Revitalização da Praça Otávio Rocha segue

Segue a todo vapor a revitalização da Praça Otávio Rocha, no Centro Histórico, inclusive com a retirada de duas árvores de grande porte, responsável por extensa sombra na praça o que atrai marginais e faz com que se torne perigosa. Parabéns a Prefeitura por mais esta iniciativa.

Vamos ver como ficará o resultado final.

Veja as fotos tiradas hoje, 17/01.

Fotos: Gilberto Simon

Reproduzo os meus comentários aqui no post:

NINGUÉM frequenta aquela praça, há décadas. Ela tá abandonada. Totalmente abandonada. Agora, a prefeitura trata de revitalizá-la, corta uma árvore pra trazer de volta o paisagismo da década de 30, como está fazendo com a praça da Alfândega e todo mundo reclama. Como se frequentassem a praça !!!! Como se alguém fora os mendigos frequentassem essa praça. QUE HIPOCRISIA GENTE !!!!!!!!!!! A praça vai ficar muito melhor, não se atenham a este detalhe. Não sejam sentimentalistas, piores que os ecoxiitas!!! Meu Deus !!! Achei que este blog era frequentado por pessoas pra frente !

_____________________

Parabéns pra prefeitura que ta tendo coragem de mexer no paisagismo antiquado que vigorou por décadas na cidade, época em que não se podia tocar nas árvores. PARABÉNS FORTUNATI !!! Todo mundo sabe que plantas não sentem, não tem dor. Então não tem problema em cortá-las SE SE REPLANTAREM VÁRIAS OUTRAS ÁRVORES. Até mesmo em outros lugares. Isso é ecologia. Lamentar a perda de uma árvore é sentimentalismo que não leva a lugar algum, ainda mais se esta árvore for no meio do centro de uma metrópole de 4 milhões de habitantes e o local estiver abandonado, entregue as traças. Pensem um pouco !!!!
Será que vão reclamar quando retirarem os maricás da orla, que impedem de vermos o Guaíba ? Me avisem !



Categorias:Parques da Cidade, Revitalização do centro

Tags:, ,

85 respostas

  1. Para trazer a Praça Otavio Rocha para a “década de trinta” terão que demolir aquele estacionamento horrivel que existe na Sr. dos Passos e reconstruir a Igreja que deu lugar a ele. Tambem demolir o Plazinha, e outras construcões que não existiam na tão citada década. A praça ficou neste estado deplorável porque não houve manutenção, ninguém se importou durante anos. A cidade esta abandonada, não existe previsão, prevenção nem manutenção em nada, tudo esta deteriorado. Agora querem voltar para a ” década de trinta “, quem de nós que aqui deu seu recado é da “década de trinta” ou curtiu como jovem ou adulto esta década, e os automóveis?, na década de trinta eram pouquíssimos. Logo, logo ela estará abandonada de novo, alguma dúvida? Eu não tenho nenhuma. Quem será que vai frequentar a praça agora? Acredito que todos aquêles que estão à favor e contentes com a remoção da árvore que cresceu justamente pelo abandono. Eu irei apenas para tirar umas fotos para comparar em como ela estará daqui ha apenas 1 ano.

    Curtir

  2. Quando olham fotos antigas da Praça Otávio Rocha, é tudo maravilhoso, lindo e “bons tempos que não voltam mais”.
    Agora que o pessoal da prefeitura tá se mexendo para tirar aquela floresta que só juntava sujeira e trazer novamente a praça para a década de 30, ficam de mimimi dizendo que não devem mudar e tal.

    Povo contraditório é dose.

    Curtir

  3. Que visão mais estreita a tua Julião, não comparecestes a aula onde aprendemos que precisamos das árvores para viver e purificar o ar.

    Curtir

  4. Gilberto, depois de ler todos os seus comentários e opinião sobre a restauração da praça, vejo o quanto você é bitolado a respeito de corte de árvores. Se você nunca passou pela praça, porque comentar sobre ela? Retirar as árvores elimina a marginalidade, melhora a fachada dos prédios do entorno, dá mais segurança para a população? Isso é piada, e de mau gosto. Será que a prefeitura está realmente engajada para dar segurança no centro da cidade, na área denominada Centro Histórico? Já se perguntou quantos hidrantes a prefeitura está instalando próximo aos prédios antigos da cidade? Em como os caminhões do corpo de bombeiros conseguem acessar as ruas estreitas e cheia de obstáculos do nosso Centro Histórico que está sendo “revitalizado”? O centro da Capital está a cada dia mais quente, a cada dia mais aparelhos de ar condicionado e outros equipamentos são instalados em seus prédios, mas a fiação antiga de décadas atrás também está acompanhando essa evolução? Está sendo dimensionada corretamente para evitar superaquecimento e curto circuíto? Onde está o PPCI (plano de prevenção contra incêndios)? Quem realmente está lucrando com a derrubada das grandes árvores da cidade para substituição por arbustos? É a população ou os empresários?

    Curtir

  5. No final da tarde de hoje uma menina morreu atropelada por um ônibus no corredor da Av. João Pessoa, em frente ao Colégio Júlio de Castilhos. Isso sim me entristece, pois com certeza era uma pessoa verdadeiramente insubstituível.

    Curtir

  6. Já que tem tanta gente preocupada com arvores em espaços urbanos e poucas pessoas preocupadas com fazendas em espaços destinados a florestas sugiro que estes grupos sejam transferidos para a amazônia, quem sabe assim possam garantir que as árvores sejam preservadas lá, porque duvido que todos esses chatos que estão reclamando aqui assistem ou acompanham os mapas do desmatamento.

    Curtir

    • Pois é, enquanto aqui estão chorando pela derruba de uma árvore, na Amazônia estão derrubando milhares, todos os dias, e não existe uma mobilização nas mesmas proporções.

      Curtir

    • Não achei que fosse necessário explicar isso, mas eu, e acredito que todos os outros que não gostaram desse ato da SMAM, estão preocupados é com a qualidade de vida no centro da sua cidade, Porto Alegre, e não com qualquer árvore, em qualquer lugar. Embora uma coisa não impeça a outra, estamos falando aqui de uma árvore em um lugar específico, não de “árvores”.

      Curtir

  7. Isso não é hipocrisia como dizem alguns. É que dói muito ver uma árvore tombar em nome de “progresso” e “revitalização”.

    Curtir

  8. Está resolvido, se arvores atraem marginais, basta cortar todas as árvores do rubem berta em Porto Alegre. E todo os marginais sairão de lá tornando o lugar ensolarado e seguro.

    Curtir

  9. O sonho da minha vida é comprar um sítio com muitas árvores, o máximo de florestas possível, Se tiver poucas árvore, plantarei novas. Só vou usar uma clareira para erguer uma bela cabana ou, se for possível, a construirei sobre uma imensa árvore.

    Adoro árvores e o contato com a natureza. Já decidi, quando me aposentar, com certeza terei uma vida no meio do mato.

    Mas, por enquanto moro numa cidade, numa baita cidade, onde as necessidade e as prioridades são outras. Nessa metrópole, milhares de pessoas moram em subabitações, o esgoto não é tratado completamente e o lixo é separado de forma precária e em situação de risco; nela falta um sistema de transporte público decente e a educação e a saúde pública deixam a desejar; os prédios históricos e as praças não são bem cuidados e temos uma imensa orla abandonada.

    Enfim, se num sítio as árvores e as plantas em geral são o principal, aqui na cidade não passam de ornamentos a serviço do homem. Aqui as pessoas, suas casas e suas atividades é que devem ter prioridade. Uma cidade nunca será um floresta, nem deve ser.

    Curtir

    • Mas que visão limitada e utilitarista essa, Julião. Pelo teu raciocínio, a árvore não produz nada, não contribui com o deslocamento de ninguém e não dá dinheiro, então temos que tirá-la do caminho.

      Em uma cidade, árvores são elementos muito importantes para qualidade de vida. Além do óbvio aspecto estético positivo de uma árvore bem cuidada, árvores sequestram carbono, ajudam a regular a temperatura da superfície e contribuem na absorção da água da chuva. Simplesmente “cortar as árvores da cidade e replantá-las no campo” não resolve; a cidade precisa de uma cobertura verde própria, sob pena de se tornar uma intragável cidade de pedra como São Paulo

      Porto Alegre tem um potencial excelente nesse sentido, sendo conhecida como uma das capitais mais arborizadas do país (ainda seria? não sei). Infelizmente falta um cuidado adequado destas árvores, com uma poda sistemática, com objetivos específicos, tais como altura e cobertura da copa, orientação do tronco e etc. Pergunte para qualquer pessoa com experiência em jardinagem: você pode controlar a forma e o crescimento de praticamente qualquer planta, basta saber podar.

      Especificamente no caso em tela, tenho a nítida impressão que uma boa poda poderia melhorar bastante a situação. Mas como muito disseram aí, a SMAM só faz cagada.

      Curtir

      • Não, só disse que numa cidade grande árvores não são o primordial. Isso não quer dizer que não devem existir árvores numa cidade, mas que as “coisas” dos seres humanos são mais importantes.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: