imperioso dizer que especialistas neste tipo de contrato calculam de seis a oito meses o prazo comum para este tipo de acordo ser sacramentado. A negociação está, desta forma, dentro de um prazo normal.

Aceleração das negociações

O Clube poderia até queimar etapas para que já estivesse com as obras retomadas, mas isto não seria algo responsável por parte da direção. Não haveria garantias de que o estádio seria escolhido mesmo se as obras já estivessem retomadas. E a pressa poderia acarretar em problemas futuros. É bom lembrar que a Copa das Confederações e a Copa do Mundo se encerram em 2013 e 2014, respectivamente, enquanto o acordo do Inter com a Andrade Gutierrez avança por duas décadas. Nesse caso, a pressa poderia ser muito danosa para os envolvidos.

A obra do Beira-Rio, mais do que preparar para qualquer competição particular, vai deixar um legado para o Inter, para a torcida colorada e também para o cidadão porto-alegrense. Após a reforma, o Beira-Rio será um dos estádios mais modernos, confortáveis e seguros do Brasil e do Mundo, apto não só a receber os jogos da Copa do Mundo como também eventos de diversas naturezas.

O estágio do desenvolvimento do projeto

O Beira-Rio hoje, mesmo com as obras paralisadas, é um dos estádios em estágio mais avançado entre todas as cidades-sedes para a Copa do Mundo, uma vez que se trata de uma reforma e não de uma nova construção. Dessa forma, o estádio colorado tem todas as condições de estar pronto até 31 de dezembro de 2012.

Beira-Rio e Porto Alegre fora da Copa das Confederações

Por uma escolha política da Fifa e do Comitê Local da Copa. Das 12 sedes, de seis a oito teriam que ficar de fora, ou seja apenas quatro ou seis (Recife e Salvador estão em stand by no caso de suas obras fiquem prontas até o ano que vem) foram contempladas com a escolha para a competição que ocorre um ano antes do Mundial. Mesmo que o Beira-Rio seja a sede mais avançada, ficou de fora. É o único estádio, por exemplo, que está recebendo jogos. No domingo, por exemplo, 40 mil pessoas estarão no Gigante para assistir Inter e Corinthians, enquanto os futuros estádios da Copa das Confederações não têm as mínimas condições hoje de receber jogos.

Desejo de ser sede da Copa das Confederações

O Inter gostaria de ser sede da Copa das Confederações, mas o compromisso do Clube sempre foi com a Copa do Mundo, em 2014. O Clube nutria esperanças de ser uma das sedes, mas sabia que a concorrência seria muito difícil por envolver outras 11 concorrentes. Duas em cada três sedes da Copa do Mundo no Brasil ficaram de fora da Copa das Confederações. Outras duas podem ser incluídas se ficarem prontas até ano que vem. São Paulo, a cidade mais importante em termos econômicos do País, está fora, por exemplo. Mas isso não é o mais importante. O importante é que o Beira-Rio foi escolhido sim para a Copa do Mundo de 2014. Para se ter uma ideia do feito, dos 20 clubes da Série A, apenas três terão seus estádios no Mundial de 2014 (Inter, Corinthians e Atlético-PR). Este “vestibular” muito mais difícil e concorrido foi vencido pelo Inter, que será sede da Copa, evento muito superior em importância à Copa das Condederações.

Portal 2014

 



Categorias:Copa das Confederações 2013

Tags:, , , ,

9 respostas

  1. Por um lado o inter tem razão, com aquele Ricardo Teixeira no comando…
    Aliás, alguém sabe me responder se para ser presidente da CBF tem eleições ou o que? Esse ser já está há uns bons anos, não?

    E sim, o Inter foi muito irresponsável…

    Curtir

  2. Publicação do Jornal Estado de S. Paulo: A verdade está aí:
    Vejam o que escreveu Jamil Chade, correspondente do O Estado de S.Paulo em Zurique, ontem: “A Fifa e a CBF vão mandar nesta quinta-feira um recado claro de desagrado à presidente Dilma Rousseff por sua resistência em aprovar a Lei Geral da Copa atendendo às exigências das entidades esportivas. Nesta quinta, em Zurique, a Fifa anuncia o calendário do Mundial de 2014, com o anúncio de todos os jogos, sedes e quantidade de partidas em cada local. Mas, ofuscada pela crise declarada entre a Fifa e o governo, o evento vai escancarar a guerra. Como recado político, a Fifa vai barrar a participação do Beira-Rio em Porto Alegre da Copa das Confederações de 2013. Oficialmente, a entidade vai alegar que o problema é a falta de um contrato para as obras no estádio na capital gaúcha. Mas usará a ocasião para mostrar que pode mesmo punir o governo se o Palácmio do Planalto mantiver sua postura de resistência às leis da Fifa”.
    Essa é a verdade do motivo pelo qual Porto Alegre foi excluída da Copa das Confederações. NÃO VENHA, SR. BLOGUEIRO, QUERER CULPAR O SPORT CLUB INTERNACIONAL, O ESTADO E O MUNICÍPIO PELA PERDA DOS JOGOS. OS CULPADOS SÃO A FIFA E, PRINCIPALMENTE, A CBF CORRUPTA E O SEU INFELIZ PRESIDENTE RICARDO TEIXEIRA, DITADOR DO FUTEBOL BRASILEIRO, MANIPULADOR SEM VERGONHA. E PARA DESGRAÇA DO PRINCIPAL ESPORTE DO PAÍS, O CLUBE DOS 13 SE FOI. PARA ONDE VAMOS?

    Curtir

    • Não entendi, a FIFA, para punir o governo, vai punir Porto Alegre?

      PIADA!!!

      Curtir

      • Também não entendi julião… acho que não tem nada a ver …

        Curtir

        • Típico pensamento de gaúcho. Achamos que somos o centro do universo, que a FIFA está contra nós, que o Brasil está contra nós, que ninguém nos ama e ninguém nos quer. Então, vamos fazer mais uma revolução e marcharmos a cavalo contra a FIFA.

          Cara, Porto Alegre perdeu porque o pensamento de gaúcho é burro mesmo.

          Curtir

        • Concordo com vocês… basta desse pensamento bairrista.. que o Brasil está sempre contra nós e nós contra eles, como disse o Gabriel.

          O Internacional é, sim, muito culpado nesta história! Fez todo um marketing publicitário prometendo o que não podia cumprir. Enganou a Fifa, a prefeitura e a população.

          Eu, como colorado, estou decepcionado com o clube por tamanho vexame. Faltou compromisso e honra!

          Curtir

    • Isso poderia ser verdade se a reforma do Beira-rio tivesse um contrato e as obras tivesse andando. Como não temos isso, trata-se de um grande bobagem.

      Curtir

  3. O legal é que esta m.rda de time em momento algum pensa na cidade. Ódio dessa gente.

    Curtir

  4. O inter está demonstrando um amadorismo político-administrativo desde o início. Só podia se dar mal mesmo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: