Lei da Mobilidade propõe pedágio urbano para desafogar trânsito

O Senado irá enviar ao Palácio do Planalto para sanção da presidente Dilma Rousseff a Política Nacional de Mobilidade Urbana, também conhecida como Lei da Mobilidade

Pedágio em São Paulo créditos: Divulgação

A lei visa a desafogar o trânsito das grandes cidades, fazendo com que os governantes priorizem o transporte coletivo, o público e o não motorizado. Entre as medidas adotadas para promover o transporte público, o projeto autoriza as prefeituras a instalarem o pedágio urbano, como o de Londres, que cobra uma taxa dos carros que entram no centro da cidade, e implantar rodízio, como o de São Paulo. São medidas que desestimulam o uso do carro e ajudam a desafogar o trânsito.

De acordo com a Agência Senado, o foco da lei é o incentivo ao transporte público, afinal, 30 pessoas em um ônibus ou em um trem não congestionam uma rua, mas 30 pessoas em 30 carros, sim. Neste sentido, a lei sugere que as passagens sejam mais baratas e determina também a gratuidade para grupos como estudantes, idosos e deficientes, sem encarecer o bilhete aos demais usuários.

Transporte público

Para garantir as gratuidades nas passagens para determinados grupos, sem aumentar o preço para os demais usuários, o projeto sugere que as prefeituras avaliem os ganhos de eficiência das empresas privadas de transportes, que devem ser calculados no momento de reajustar as passagens.

Entre os itens que entram nos ganhos de eficiência está o do uso de faixas exclusivas para ônibus nas avenidas, que permitem a esses veículos trafegar com mais rapidez e consumir menos combustível, ou até mesmo a receita oriunda de outras fontes, como o lucro que as empresas têm quando fixam propaganda nos ônibus.

Qualidade

No entanto, para estimular o cidadão a utilizar o transporte público e deixar o carro em casa, não basta que a passagem seja barata, é preciso que o serviço tenha qualidade, que haja paradas de ônibus ou estações de metrô por toda a cidade.

Além disso, a espera não pode ser longa e os veículos precisam estar em bom estado. Para garantir isso, a Lei da Mobilidade determina que as prefeituras devem fixar metas de desempenho para as empresas de transporte. Cumpridas as metas, elas são premiadas e descumpridas, são punidas.

O objetivo da lei é impedir que os governantes insistam em responder ao crescimento da frota de veículos com a criação de mais avenidas, viadutos e túneis, que acabam servindo de estímulo para que mais carros entrem em circulação.

MOBILIZE.ORG – UOL Economia



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , ,

15 respostas

  1. como esses politicos saõ tontos ou se fazem de tontos,a população de São Pualo é de 18 milhoes de pessoas,quanto é a população de londres?o metro de São Paulo tem quantos KM? e o de NY!
    isto é uma forma de arrecadação sem tamanho,como a da inspeção veicular,calçada,lixo e tantas outras,nos é que temos de tomar vergonha e na eleição mostrar o nosso valor,o nosso carater,e assim como ele nossa frieza e dizer não a esses calhordas que se fazem Reis e nos de plebel.

    é ora de tirar esse”LADROES”,ORA DE REVOLUCIONAR.

    Antonio Morais S.S.

    Curtir

  2. Os senadores querem mais pilas. Como é em Nova York, Londres, Paris??? Vamos ver por lá.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: