P-55, negócio de R$ 1,7 bilhão, já está em Rio Grande

Casco da P-55 chega hoje

Estrutura que entra em Rio Grande ainda pela manhã deverá ficar pronta até o final deste ano

Plataforma construída no RS será usada no Campo de Roncador, no estado do Rio Crédito: divulgação / petrobras / cp

A o casco da plataforma P-55 chega à área de Rio Grande hoje por volta de 5h. E a operação de entrada no porto rio-grandino deve começar às 6h, com previsão de entrada nos Molhes da Barra às 8h.

Conforme detalhou o plano apresentado pela Praticagem da Barra em reunião na Superintendência do Porto de Rio Grande (Suprg) na quinta-feira, são necessárias sete horas e meia para a operação de ingresso. Para a entrada no porto, o casco é conduzido por dois rebocadores oceânicos e quatro portuários.

A estrutura saiu de Pernambuco no dia 22 de dezembro em direção a Rio Grande, puxada por dois rebocadores oceânicos. Ao ingressar no porto, ancora no cais Sul, no Estaleiro Rio Grande (ERG1), onde passa por um processo de liberação alfandegária e por uma posterior preparação para o “mating”, que é união do deckbox com o casco. A previsão da Petrobras é de que na última semana de fevereiro o casco entre no dique seco para ser unido ao deckbox (convés).

A P-55 deverá ficar pronta em dezembro deste ano. Trata-se de uma plataforma do tipo semissubmersível. Será a maior desse tipo construída no Brasil e vai atuar no Campo de Roncador, localizado na Bacia de Campos, na costa Norte no estado do Rio de Janeiro.

A plataforma é destinada à produção de 180 mil barris de óleo por dia e, junto com o petróleo, deverá produzir 4,5 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Em sua construção, será investido um valor entre 1,5 bilhão e 2 bilhões de dólares.

Correio do Povo

____________________________________

P55, negócio de R$ 1,7 bilhão para Rio Grande, já está no litoral do RS

Já está no litoral de Rio Grande, RS, o casco com quatro torres da P-55, que dentro de 40 dias receberá os equipamentos que a transformarão na maior plataforma semissubmersível brasileira para exploração de petróleo.

O casco construído em Pernambuco, 17 mil toneladas, 94 metros de largura e 16 de altura, será içado no Estaleiro Rio Grande para os serviços em dique seco.

A P-55 custará R$ 1,7 bilhão à Petrobrás, apenas para o ERG. Ela começará a operar em junho na Bacia de Campos, podendo extrair 180 mil barris por dia.

Rio Grande já entregou a plataforma P53. No momento, constrói a P51.

Políbio Braga



Categorias:Economia Estadual, Polo Naval de Rio Grande

Tags:, , ,

%d blogueiros gostam disto: