ESTÁTUA DE DRUMMOND SOME DA PRAÇA DA ALFÂNDEGA (atualizado às 20:23)

Após sumiço, Prefeitura da Capital localiza estátua de Drummond

Escultura do poeta foi retirada da Praça da Alfândega para conserto

Depois da constatação de que a estátua do poeta Carlos Drummond de Andrade havia desaparecido da Praça da Alfândega, em Porto Alegre, a Prefeitura da Capital descobriu na tarde deste sábado o paradeiro da escultura que integra a obra “Monumento à Literatura” junto com a figura de Mario Quintana. Segundo o secretário municipal da Cultura, Sergius Gonzaga, houve uma falha de comunicação entre a secretaria e os responsáveis pelo projeto Monumenta – que retirou a escultura em bronze há cerca de um mês para conserto da base.

Segundo a coordenadora do projeto Monumenta, Briane Bicca, como se tratava de um problema técnico e não de uma questão de decisão, Sergius Gonzaga não foi informado oficialmente, mas ela garantiu que os técnicos da secretarias da Cultura e do Meio Ambiente estavam cientes da retirada.

A prefeitura ainda não tem data para devolver a estátua ao local. A comissão que integra o projeto Monumenta estuda a possibilidade da escultura ganhar uma base fixa por sugestão de Eloisa Tregnago, autora da obra junto com Xico Stockinger.

Nessa manhã, o secretário da Cultura ficou perplexo ao descobrir que a estátua não estava na praça. “Estou surpreso. Não fui comunicado de nada”, afirmou. Gonzaga disse não entender como uma estátua com mais de 1,9 metro de altura sumiu sem que ninguém tenha visto. O secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Záchia, responsável pelas praças e parques da Capital, também não soube explicar o que havia ocorrido.

CORREIO DO POVO

________________________________

Notícia original:

Mistério envolve o sumiço de estátua de Drummond na Capital

Somente a reprodução de Mário Quintana está na Praça da Alfândega

Estátua de Drummond sumiu em Porto Alegre Crédito: Cristiano Estrela

Mistério envolve o sumiço de parte da estátua Dois Poetas, do escultor Xico Stockinger, uma das mais visitadas da Praça da Alfândega. A reprodução em bronze de Carlos Drummond de Andrade desapareceu. No local, ficou somente a escultura de Mário Quintana, sentado em um banco. Esta não foi a primeira vez que a estátua de Drummond é envolvida em polêmicas. Em 2007, o livro de bronze original que o poeta mineiro tinha em mãos foi furtado. Recentemente, pouco antes da Feira do Livro de Porto Alegre, foi atacada por uma mulher que tentava derrubá-la, mas não conseguiu. Porém, deslocou parte da base. Com isso, havia risco de Drummond efetivamente cair.

O sumiço só foi percebido na manhã de sábado por pedestres que cruzavam pelo local. Existem várias versões para o fato. Porém, ninguém soube explicar o que aconteceu. O artesão chileno Arturo Silva Diaz assegurou que a estátua foi levada para conserto. “Ninguém percebeu antes porque a obra estava coberta por um plástico”, salientou. A também artesã Beatriz Soares, porém, tem outra versão: “Foi levada pelos ladrões em uma madrugada, cerca de uma semana após o término da Feira do Livro”. O secretário municipal da Cultura, Sergius Gonzaga, ficou perplexo ao tomar conhecimento do mistério. “Estou surpreso. Não fui comunicado de nada”, afirmou.

Gonzaga disse não entender como uma estátua com mais de 1,9 metro de altura sumiu sem que ninguém tenha visto. “Se os ladrões a levaram, não existe mais. Certamente já foi derretida”, conjecturou. Mesmo sem saber ao certo o que aconteceu, Gonzaga foi enfático ao afirmar que se Drummond foi furtado, o ato “representa um atentado à memória cultural”.

O secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Záchia, responsável pelas praças e parques da Capital, igualmente não soube explicar o que ocorrera. Por outro lado, mencionou que a réplica precisava de um reparo. Um dos assessores de Záchia, porém, garantiu que Drummond não foi vítima de um ato de vandalismo. Segundo informou, a estátua foi recolhida para conserto.

Em ambas as hipóteses – furto ou conserto –, certamente alguém teria visto a réplica ser removida. Mas ninguém viu, mesmo quem assegure que a obra está em local seguro. PMs do 9º BPM, que patrulhavam a Alfândega na manhã de sábado, também desconheciam o desaparecimento. E ficaram intrigados.

Correio do Povo



Categorias:vandalismo

Tags:, , , ,

14 respostas

  1. OPS desculpe o erro de português

    Curtir

  2. PELO QUE SEI PARECE QUE TEM A VER COM O LIVRO DE BRONSE QUE TERIA SIDO FURTADO.

    Curtir

  3. Pra tu ver como a Prefeitura tá ligada na cidade.

    Curtir

  4. Comunicação interna

    Você está fazendo isso errado

    Curtir

  5. Levaram ela fazia um mês e ninguém viu nem lembrou que não tava mais ali?????

    Curtir

  6. hashuashuhuhsasausaasuash

    Que levem tudo então, entre passar vergonha de ter um monte de estatua quebrada e não ter nenhuma, prefiro não ter…

    Lamentavel.

    Ta mais do que na hora de caga a pau esses marginais, estão cada dia mais cara de pau, ja vi uns animais desses furtando fios em avenidas…. duvido que a policia tenha feito algo…

    Coisa triste..
    Pior que se pegam, direitos humanos dão um jeito neles, vem aqueles malas protetores dos pobres e oprimidos torrar o saco.

    Espero mesmo que tenham retirado pra manutenção, e ta mais do que na hora de colocar cameras de segurança, ou, pegar todas as estatuas de porto alegre e colocar em algum lugar, criar uma praça com todas elas, mas por segurança de verdade nesse local, pra ai sim não ter mais problemas com esses marginais desgraçados.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: