Concurso internacional de arquitetura abordará Ilha do Pavão

A Ilha do Pavão é tema do Concurso Internacional dos Estudantes de Arquitetura. A iniciativa integrará as atividades do 2º Congresso Internacional de Sustentabilidade e Habitação de Interesse Social (2º CHIS) que será realizado de 28 a 31 de maio, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). O concurso é aberto a equipes formadas por estudantes de graduação de todo o mundo e não há obrigatoriedade de orientação das equipes por professor. O trabalho enviado ao concurso deverá ter seus autores registrados no Formulário de Registro e Cessão de Direitos Autorais. A comissão organizadora informa que, caso o trabalho conte com professor orientador, a informação deverá constar no formulário.

Além disso, cada membro da equipe necessitará demonstrar sua condição de estudante, o que poderá ser feito por meio de documento acadêmico comprobatório atualizado. O recebimento do trabalho está condicionado ao envio dos documentos especificados no Edital. O júri será constituído por arquitetos e professores arquitetos de renome nacional e internacional. O prazo final para envio dos trabalhos é 30 de abril de 2012.

O 2º CHIS é organizado pelo Núcleo de Pesquisa em Habitação de Interesse Social e Sustentabilidade da PUCRS vinculado à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). O congresso caracteriza-se como evento internacional técnico-científico que aborda questões sobre políticas públicas na área da Habitação de Interesse Social e os eixos norteadores da sustentabilidade.

Área de intervenção – A área da Ilha do Pavão, proposta para o Concurso Internacional de Estudantes, consiste em setor não urbano localizado às margens da rodovia federal BR 116/BR 290, com ocupação desde a década de 1940, e acelerado fluxo migratório com expansão da população em 48,5% entre 2001 e 2011. Cerca de 53% dos moradores são de Classe D e mais de 23% deles pertencem à classe E, segundo levantamento elaborado em 2011 pela Concepa.

Pela sua localização às margens do Lago Guaíba, a Ilha do Pavão possui grande valor paisagístico e apresenta potencialidades turísticas e de ocupação para privilegiar relações sociais, com condições de sustentabilidade ambiental, social e econômica. Sujeita a inundações sazonais, atualmente a área encontra-se ocupada por edificações precárias, barracos de madeira com condições sub-humanas de vida e provida de mínima infraestrutura de redes públicas de água potável e eletricidade.  Trata-se de setor que experimenta constante tensão social, dada à localização em faixa de domínio público e à proximidade ao leito da rodovia de intenso fluxo de veículos, que, apesar do fácil acesso à Capital, representa iminente insegurança às pessoas. A produção habitacional sustentável, a inserção de equipamentos públicos e a qualificação dos espaços abertos, neste contexto, representam um desafio complexo. Pressupõe preservar os recursos ambientais, mas, fundamentalmente, também assegurar condições de vida digna à população da região. A visibilidade do setor ocupado, inserido na ampla paisagem das ilhas do Parque Estadual Delta do Jacuí, fazem da Ilha do Pavão uma região estratégica para a formulação de propostas inovadoras, que contemplem diferentes dimensões urbanas, sociais e ambientais.

Prefeitura



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:,

5 respostas

  1. Maquiar o pobrerio dando uma fachada pseudo-sustentável ao invés de acabar com as invasões das áreas de risco é “solução”? Só nesse país da carochinha em que vocês, teóricos de boteco, vivem… valha-me! Conversamos depois da próxima enchente do Guaíba. 🙂

    Curtir

  2. Acredito que criticar seja uma solução muito fácil! Antes de criticar o método dos concursos estudantis, você deveria ao menos tentar participar de um, ou encontrar você uma solução viável para pessoas que não tem condição de uma melhor condição de vida!
    Este é um concurso onde surgirão as mais variadas ideias para que problemas sejam melhorados!
    Então caro amigo, te mexe e faz alguma coisa antes de falar do Brasil!

    Curtir

  3. Santa ignorância mesmo!
    A intenção é fortalecer o desempenho acadêmico de tal forma que a habitação seja, digna e saudável, através da sustentabilidade!

    Não há espaço para porcos políticos nesse espaço.
    Grato

    Curtir

  4. Santa ignorância… Trata-se de um CONCURSO DE IDEIAS DE ESTUDANTES, sobre questões sustentáveis, de modo a criar uma correlação entre a habitação segura no local com a preservação do meio ambiente e aproveitmento do potencial turístico. Um desafio de cunho didático e acadêmico, buscando uma forma de respeitar o caráter ambiental do local e solucionar de forma sustentável, dando relevância às relações sociais e comunitárias, as questões de habitação na Ilha do Pavão.

    O Brasil precisa de mais concursos de ideias como este e menos pessoas desiinformadas!

    Curtir

  5. Fantástico. Ao invés de fiscalizar e reprimir a invasão das áreas públicas e de risco, restringindo a ocupação de uma área absolutamente imprópria para urbanização e sujeita a frequentes cheias (= custos milionários de resgate, alojamento, relocação, reconstrução etc. etc. dentro do habitual esmolismo estatal) vamos maquiá-las através de concurso, abusando, mais uma vez, do maldito vocábulo “sustentável” pra servir de fachada… realmente… que país que não tem jeito mesmo! 🙂

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: