Viaduto estaiado da Unisinos será liberado dia 20

 

Trabalho de finalização das obras, como pavimentação das alças de acesso, envolve 60 profissionais

Os motoristas que costumam trafegar pelo km 250 da BR 116, em São Leopoldo, terão que esperar uma semana a mais para ver o trânsito menos congestionado. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) adiou para 20 de dezembro a liberação do viaduto de acesso à Unisinos, que deve melhorar o fluxo na via com a desinstalação de uma sinaleira. Até o mês passado, a previsão era de que a obra estivesse concluída no dia 13 deste mês. A inauguração oficial ficará para janeiro.

Esse é o segundo adiamento em dois meses. O plano inicial era liberar o trânsito no viaduto em setembro. Segundo o engenheiro Carlos Adalberto Pitta, supervisor regional do Dnit, os motivos para os atrasos foram a negociação para a compra de imóveis às margens da rodovia e a instabilidade do clima. Só em julho, ocorreu suspensão dos trabalhos por sete dias devido à chuva. Há pouco mais de duas semanas, o contrato para finalização completa do serviço na BR 116 foi prorrogado por três meses.

Os esforços de 60 profissionais concentram-se agora na pavimentação das alças de acesso, na finalização das lajes de transição, que ligam as alças ao viaduto, e na pesagem dos nove pares de estais – cabos de aço que sustentam a ponte – para verificar se a força de cada um está de acordo com o projeto. “Estamos trabalhando para cumprir o prazo estabelecido”, garante o engenheiro Luis Fernando de Oliveira, da Construtora Cidade. A única ponderação é em relação à possibilidade de a chuva ainda atrasar a conclusão.

A ordem de serviço foi assinada em 2009 pelo prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, e o investimento atinge R$ 32 milhões. O viaduto tem 2,6 mil metros, incluindo alças de acessos. Durante as obras, o trânsito nas pistas laterais foi alterado e, no sentido Capital/interior, a pista segue estreitada em função da presença das máquinas. Quem deixa a Unisinos para dirigir-se a Porto Alegre, por exemplo, é obrigado a fazer o retorno no viaduto da avenida João Corrêa, o que aumenta o trajeto em 4 quilômetros.

Correio do Povo



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:

3 respostas

  1. …enquanto isso em porto alegre…… nem passarela da rodoviária temos,……

    Curtir

  2. Quando o investimento se justifica pode ser – maiores vãos, menor seção da plataforma, menor tempo de execução.

    Curtir

  3. Agora todas são estaiadas?? hahaha, mas ficou bonita, passei lá há pouco.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: