110 km/h desafia perícia

Alteração nos limites de velocidade na freeway retoma discussão sobre consciência do motorista

Especialistas entendem que carros e rodovias não estão preparados Crédito: CRISTIANO ESTRELA

O Programa de Avaliação de Carros Novos na América Latina (Latin NCAP) realizou um novo teste de colisão de oito modelos de carros de passeio que circulam em países do bloco – confirmando o elevado risco de letalidade para os motoristas e os ocupantes. Em contrapartida, a BR 290 já está com o limite de velocidade máxima em 110 Km/h na maioria dos trechos. As opiniões quanto à elevação de velocidade são divergentes entre os especialistas na matéria. Há quem diga que não faz qualquer diferença; outros, porém, avaliam que 80 km/h já seria muito para a maioria dos motoristas brasileiros – que, embora habilitados a dirigir, não possuiriam qualificação para fazê-lo em alta velocidade.

Os testes de impacto frontal feitos a 64 km/h contra um obstáculo deformável, que simulava outro automóvel, comprovam que a segurança dos carros mais vendidos na América Latina é equivalente a dos europeus de 20 anos atrás. Os carros de uma estrela continuam dominando o mercado, enquanto o veículo mais seguro recebe seis estrelas.

Os testes do Latin NCAP foram realizados em duas fases desde 2010, e já avaliaram sete dos dez melhores automóveis à venda nos países do bloco nas versões básicas e populares (sem airbags de série). Isto explicaria, em parte, o conjunto de resultados negativos.

O chefe do Departamento de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Alessandro Castro, afirma que não vê problemas no aumento do limite de velocidade. “Nossos motoristas estão, sim, aptos a dirigir nesta velocidade. O que importa é a conduta do motorista e sua obediência às leis de trânsito”, destaca. Para ele, os 10% a mais na velocidade não farão diferença numa rodovia com menos de 100 quilômetros de extensão e que é praticamente uma reta. Castro lembra, ainda, que no primeiro fim de semana de grande movimento na BR 290, já com a elevação da velocidade para 110 km/h, ocorreram apenas dois acidentes leves e nenhum teve como causa a velocidade.

O comandante do 3 Batalhão Rodoviário da BM de Bento Gonçalves, major Claudio Ilha Feliú, tem a mesma opinião. “Nossos motoristas estão capacitados para dirigir nesta velocidade. É preciso, porém, que se conscientizem que nos carros de baixa potência estarão muito exigidos. Feliú afirma que acidentes podem acontecer mesmo com os “melhores carros do mundo”. Lembra que o motorista não pode esquecer da segurança.

Limite ideal seria 90 km/h

Segundo o médico Fernando Mello, entre os problemas que podem surgir em consequência da desaceleração brusca está o rompimento de ligamentos. Além de questões mais graves nos órgãos chamados macios, como coração e pulmões e até concussão cerebral. O limite ideal para nossos carros seria entre 80Km/h e 90 km/h, como acontece nas pistas dos Estados Unidos.

Correio do Povo

 



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

6 respostas

  1. País ridiculo esse Brasil hein! O governo não obriga carros a terem airbag nem passar por crash test [1] e a discussão é o limite de velocidade….

    A imprensa local não gosta de meter pau no governo além do estritamente necessário [2], mas tem que colocar uma certa quantidade de indignação no jornal. Então a saída foi reclamar dos próprios motoristas incansavelmente.

    A situação que nós temos é 70% de carros que não deviam existir (populares e outros de construção precária, tipo agile, que não dão a minima segurança mesmo com airbag), e 30% de carros com segurança correta (além de tempo de frenagem adequado, etc).

    Acho que os carros seguros, que freiam bem e permitem ao motorista uma condução segura [3] deveriam poder andar a 120 km/h na freeway, enquanto os populares deveriam poder andar a no maximo 80 km/h.

    Eu dirigo no limite sempre, e boa parte das vezes sou ultrapassado por motoqueiros, taxis tipo siena e corsa sedan, celtas, palios, etc… Mas pra esse povo que não reflete pragmaticamente sobre as coisas, a única questão é motoristas embriagados e o limite de velocidade.

    ———————————-

    [1] sei que vai ser obrigatório em 2014, mas deram 6 anos de folga pras montadoras (foi anunciado em 2008). Quanta gente morreu em acidentes e que teria sido salva pelo airbag nestes 6 anos? 10 mil pessoas é o meu chute.

    [2] como se sabe, o governo (municipal, estadual, federal) é um grande comprador de anuncios em todas as mídias.

    [3] um carro com ABS freia em menor distancia e é capaz de desviar enquanto freia. Um carro com motor potente faz ultrapassagens mais breves, portanto mais seguras pois fica menos tempo na via contraria.

    Curtir

  2. Palhaçada. 110 é um limite razoável sim, quem dirige na Freeway sabe. Aliás, TUDO DEPENDE DA INFRAESTRUTURA da estrada. Na Freeway dá pra andar a 110 COM SEGURANÇA (quem diz que não é pq não dirige), na 116 entre POA e NH tb dá (quando a tráfego permite, claro).

    É irritante esses caras da imprensa metendo o pau, como se fosse um absurdo. Pelamor, tudo é questão de infra. Na Alemanha os caras andam a 200 SEM PROBLEMAS, COM MUITA SEGURANÇA. Em outros países tb.

    Se tivermos estradas boas, pelo menos como a Freeway, podemos ter limites mais altos. Precisava tb ser mais rigorosos com a formação dos motoristas, e tb tirar as velharias da ruas (INSPEÇÃO JÁ, por mais que custe uma taxa anual. SP e RJ já tem).

    Curtir

  3. huasuashuahuashsahuashusahusa…

    Ao menos ficou mais bonito, 110km/h

    Pessoal anda sempre nos 120km/h, e acho que esse deveria ser o limite, apesar de ser uma estrada que comporta limites bem maiores…
    Porem, mistura nossos motoristas ruins, com uns bebados e outros abostados que vão pegar a estrada sem neem dormir, e ai faz a festa.

    Os acidentes da Free Way acontecem por motoristas bebados ou quem dorme no volante, no caso de acidente por causa da velocidade, ó quandoo tem muuuito movimento, vespera de feriadão mesmo… mas nossos motoristas se puxam.
    Não sabem dar sinal, nem dar uma olhadinha nos espelhos pra trocar de faixa…. ai ta feita a festa…

    Deveriam varias a velocidade, em feriadões, toca 80km/h, que fica a media mesmo….
    Madrugada, da ate pra tirar o limite, de tão deserto que é… durante a semana…
    Madrugada em finais de semana, toca 140km/h de limite que é a media… e em dias normais, deixa pra 120, 130km/h

    Curtir

  4. O problema nas estradas brasileiras é que os limites são fixados no achômetro das autoridades de trânsito – que geralmente sequer dirigem. Existe uma ampla literatura de engenharia de tráfego que diz que o limite de velocidade deve ser fixado no 85º percentil da velocidade “natural” da via, isto é, uma velocidade a qual 85% dos motoristas estão abaixo quando não há regulações explícitas. Claro, em sendo Brasil, isso jamais foi pesquisado na prática, então acabamos com limites artificiais e inadequados.

    Um estudo interessante que deveria ser feito após essa liberação na Freeway é comparar o número de acidentes e fatalidades antes e depois da alteração.

    Curtir

  5. 110 km/h já era a velocidade de cruzeiro da 99% dos automóveis que andam na free-way, então não vai mudar muita coisa.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: