‘Orla do Guaíba vai se tornar um grande parque’, afirma Lerner

Desejo de grande parte dos porto-alegrenses, a revitalização da orla do lago Guaíba deve se tornar realidade ainda no primeiro semestre de 2012. Na sexta-feira, o prefeito da Capital, José Fortunati, assinou o contrato para a criação do Parque Urbano da Orla do Guaíba. A obra compreenderá uma extensão de 5,9 quilômetros, entre a Usina do Gasômetro e o arroio Cavalhada, em frente ao BarraShoppingSul. Entre as melhorias estão previstas as construções de um terminal para barcos de turismo, calçadão, ciclovia, banheiros, quadras esportivas, instalação de bancos e quiosques, entre outros. O arquiteto escolhido foi o ex-governador do Paraná Jaime Lerner, um dos mais renomados urbanistas do País e atualmente consultor da ONU nesta área. Ele falou entusiasmado sobre o desafio de revitalizar um dos principais cartões-postais do Estado, além de se considerar privilegiado por fazer parte de um momento histórico da cidade.

Jornal do Comércio – Como se dará a obra de revitalização da orla do Guaíba?

Jaime Lerner – O primeiro item é acrescentar a Porto Alegre um grande parque urbano, que tenha continuidade e possa fazer parte da vida diária da cidade. Não é só a possibilidade de caminhar pela orla ou apreciar a vista extraordinária do local, mas sim a utilização do espaço. Poucos lugares podem dispor de um parque de 60 hectares, sendo assim, o que nós queremos é trazer o porto-alegrense para viver esse espaço, o que hoje em dia é pouco utilizado, a não ser percorrer a orla, mas não usar o parque no seu dia a dia.

JC – Onde será feita a primeira parte do projeto?

Lerner – A primeira etapa das obras será realizada no trecho entre o Gasômetro e a primeira curva da avenida Beira-Rio, uma área com pouco menos de um quilômetro, ou 6,7 hectares, o que já pode ser considerado um parque bem grande. Nós queremos dar a possibilidade de as pessoas chegarem perto da água. Hoje, ninguém se atreve a chegar perto do Guaíba. Nós temos um belo pôr do sol e depois o que acontece? O que nós queremos é a utilização plena dessa área. Temos que entrar com outras atrações que deem continuidade ao deslumbramento oferecido pelo pôr do sol. Isso vai ser importante no lazer, no prazer e na autoestima do porto-alegrense.

JC – Como serão as próximas etapas?

Lerner – Essa primeira etapa nos permitirá saber como será o restante do processo de revitalização. É um plano conceitual que vai seguir algumas diretrizes, envolvendo um grande grupo de profissionais (funcionários da prefeitura se somarão à equipe do arquiteto) que conhecem bem Porto Alegre e vão nos ajudar nesse projeto.

JC – Como o senhor vê esse processo de revitalização de uma área tão importante da Capital?

Lerner – Eu espero que a gente consiga corresponder à confiança do povo de Porto Alegre, num projeto que eu acho fundamental para a cidade. Queremos desenvolver uma integração do parque com o Centro e com os bairros próximos. Por ser um parque grande, essa área corresponde em importância ao aterro do Rio de Janeiro. Tem que ser feito com muito cuidado e incorporar a identidade do povo de Porto Alegre nesse espaço.

JC – O que o senhor poderia adiantar sobre o projeto?

Lerner – Seria leviano (adiantar informações) porque nós estamos começando hoje (sexta-feira passada) a trabalhar. Cada município tem suas características e este será um espaço único, que irá diferenciar Porto Alegre de outras cidades de frente para a água. As condições de paisagem que estão aqui são fundamentais para o desenvolvimento dessa revitalização. Nós queremos que seja um parque usado pela população.

JC – Qual será o custo total do projeto?

Lerner – Primeiramente, cada etapa será detalhada e só a partir daí teremos noção do valor da obra.

Deivison Ávila – Jornal do Comércio



Categorias:Projeto de Revitalização da Orla

Tags:,

38 respostas

  1. Ótima ideia de revitalizacao da orla, mas nao adianta revitalizar,reformar ou restaurar as coisas pra depois ser jogada as trassas. É pressiso aumentar a seguranca e a vigilancia em locais publicos porque quase tudo que é aberto ao publico é depredado,sujo,mau cuidado,é ponto de droga e prostituicao e cheio de mendigo.Quanto a sujeira,as pessoas pressisam saber cuidar porque nao adianta querer as coisas pra depois nao cuidar.Eu nao estou generalizando mas as coisas sao assim.

    Curtir

  2. Falaram antes que derrubaram não sei quantos prédios de uma area degradada de NY para fazer o Central Parque.

    Construir alguns prédios no marinha seria destruir algumas areas degradadas de Porto Alegre para dar vida para um novo parque que vai ser feito na orla.

    Mas não adianta, ninguem vai entender que precisamos de residenciais na orla para salvar esse novo parque.

    Curtir

  3. Guilherme…falou tudo, só nao enxerga quem a paixao pelo radicalismo se sobressai a obviedade!!!

    Eu frequento o marinha, pois é caminho para as minhas corridas na orla e sei o que é aquela selva urbana!!!

    Uma mistura de parque, com prostitutas, mendigos, crackeiros, pedintes e gente do bem como eu e todos que passam lá para curtirem o parque.já fui asaltado ali, já discuti com flanelinha, enfim, exemplos tenho de sobra para citar…

    Se o governo nao é capaz de melhorar a área, que faça uma parceria com a iniciativa privada para criarmos vida no marinha e acabar com o cenário atual do parque…

    O exemplo do central park é valido para governos pró ativos, o que não é o nosso caso que desde a inauguração do marinha, nada mudou…

    Curtir

  4. Exato, belos prédios, mas não estilo bela vista, ali é uma bela area, tem que ser algo bonito e chamativo, não uma coisa que tem aos montes na cidade.

    Pra ir ate o marinha o cara precisa passar por grandes avenidas, um shopping, terrenos e outras coisas..

    Nesse caminho, no sol ou no frio, o cara corre o risco de ser assaltado e atropelado.

    Pra que ir sofrer no marinha se tem o praia de belas com ar?
    Da pra tomar um chope ou um mate ali, e dar uma olhada nas lojas.
    Pra que ir no marinha correr o risco de ser assaltado?
    Ou pagar uma grana pros flanelinhas? Ou ter a bike roubada?

    É muito parque pra pouca gente, pouco interesse e pouca coisa pra fazer.

    Com tanto espaço e matagal e um minimo de gente, por que não fumar crack la?
    Bem mais seguro pra quem fuma crack…

    Mas algumas pessoas sonham muito, vivem no mundo dos ecologistas gauchos.. haha
    Acham que é só fazer a cidade virar um parque gigante que tudo fica perfeito..
    haha

    Curtir

  5. Eu não entendo como a discussão foi pro lado dos prédios, mas desativar o Marinha não vai transformar um deserto num lugar cheio de gente. O Menino Deus é bem populoso já.

    Curtir

    • Felipe, o Menino Deus nao está integrado ao Marinha e à orla, estando separado deles por duas grandes avenidas, a Praia de Belas e, especialmente, a movimentada Borges de Medeiros, bem como, quanto à orla, a própria grande extensao do Marinha contribui para separá-la do Menino Deus, já que torna a regiao pouco movimentada de transeuntes. O parcao é bem mais integrado ao seu bairro e à cidade, pois é cercado por prédios e gente por todos os lados.

      Nesse sentido, concordo com o pessoal que mais prédios no lugar do Marinha teriam dado mais vids e expressividade à nossa orla, como no caso de Montevidéo e até mesmo do Rio, onde muita gente vai pra orla apenas para correr ou caminhar. Todavia, isdo deveria ter ocorrido antes. É inconcebível que parques dêem lugar à prédios, quando o mundo inteiro faz o contrário há décadas, vide o caso do Central Park de NYC, que pôs abaixo mais de 20 quarteiroes decadentes de Manhattan. O caminho nao é eliminar o já consolidado Marinha e, sim, tentar qualificar a orla para tornar tanto ela quanto o parque marinha mais frequentados. Para tanto nao precisaria derrubar o Marinha, mas concordo que colocar bancos coloridos e lixeiras naos sao atrativos suficientes para tanto. Por isso o conceito apresentado pela Hype para o Inter era bom, apesar de ilustrativo, pois sugeria marinas, píers, trapiches, comércio, bares, restaurantes, o que teria grande poder de atraçao sobre as pessoas. Prédios por ali só teriam sentido hoje em dia na área da escola de samba, lava-jato e etc e na área do Pontal, nao no Marinha. Originalmente teria sido bom prédios onde está o Marinha, mas hoje seria um absurdo destruí-lo ou diminuí-lo.

      Essa idéia de prédios integrados à orla, como no Rio e em Montevidéo, é plenamente válida para regioes subaproveitadas, como Belém e Serraria, mas nao mais para a regiao do Marinha. Nao gostaria de ver o Marinha substituído por meia dúzia de blocoes Goldsztein ou Rossi.

      Curtir

      • “Todavia, isdo deveria ter ocorrido antes. É inconcebível que parques dêem lugar à prédios, quando o mundo inteiro faz o contrário há décadas, vide o caso do Central Park de NYC, que pôs abaixo mais de 20 quarteiroes decadentes de Manhattan. O caminho nao é eliminar o já consolidado Marinha e, sim, tentar qualificar a orla para tornar tanto ela quanto o parque marinha mais frequentados.”

        Chegou a me dar um alívio ler isso!
        Um dos poucos que pensam e que tem dose de bom senso!

        O Marinha acho que não pega a 1a etapa fo projeto do Lerner… mas tenho quase certeza que ele vai fazer uma proposta pra auxiliar a integração com a orla! Senão, não teria porque contratar um arquiteto… era só deixar a cargo da Smam/Smov por piso de concreto e banquinhos coloridos.

        Curtir

    • Acho que até entendo teu ponto, mas acho que o Marinha não é mais frequentado mais por uma questão de preconceito social do que qualquer coisa. Bem ou mal ele é o parque central mais frequentado por catadores e afins. Não me entendam errado, eu vou lá de vez em quando e vejo eles por lá sem problemas, mas canso de ouvir gente dizendo que não vai lá por que “é chinelagem e toda hora tem gente sendo assaltada ali”.

      Sabe como é né, um assalto no Marinha é culpa da chinelagem que frequenta ali, no Parcão é por que a cidade toda tá uma m*.

      Em relação a teu comentários das construções da Golstein e Rossi no Marinha… acho que seria um crime substituir aquele parque por estes blocos genéricos que fazem aqui em POA. Aposto que os pró-torres sonham em ver prédios no estilo do Bela Vista ali, mas duvido que seria o caso.

      Curtir

  6. Se pah o pessoal anda jogando muito Sim City !!!! kkkkk

    Curtir

  7. É uma dificuldade imensa para alguns entenderem que uma região de uma cidade não sobrevive sem PESSOAS. Se não fossem as pessoas, não haveria cidade. Tão simples, e tão difícil de entender. Portanto, esta área deve ser ocupada por pessoas, para trazer vida ao local.

    Olhem o Centro, o 4º Distrito, as grandes avenidas… nelas praticamente não há residências, não há pessoas morando nestes locais, e consequentemente são as áreas mais degradadas da cidade. Simples.

    Curtir

  8. Tambem acho que com toda essa obra, o marinha poderia ganhar alguns prédios, mas não qualquer prédio, uns belos prédios, diferenciados, de preferencia que virem atrações turisticas…

    Curtir

  9. Nao gostaria de ver prédios altos ali, pois entendo que aquele trecho da orla já está consolidado assim como está, sendo de lazer. Talvez apenas alguns na área da escola de samba vizinha ao Beira-Rio, desde que nao interfiram no belo skyline que se tem di Guaíba e do Centro de Poa quando se está descendo a Pinheiro Borda rumo à Padre Cacique. Todavia, queria e esperava mais sim. Algo parecido com o projeto da Hype Estúdio pro Inter. Um projeto com marinas, piers, trapiches, fontes, bares, quiosques, restaurantes, em complementaçao ao Cais e até mais integrado à cidade di que ele, sem o muro e o concreto da Mauá. Falta de competência e amadorismo de quem administra. Canchas nos já temos as da Pepsi, bem como já temos o Marinha e o Harmonia por ali. Será que será algo efetivamente pra curtir e utilizar ou só pra passar de carro e ver de dentro do automóvel?

    Curtir

  10. seria interessante desativar o marinha e construir edificios comerciais e residencias na area, já que será construido um parque na orla do guaiba e assim nao perderiamos o por dos sol e outros bla bla blas que os ecoxitas tanto defendem….

    Curtir

    • Eu li bem? “Desativar o Marinha”

      Jesus…

      Curtir

      • Isso mesmo. Mas não se alarde. Construiriam terraços pro pessoal poder continuar fumando maconha enquanto assiste o por do sol.

        Curtir

        • Ah então a tua ideia é “desativar” todos as áreas verdes de POA por causa dos maconheiros…

          … tenha dó meu caro!
          Como se fosse só em área aberta que tivesse o problema. Eles fumam debaixo do nariz da BM e nunca acontece nada.

          É cada uma que tem que ler que dói na alma!

          Curtir

      • Adrino, post mais preconceituoso da thread, parabéns.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: