HIDROVIA: Roteiro para a zona Sul da Capital tem três interessados

O ano de 2012 promete ser promissor para o transporte hidroviário urbano na Capital. Após a abertura da manifestação de interesse pela prefeitura, três empresas já buscaram o edital para a travessia entre e a região central e a zona Sul de Porto Alegre.

Na manhã de ontem, na Câmara de Vereadores, a Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) recebeu o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, e o diretor de Operações da CatSul, Carlos Bernaud, empresa responsável pelo serviço entre Guaíba e Porto Alegre. Eles avaliaram o serviço já existente e projetaram alguns pontos para os próximos trajetos, que além de facilitar a mobilidade urbana, pode se tornar atração turística.

O projeto preliminar para a nova linha conta com 12 pontos de embarque e desembarque de passageiros. O transporte atenderá a áreas de grande circulação de pessoas, entre elas, a futura Arena do Grêmio, o Cais Mauá, o complexo Beira-Rio, o Museu Iberê Camargo, o BarraShoppingSul, a praia de Ipanema, a Vila Assunção, e os bairros da Tristeza, Ponta Grossa, Belém Novo e Lami.

Bernaud explicou que os números obtidos em 54 dias de operação da travessia Porto Alegre-Guaíba são animadores. Já passaram pelo catamarã 110 mil pessoas. Ele informou também que entre 400 e 500 veículos deixam de circular nas estradas diariamente, desafogando o trânsito entres as duas cidades. “O que mais chama a atenção das pessoas que utilizam o serviço é a rapidez do transporte. Os estacionamentos estão sempre cheios. Algumas pessoas estão preferindo utilizar o lago”, considera o diretor da CatSul. A empresa está analisando as futuras linhas para decidir se participa ou não do processo licitatório.

Em relação às tarifas, para Bernaud os valores não devem fugir muito do que é cobrado no atual trajeto – atualmente, o valor promocional é de R$ 6,00 o trecho. “A distância da Capital até Guaíba é equivalente ao trajeto do Centro à praia de Ipanema”, informa. Caso esse valor seja mantido, se torna uma boa opção para quem utiliza o serviço de uma lotação, que custa hoje R$ 4,00 o trecho, como avaliou o presidente da Cosmam, vereador Dr. Thiago Duarte (PDT).

Duas empresas de São Paulo e uma de Belo Horizonte já solicitaram o edital para propor os serviços de transporte hidroviário. Cappellari prevê que no primeiro trimestre de 2012, os porto-alegrenses poderão contar com os catamarãs. “Caso haja uma empresa interessada para operar no Guaíba, a prefeitura poderá autorizar a utilização por um período experimental de 365 dias”, informa o diretor da EPTC.

O vereador Beto Moesch (PP), que será presidente da Cosmam no próximo ano, acha importante que prossigam os trabalhos em cima da implantação de novas linhas. “É mais importante que se criem opções para as pessoas abandonarem seus veículos, do que investir em alargamento de ruas”, sinaliza o parlamentar.

Jornal do Comércio



Categorias:hidrovias

Tags:,

2 respostas

  1. Esse modal de transporte não irá competir diretamente com o Aeromóvel, se este for construído conforme o projeto da Prefeitura?

    Curtir

  2. Oba, poderemos ter concorrência entre as empresas.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: