SMAM esclarece corte de árvore na Praça Otávio Rocha – atualizado

A ÁRVORE É DE ESPÉCIE EXÓTICA, DIZ SMAM

Jornal Metro – 19/01/2012



Categorias:Parques da Cidade, Revitalização do centro

Tags:, ,

177 respostas

  1. A natureza deve ser preservada.
    E para isso não derrubem arvores.

    Curtir

  2. Será que os moradores do Mont´Serrat que estão protestando contra a derrubada de algumas árvores no cruzamento da Anita com a Carlos Gomes são PSTU?

    Curtir

  3. Quando eu era criança brincava na Praça Otávio Rocha, minhas tias moravam na Sr. dos Passos, onde agora é o Ed. Lancaster. Esta árvore nada mais era que uma árvore ornamental bem podada, como se fazia na época, estilo europeu. Depois o tempo passou e não mais se podaram as árvores em Porto Alegre, nem ela que consequentemente cresceu. Todas as éxoticas são vitimas da “erva de passarinho”, são sugadas até morte e depois a erva, parasita que é, também morre. A SMAM tem um critério muito estranho para o corte de árvores, eu sei porque vivo incomodando-a à respeito disso. Acho que não existe “ecochato”, e sim pessoas que se preocupam mais com meio ambiente onde as árvores são necessárias. Os outros, aqueles que querem a derrubada, que pensem no futuro. Convido a todos aquêles que foram a favor do corte desta árvore sexagenária bem como todas as autoridades que assinaram o protocolo para um piquenique na Pça Otávio Rocha, bem ao lado do busto, assim bem na hora que o sol estiver batendo, eu vou junto quero apreciar o fato.

    Curtir

  4. Rodrigo, quanto a substituição emn Curitiba de arvores exoticas por nativa, ocorreu um planejamento da prefeitura loca e sendo discutido e divulgado os moradores da cidade.
    Aqui fazem o que bem entendem, não vi ou li nada sobre isso, e sim posteriormente, pelo fato já concretizado.

    Já que querem tanto arrumar muros das praça – como dizem- o muro da Praça Dom Feliciano enfrente a Santa Casa tem um belo buraco ( parece que naquele lugar era um caminho que foi fechado ou simplesmente, o muro caiu) e com um gradil miserável, destoando com os muros “neo-clássico”.

    Essa praça é bem proxima da Pr. Otavio Rocha e senão tiver um trabalho como os coletores de materias reciclados, não duvido que terá o destino do que ocorre nela: separação do resultado da coleta na redondeza. Na verdade, várias praças da cidade. seguem esse caminho…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: