Aeromóvel: pra variar, Agapan critica intenção

O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, confirmou ontem que a prefeitura assinará um convênio com a Trensurb, no próximo dia 12, para a elaboração de um estudo de viabilidade de um novo modo de transporte para a zona Sul de Porto Alegre. Ao contrário do prefeito José Fortunati, que afirmou que o modal seria uma linha do aeromóvel de 7 quilômetros que ligaria o Cais Mauá ao BarraShoppingSul, Cappellari disse que nada está definido. “Não existe um estudo. É ele que apontará a escolha do modal a ser implantado, aeromóvel ou BLT. Será um grupo técnico que decidirá trajeto, custo, viabilidade econômica, e só depois de concluído é que será tomada uma decisão”, disse.

Segundo Cappellari, no dia 12 deverá ser definido inclusive o cronograma do estudo de viabilidade. O arquiteto e urbanista, conselheiro da Agapan, Nestor Nadruz, criticou mais este “megaprojeto da prefeitura”. Para ele, falta planejamento urbano no desenvolvimento da Capital. “Atualmente, quem mandam são os investidores privados”, criticou. Segundo Nadruz, o desenvolvimento de uma cidade não é só o econômico. “As ações têm que ser pensadas e planejadas em conjunto. Qualquer intervenção causa outros problemas, que devem ser antecipadamente solucionados no planejamento”, disse. Ele enfatizou que o maior interessado em ser consultado sobre estes projetos é o contribuinte. “Sou contrário a todas as ações isoladas por questão de bom senso, principalmente quando são políticas e não técnicas”, concluiu.

Correio do Povo

Título original da matéria no Correio: Aeromóvel: Agapan critica intenção

______________________

Espero que o prefeito e os envolvidos no estudo ouçam a todos os segmentos da sociedade porto-alegrense e não só estes grupos retrógrados. 

E agora Correio do Povo, o que é BLT ? Será VLT ou BRT ?



Categorias:Aeromóvel

Tags:, , ,

30 respostas

  1. A critica até que faz sentindo, mas como ultimamente somos o estado do contra preferimos apenas criticar e conturbar o máximo o desenvolvimento da cidade, ao invéz de criticar deviam então apresentar uma proposta mais eficiente!

    Curtir

  2. Pelo jeito ocorrerá o mesmo boicote que houve quando foi inventado o aeromovel, ou seja, as empresas de onibus, com seu lobby, impediram o projeto de seguir adiante, só permitiram dessa vez no aeroporto por não afetar a concorrencia. Agora, quando se dá essa ideia para a zona sul, começam a ficar ouriçados novamente, que enrolação disso, quanta burocracia, que venha o nosso aeromovel de uma vez.

    Curtir

  3. O interessante neste blog são as posições de cada cidadão, mas convenhamos quando as críticas partem para ofensa deixa de ter objetividade este blog, todos têm direito às críticas, com respeito as posições de cada um.

    Mas vamos aos fatos, realizar a construção do aeromóvel a fim de atender somente as áreas privilegiadas dos shopping, me parece uma negociata entre o ente público e o privado, em que esta construção irá beneficiar uma estrutura privada ou alguém têm dúvida sobre isso, aliás desde que não haja recursos públicos para isso, sugiro colocar as estações dentro dos respectivos estabelecimentos, uma na Shopping Praia de Belas e o outro no Barra Shopping.

    A mobilidade urbana deveria ser discutida no conjunto com toda a sociedade e, principalmente com o contribuinte que paga impostos, não através de grupos ligados a ente privados e o grupo de políticos da Pref. Mun. POA.

    Senão vejamos, o trajeto irá atender a que interessados, somente o privado com sua valorização ainda maior frente a todos os problemas desta cidade, isso ao custo de dinheiro público.

    Com referência a Agapan, entendo que as críticas veladas a essa Ong tem o objetivo de atacar os defensores do meio ambiente de forma irresponsável, aliás até hoje a Pref. Mun,. POA não explicou ou está explicito agora, o porque da destruição da sede, em que até hoje não sabemos o andamento do processo administrativo que trata deste assunto, talvez quem tenha destruído a sede fosse a natureza por si só.

    O mais engraçado no desenvolvimento proposto para a cidade é que tudo pode, tudo vale, claro, tudo com dinheiro público, enquanto as áreas de saúde, educação e segurança se encontram em um caos total.

    Para finalizar o que se vê neste momento por parte e do erário público municipal, que um grupo privado manda na Pref. Mun. POA, tudo isso em troca de interesses eleitoreiros.

    Curtir

    • A falta de objetividade (ou de racionalidade), por paixões ideológicas, é mesmo um problema…

      Curtir

    • Shopping Centers são o que se chamam em sistemas de transporte de Pólo Gerador de Tráfego, ou seja, são empreendimentos que atraem grande fluxo de pessoas para seu entorno. Como exemplos, podemos citar shoppings, estádios de futebol, universidades e outros empreendimentos de grande porte.

      Nada mais coerente dos gestores públicos do que oferecer à população modais de transporte a estes pólos, a fim de que menos pessoas necessitem utilizar o transporte motorizado individual para locomoção.

      Sobradinho: mais ciência, menos paixão.

      Curtir

    • Não acho que deva ser discutido com toda sociedade, acho que engenheiros de trânsito podem fazer traçados que vão atender o público tranquilamente.

      Curtir

  4. Eu voto de acabar com os onibus, bicicletas, motos, trens, pernas, cavalos, caminhões, aeromovel e obrigar todo mundo a usar carro, ja que não da pra ter um aeromovelzinho circulando pela nossa cidade por que vai destruir o mundo…

    Tchê, 2012 ta chegando, deixa eu aproveitar um pouco a vida me enganando que to no primeiro mundo… pooo, só 500 metros de aeromovel, só pra me iludir.. hashasu

    Curtir

  5. Pela dissolução da Agapan, já!

    Eles que se enfiem na Floresta Amazônica ou se mudem para Havana.

    Curtir

  6. Desculpa Gilberto…mas vou mandar esse Nadruz pra p. q. p……..

    Curtir

  7. Tirando a estupidez tipicamente agapanista de querer demonizar o desenvolvimento econômico[1], existe um fundo de sentido no argumento dele: a proposta de construir um aeromóvel percorrendo a Orla não pode ser vista como uma coisa isolada, sob o risco de virar um elefante branco que mal e mal vai servir ao turismo; como eu já defendi antes, esse trajeto não tem condições de servir as demandas dos moradores da Zona Sul, por ignorar o Centro e diversos outros pontos como potenciais destinos.

    Se você fosse um trabalhador do Shopping Praia de Belas, por exemplo, onde você preferiria descer? Na foz do Arroio Dilúvio (onde se pensa a estação do aeromóvel) ou direto na porta so Shopping? Similarmente, se seu destino é o centro, é melhor descer no Mercado ou no Gasômetro?

    Se pensarmos nas redes de transporte conectadas, isto é, que permitem conexões arbitrárias de linhas, temos que pensar também nos pontos que originam viagens nos bairros atravessados pelas linhas. Num futuro onde passe o metrô no Mercado, que utilidade teria um aeromóvel para o morador do Menino Deus? Além de ele ter que caminhar um bocado até o Guaíba, acabo descendo em um lugar que não é conectado a outras linhas. Esse morador vai optar pelo carro.

    Quando se projeta um sistema de transporte urbano coletivo, existem diversas métricas que ajudam a estimar a viabilidade do traçado. Uma delas é a distância que as pessoas estão dispostas a caminhar para alcançar as estações de embarque. Hoje se tem que a maioria das pessoas não caminharia mais 400 metros para o transporte, embora elas possam fazer concessões de acordo com a qualidade do serviço oferecido[2]. Quanto mais veloz, mais confortável e mais segregado do trânsito normal é o serviço, mais as pessoas podem caminhar para usá-lo.

    Para título de comparação, tracei muito grosseiramente os círculos de 400 metros de caminhada para um hipotético traçado do aeromóvel pela orla e os círculos da minha proposta de Bonde Moderno pela Borges/Praia de Belas. A imagem pode ser vista em

    Percebam como o traçado proposto para o aeromóvel mal encosta nas zonas habitadas e nos destinos de viagem, enquanto que o Bonde Moderno atinge áreas densamente habitadas e com muitos pontos-destino.

    [1] muita gente acha que “desenvolvimento econômico” é essa coisa de só crescer e crescer e fazer dinheiro. Crescer por crescer é “crescimento econômico”, é crescer PIB sem dar bola pra equilíbrio; crescer com progressão em indicadores de justiça social (como indíce de Gini, IDH, etc) é “desenvolvimento”. Só pode ser oposto ao desenvolvimento econômico quem é a favor do status quo.

    [2] http://www.humantransit.org/2011/04/basics-walking-distance-to-transit.html

    Curtir

    • Concordo, e completo: a prefeitura quer reutilizar o traçado já construído do aeromovel, o que é interessante, mas ignorou completamente que ele não tinha o mesmo objetivo que a linha que eles estão planejando hoje. A linha dos anos 80 visava um trajeto circular no centro, como demonstra a foto 1. A linha que supostamente estão planejando construir hoje, não. Não tem sentido ignorar as áreas de demanda só pelo fato de já ter 10% da linha pronta num trecho sem demanda alguma.

      Foto 1: https://portoimagem.files.wordpress.com/2011/02/linha-piloto-aeromovel-poa-1979.jpg

      Curtir

    • Negativaram horreres meu outro comentário, ainda bem que o Mobus é mais paciente que eu (e sabe mais de transporte) pra desenvolver a idéia hahaha.

      Não acho que seja tão ruim reaproveitar aquela estrutura que existe do aeromóvel, mas devia seguir até a Borges e seguir por lá, e idealmente deveria ter alguma conexão com o mercado mesmo.

      E se é pra não ser usada nunca, que seja demolida.

      Curtir

    • Se o aeromóvel ou VLT passasse pela Praia de Belas, ou pela Getúlio Vargas ao invés de pela Praia de Belas, já seria bem mais útil aos moradores do Menino Deus.

      Curtir

  8. Nessas horas teremos que agir.
    Mandarei carta/e-mail para o prefeito dizendo que somos favoráveis ao desenvolvimento do projeto e que a cidade de Porto Alegre precisa disso. Nós não somos uma reserva ecológica, somos uma metrópole que precisa melhorar sua mobilidade urbana e sua estrutura turística. E ainda que uma linha de aeromóvel não prejudicaria a orla e nada mais.

    Curtir

    • Gilberto, peço que leia novamente a matéria do Correio do Povo e veja que não há questão ‘ambientalista’ em voga.

      O cara simplesmente expôs um fato conhecido: Nada nessa terra é planejada de forma ecológica (no sentido mais amplo da palavra, ou seja, SISTÊMICA) e os interesses políticos/econômicos muitas vezes se sobrepõem as questões técnicas.

      “Sou contrário a todas as ações isoladas por questão de bom senso, principalmente quando são políticas e não técnicas”.

      Eu acho que no afã de querer que as obras de melhoria aconteçam em Porto Alegre a gente perde um pouco o bom senso e não para para questionar a viabilidade do projeto ou estudar outras alternativas mais eficientes.

      Também quero VLT e aeromovel (tal qual proposta do FMobus) mas precisamos tratar isso mais racional e menos emocional, senão teremos que refazer tudo de novo no futuro porque as coisas não foram estudadas de forma clara e honesta.

      Curtir

      • A impressão que dá é que se a crítica vêm de um ambientalista, mesmo que ela seja condizente com o pensamento dos freqüentadores desse blog, a reação é criticar.

        Julgam a pessoa, mas não refletem sobre os seus argumentos.

        Curtir

  9. Não minha opinão, esse pessoal é o câncer da sociedade.

    Curtir

  10. O sonho acabou.

    Curtir

  11. Bem, a crítica dele neste caso não chega a ser absurda, ele tem razão.

    Mas acho que BLT era para ser BRT.

    Curtir

    • Pois é, tudo o que ele falou ali está coerente com o que foi discutido aqui no blog. Infelizmente sabemos que os projetos não se conversam. Sabemos que inclusive as secretarias municipais não se conversam direito, quanto mais a iniciativa privada, autarquias e ONG’s.

      Mas ao invés de de o blog evidenciar as semelhanças nas ideias, prefere evidenciar as diferenças para colocar mais lenha na fogueira, ehehehehe

      Agora, ele vir dizer que o projeto está entregue a ‘investidores privados’ é o cúmulo da dor de cotovelo…. Mas se ele quis dizer que os investidores privados são a mafia dos ônibus (aka ATP), eu vou ter que concordar com ele…

      Curtir

  12. Não haviam demolido a sede da Agapan???? Que pena que não demoliram com todos os agapanistas dentro. Essa gente é contra tudo e qualquer coisa. Gente mais chata no mundo não há. Agapanistas mudem-se para a Amazônia ou para qualquer matagal longe de qualquer cidade assim vocês viverão em seu habitat e não mais encherão o saco de ninguém…

    Curtir

    • Nestor Nadruz, que te autorizou a falar no meu nome? Sou contribuinte e quero o empreendimento. Vai deitar esta noite e sonha com o Muro de Berlim! É por pesssoas que nem tu, que esta Cidade e este Estado estão tão atrasados! Não enche o saco! Vai na Câmara discutir o micro clima da região com o Pedro Ruas; a partir daí, tentaremos saber quem dos dois é mais ridículo!

      Curtir

  13. Quando sai um projeto desses, quem reclama tem que calar a boca, antes que quem inventou se arrependa. É muito milagre pra uma Porto Alegre só.

    Curtir

  14. Ei, desculpa a ignorância, mas BLT não é o sanduíche do subway?

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: