Expansão de shoppings se volta para a região dos Jardins em SP

Quatro novos shoppings serão abertos perto da Paulista, na região dos Jardins, até 2014. Adriano Vizoni/Folhapress

A região da avenida Paulista, em São Paulo, vai ganhar quatro novos shoppings nos próximos três anos. Com os novos empreendimentos, cresce a preocupação de congestionamentos maiores e ameaça ao tradicional comércio de rua e à qualidade do espaço público.

A informação é da reportagem de Vanessa Correa publicada na edição deste domingo. A reportagem completa está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.

Até 2014 estará pronta a Torre Matarazzo, com seus cinco pavimentos de shopping, no coração da avenida, na esquina com a rua Pamplona. A uma quadra dali, haverá ainda o complexo de hotéis de luxo, cinemas, teatro e lojas a ser construído no antigo hospital Umberto Primo.

Terreno da Torre Matarazzo, na esquina da av. Paulista com a rua Pamplona, onde haverá novo shopping Adriano Vizoni/Folhapress

A duas quadras da Oscar Freire haverá outro shopping, menor, com 60 lojas e 200 vagas de garagem, integrado ao hotel Fasano. Na própria Oscar Freire, “um grande complexo de uso misto”, que a Reud-Brazil, que toca o projeto, ainda não divulgou.

Especialistas têm opiniões diversas sobre os novos estabelecimentos comerciais. Para alguns, shoppings são uma oportunidade para levar empregos a áreas mais periféricas e evitar que trabalhadores tenham de cruzar a cidade todos os dias. Outros acham que a Paulista é o melhor lugar para comportar os novos imóveis.

O antigo hospital Umberto Primo, um quarteirão abaixo da Paulista, vai virar um complexo de lojas, hotéis de luxo, cinemas e teatro. Adriano Vizoni/Folhapress

 

UOL / FOLHA

_________________________________________

E por que aqui em Porto Alegre todo mundo é contra os shoppings hein ?



Categorias:Shopping Centers

Tags:, ,

17 respostas

  1. Gurizada, SÃO PAULO NÃO É EXEMPLO. São Paulo é caótica, cinza, não possue arborização, poluida, um dos piores exemplos de urbanismo possiveis…

    Mas não, os PROVINCIANOS desse blog (não todos, diga-se) adoram usar qualquer exemplo, mesmo que seja MUITO MAL SELECIONADO, pra comparar com PoA e lamentar, sempre lamentar.

    Esse blog precisa mudar o foco, perdeu MUITA qualidade nos últimos meses, principalmente por conta dessas “comparações” com outras cidades.

    Barcelona, Buenos Aires, Montevideo, Chicago… isso é exemplo, SÃO PAULO É LIXO.

    Curtir

  2. A questão não é ser contra a construção de Shoppings e sim com relação a falta de planejamento, em que são construídos espaços em locais que não suportam a demanda, experimente morar próximo a um shopping para ver o caos que se forma na área do entorno.

    A construção de Shoppings deveriam levar em consideração os impactos ambientais provocados pelos mesmos em áreas que não suportam, em que os proprietários e moradores próximos não participam das discussões, em que o erário público municipal autoriza sem levar em conta várias considerações, o que importa é a a construção e geração de empregos.

    Curtir

  3. Ninguém de sã consciencia é contra estimular vida na ruas. As ruas da zona sul do Rio, por exemplo, são um espetáculo pelo que oferecem de atrações, vida, lazer, 24 horas por dia.

    Mas há espaço pra tudo. Eu, por exemplo, ADORO ir nos shoppings de Porto Alegre quando o sol amazônico tá castigando com quarenta graus.
    E também ADORO ir em shopping quando tá 10 graus com vento, quando não pára nunca de chover no inverno, aquela chuva que cai deitada por causa do vento forte e frio… Aí o shopping é a salvação da lavoura ! Nessas situações eles são os únicos lugares onde dá pra andar e fazer algo. Por isso eu ADORO SHOPPING.
    E não é por isso que deixo de reindivicar ruas bonitas e com vida ou uma orla decente e bonita, por exemplo. Quero tudo isso pra minha cidade, e que bom que ela tem vários shoppings: METRÓPOLES tem que ter TODOS os tipos de opções e conveniências SIM.

    .

    Curtir

  4. Será que estamos em 2011?? Custo a crer, dada a quantidade de gente que não dá a mínima para o meio-abiente (urbano ou natural) e ainda hoje consegue atacar qualquer atitude conservacionista com os bordões ultrapassados e ignorantes como “eco-xiitas” ou “eco-chatos”. Parece que este blog é visitado por leitores da Veja dos anos 80. Acho lamentável uma area, e um prédio histórico como o hosptial Umperto Primo, mostrado na foto, dar lugar a mais um shopping em uma zona já completamente saturada de São Paulo. Fazer o que, tem gente que acha o Shopping Cidade Jardim um luuuucso, um magavilha pós-moderna-neo-classica.

    Curtir

    • Fred, o blog é visitado por vários tipos de pessoas, realmente. Mas ele tende a ser plural justamente com a contribuição de todos. Não basta ouvir apenas um lado, precisamos de todos. O que seriam dos ecoxiitas se não fossem os leitores da Veja e vice-versa?

      Como representante da ala mais ecoxiita, eu digo que esse espaço é mais democrático para se discutir sobre a cidade na atualidade.

      Curtir

      • Aqueles que defendem o meio-ambiente estão muito radicais atualmente. O que vemos aqui é uma reação contrária a isso.

        Deve-se chegar a um consenso: nem a proibição de novas edificações, nem a construção desenfreada em todo o lugar. Hoje em dia, já há avançados estudos que visam diminuir o impacto gerado por novas construções, bem como a existência de diversas instituições internacionais para certificar construções verdes.

        Curtir

        • Caue, leitor da Veja até eu sou, mas esse papo de exochato já morreu no século passado. Claro que existem radicais, mas em todos os grupos. Sou frequentador esporádico do blog, e parabenizo a iniciativa, mas lamento a visão estreita do blogueiro e de seus seguidores. São Paulo está aí para nos mostrar o que não devemos fazer.

          Curtir

  5. Apesar de algumas críticas, reconheço que este blog tem um papel importantíssimo, além de ser um bom centro de notícias sobre a cidade. É justamente pelo valor que tem que acredito que possa ser melhor. Que possa ser mais educativo, mais esclarecedor e menos partidário.

    Curtir

  6. Pelo que eu entendi, reclamam bastante dos shoppings na reportagem. Em São Paulo acredito que eles sejam tão não-bem-vindos quanto aqui. Shopping era uma amostra de desenvolvimento até a década passada, mas agora significa degradação de uma área para melhoria de outra. Não vale a pena. Por que tantos portoalegrenses amam ir a Gramado? Porque lá eles vivem a cidade – caminham nas ruas, visitam as lojas, e não se trancam em ambientes fechados e sem luz natural. Porto Alegre já tem shoppings de mais. Ao invés de construir mais, por que não ampliar os já existentes? Lembrem-se também que grande parte da degradação do Centro se deve a construção desses centros comerciais.

    Curtir

    • Se as pessoas vão aos shoppings, é por que gostam dos shoppings…
      Por que sera que vivem lotados?

      Gramado não tem 40 graus no verão, as pessoas vão duas ou três vezes por ano la, ai é facil andar nas ruas, quero ver é fazer isso todo dia numa cidade com ladeiras e um calor infernal.

      Nosso centro virou o que é por que botaram todos os onibus pra la, o povo da periferia que vai em peso pro centro não vai comprar carro ou roupas de marcas, por isso que o que tem la são só os 1,99.

      Moinhos tem seus shoppings e tem um bom comercio de rua, a Nilo tambem tem, existem varios lugares… se é a preferencia da população, os empresarios vão investir, e querer forçar com que um povo deixe de usar um tipo de centro de comprar por que não conseguem “viver” a cidade é palhaçada.

      Curtir

      • Não gostaria de ir SEMPRE em shoppings, mas fazer o quê se as lojas que eu gosto estão la dentro? Eu preferiria sim ter um espaço mais agradável na rua e competitivo em relação ao shopping.

        E também acho que esse padrão caixote de shopping que existe aqui é de um senso estético e urbanístico degradante.

        Mas gostei da tua ideia de reformar casarões antigos para abrigar algumas lojas estilosas no centro.

        Curtir

    • “Lembrem-se também que grande parte da degradação do Centro se deve a construção desses centros comerciais.”

      Isso é o mesmo que dizer que um grande consumo de cerveja provoca um verão.

      É inverter causa e conseqüência.

      Curtir

      • Discordo, um dos problemas do centro foi a imensa concentração nas construções com uma malha viária que não comportava muito trânsito de pessoas e que ainda tem que competir com automóveis.

        Claro, o fato do nosso centro ser num canto e os proprietários dos imóveis não se preocupam nem um pouco em manter o ambiente num mínimo de conservação não ajudou em nada.

        Curtir

  7. “Porque em POA isso, porque em POA aquilo… Lá é melhor, aqui não…”

    Porque o Portoimagem gosta mais da provocação do que da discussão? Ou às vezes de comparações vazias? Alguns blogueiros daqui não perdem em nada para os eco-xiitas e os esquerdistas loucos.

    Se o urbanismo das cidades fosse mais atraente, limpo, organizado e eficiente, talvez não tivéssemos essa necessidade tão grande por blocos gigantes de concreto, os shoppings, que apartam os consumidores do resto do mundo real. Porque não fazemos da nossa cidade o verdadeiro e atraente shopping center que tanto estimamos?

    Curtir

  8. Porto Alegre é uma cidade perfeita pra shoppings.

    Não tem como sair no verão com 40 graus de temperatura andando pelas ruas de loja em loja, é sofrer…
    No inverno pegando 10 graus tambem…. sem condições…

    Na minha opinião, se eu tivesse grana e fosse investir nisso, compraria varios prédios antigos e faria deles um shopping, tipo, a fachada ia se manter, por dentro, iria abrir tudo e fazer as lojas, corredores e tudo mais…
    Mas claro, pra isso acontecer, teria de ser numa região com uma boa sequencia de prédios antigos, de preferencia no centro.
    Dava pra fazer passagens subterraneas, praças de alimentação em algumas areas e coisas do tipo…
    Quem passa pela rua ve as vitrines, quem quer comprar, entra e seja feliz no ar.

    Curtir

  9. Acho que shopping depende muito do bairro. Por exemplo, não imagino um shopping no Bom Fim ou na Cidade Baixa, já que são bairros de ruas estreitas e que oferecem inúmeras opções de comércio e serviço. Shoppings são mais a cara da Zona Norte mesmo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: