Dmae está atento à oscilação do Guaíba

A escassez de chuvas faz com que o nível da água já desperte atenção

Dmae informa que está fazendo investimentos para amenizar o problema Crédito: SIMONE MORO / ESPECIAL / CP

A situação da Capital, embora seja diferente dos municípios que integram a bacia do Gravataí, também preocupa, especialmente pela escassez de chuva. Medições feitas diariamente para verificar o nível do Guaíba apontam variações expressivas nos últimos dias. Na terça-feira, por exemplo, a medição apontou 0,20 metros abaixo do nível normal – entre 0,60 m e 0,80 m. “É uma situação que requer atenção”, salientou o superintendente de Operações do Dmae, Luiz Fernando Souto.

Apesar do alerta, Souto faz algumas considerações a respeito da queda do nível do Guaíba. De acordo com ele, a ausência de chuva não é o único fator que colabora para a baixa do nível. É preciso considerar, ainda, a cota do mar, além dos ventos. “O Guaíba não varia tão somente pela intensidade de chuva nas cabeceiras dos rios, mas pelos ventos e oscilação do mar, por conta da Lagoa dos Patos”, explicou.

No caso da Capital, os reflexos disso não são tão agressivos, com racionamento de água, por exemplo, porque o Guaíba, de onde provém o abastecimento para a população, tem vazão de 1,4 milhão de litros por segundo, e o Dmae capta cerca de 6 mil litros por segundo.

O Dmae garante que vem fazendo investimentos para amenizar os impactos que, por vezes, ocorrerem nessa época. Entre as ações, estão a limpeza das captações de água pelas equipes de mergulho contratadas; o combate aos mexilhões dourados, que interferem na cor e no gosto da água; melhorias nas estações de tratamento, além da ampliação da distribuição de água tratada.

Correio do Povo

 



Categorias:Lago Guaíba, Meio Ambiente

Tags:, ,

1 resposta

  1. Tem pedacos de noticias novas no pedaco…vcs tem mais info nisso???
    “”Pontal do estaleiro tocará suas seis torres no ano que vem””

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: