Mobiliário Urbano: 54 mil placas de rua compõem equipamentos

Empresa Verdi Design assinará contrato com prefeitura na próxima semana Foto: Divulgação/PMPA

Cerca de 54 mil placas com a identificação de ruas e avenidas, 5,5 mil paradas de ônibus e táxi, 6 mil lixeiras e cerca de 10 mil totens informativos, entre outros equipamentos que compõem o projeto de Mobiliário Urbano da Capital, começarão a ser distribuídos na cidade já no primeiro semestre de 2012.

Vencedora da tomada de preços para o desenvolvimento dos estudos necessários à elaboração do edital de licitação do mobiliário, a empresa Verdi Design irá assinar contrato com a prefeitura na próxima semana. O trabalho da empresa será o de complementar o Relatório Técnico para Desenvolvimento do Termo de Referência do Mobiliário Urbano, elaborado por técnicos da prefeitura do GT Mobiliário, além de desenvolver a modelagem econômico-financeira que vai garantir a sustentabilidade da concessão durante a vigência do contrato.

Projeto estratégico – Segundo a coordenadora do Gabinete de Planejamento Estratégico (GPE) e da Comissão de Análise e Implantação do Mobiliário Urbano (Caimu), Izabel Matte, o projeto é estratégico para o governo e teve que aguardar alteração na legislação, para permitir a ampliação do tempo de concessão e a formatação de uma modelagem econômica que possibilitasse a sustentabilidade da concessão. “A sustentabilidade econômico-financeira é fundamental para a implantação, manutenção, relocação, substituição e adaptação dos equipamentos urbanos, pois são muitos elementos, e os espaços publicitários que estarão disponíveis deverão gerar recursos suficientes para dar sustentação a todos”, observa Izabel.

Grupos – O projeto dos novos equipamentos está dividido em quatro grupos temáticos: design territorial, desenho dos elementos, georreferenciamento, análise legal e gestão. A metodologia do desenho dos elementos estudados também estabelece diretrizes para o projeto básico para cada elemento do mobiliário urbano, composto por desenho esquemático e memorial descritivo (dimensões, materiais, tipos de acabamento e cores); definição dos critérios de implantação de cada elemento na paisagem urbana, considerando o porte do elemento como a largura da calçada ou passeio, a acessibilidade, a demanda, a poluição visual, o interesse publicitário e a peculiaridade da região.

O mobiliário divide-se também em quatro categorias, como básico, complementar, acessório e especial. Parte da primeira categoria, a sinalização de trânsito (placas, semáforos, prismas e colunas, divisores de fluxos); os equipamentos de informação (placas de identificação de logradouros); iluminação e energia; comunicação; segurança e transporte (abrigos de ônibus, abrigos de táxi), devem assegurar ao espaço público as condições essenciais de segurança, comunicação, informações fundamentais e possuem prioridade de localização no espaço público.

Participação – Para possibilitar a participação das entidades representativas da sociedade, o projeto do Mobiliário Urbano foi apresentado na Câmara Municipal e no Ministério Público e está sendo debatido em reuniões de todos os fóruns de planejamento da cidade.

Prefeitura



Categorias:Mobiliário Urbano

Tags:

7 respostas

  1. Ainda acho que deveriam trazer alguém de fora, se possível do exterior, para fazer esse tipo de sinalização da cidade (de trânsito e de informação). Só alguém de fora para entender as agruras que sofrem os visitantes em Porto Alegre para se localizar. Talvez a empresa contratada, se tiver perspicácia faça isso, contratando o apoio de uma empresa ou técnicos de fora de Porto Alegre para realizar esse trabalho.

    Curtir

  2. Este escritório de design é muito competente, vão fazer um bom trabalho, resta saber se depois a prefeitura vai seguir a risca as coordenadas do projeto da Verdi, se não terão “técnicos” da prefeitura metendo o bedelho e adulterando por conta própria o projeto original. Sabemos como as coisas funcionam, é sempre pelo mais fácil e mais baratinho.

    Curtir

  3. Hummmmmm…….espero que nao seja algo ao “melhor estilo” de Porto Alegre:
    TOSCO.

    Curtir

  4. Tomara que dê certo e ande rápido. Isto é uma das coisas mais urgentes de Poa. Espera-se que o processo eleitoral não atrapalhe

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: