Resposta do IAB-RS (Instituto dos Arquitetos do Brasil – RS) sobre o Projeto de Revitalização da Orla por Jaime Lerner

Orla, que boa oportunidade para um Concurso

Mal terminou a polêmica do guarda corpo da ciclovia da Av. Ipiranga e já temos outra grande oportunidade de colaborar com a Prefeitura de Porto Alegre.

As notícias de hoje, 31 de janeiro, trazem informações da visita do nosso Prefeito a Curitiba para acompanhar o andamento do projeto para a revitalização da Orla do Guaíba, projeto este encarregado ao arquiteto Jaime Lerner.

O arquiteto Jaime Lerner é uma referência para nossa categoria, primeiro porque foi um Prefeito de muito êxito em Curitiba, administrando a cidade durante um próspero período de planejamento e implantação de diversos melhoramentos e projetos de alta qualidade para a cidade. E também porque foi o único brasileiro a presidir a UIA, União Internacional de Arquitetos, entidade mundial dos arquitetos, representada no Brasil pelo próprio IAB.

Entretanto, o escritório do colega Jaime Lerner foi contratado por “notório saber” sem licitação ou concurso público. Pois se para ser Prefeito ele participou e ganhou eleições com o voto dos cidadãos de Curitiba, e para ser presidente da UIA ele igualmente se submeteu ao voto dos países membros da entidade, porque Porto Alegre priva nosso colega de submeter-se à uma escolha e discussão pública?

Neste sentido, acreditamos que a forma de contratação do colega Jaime Lerner não é a mais adequada, mas temos que aproveitar a sua valiosa participação neste processo, como ex presidente da UIA, entidade que incentiva e promove concursos públicos de arquitetura em todo o mundo.

O papel do arquiteto Jaime Lerner poderá ser exatamente o de realizar um plano geral para a Orla, que permitirá a realização de um, ou vários, Concursos Públicos de Arquitetura e Urbanismo, até mesmo internacionais. Tenho certeza que a qualidade dos projetos será elevadíssima e que os arquitetos gaúchos poderão participar mostrando a mesma competência que demonstraram no episódio da guarda corpo. Além, é claro, de garantir a participação da comunidade, usuários e imprensa na discussão das propostas, e a ampliação da projeção da cidade de Porto Alegre como referência em participação, transparência e democracia.

A Orla sempre foi uma preocupação do IAB RS tanto que, em janeiro de 2008, após um longo processo de discussão e inúmeras reuniões, apresentou para a Secretaria de Planejamento de Porto Alegre, proposta de realização de Concurso Público. Infelizmente aquele processo não prosperou. Quatro anos depois, quem sabe a revitalização da Orla poderia ser um problema já resolvido na cidade de Porto Alegre.

Novamente, o IAB RS coloca-se à disposição da Prefeitura e da cidade para ajudar a garantir uma solução mais adequada. Um projeto importante como o da Orla não pode ser resolvido apressadamente para atender apenas à demanda de calendário eleitoral ou da Copa do Mundo. Temos certeza que nosso Prefeito irá analisar com generosidade a nossa intenção e terá a sensibilidade de ampliar este processo para garantir a participação de todos interessados para o bem da cidade.

Tiago Holzmann da Silva, Presidente

IAB RS



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, ORLA, Paisagismo, Projeto de Revitalização da Orla

Tags:, , , , , , , ,

25 respostas

  1. Pessoal, sobre a questão da orla. 1. A Constituição Federal , art.37 diz:A Administração Pública direta e indireta obedecerá aos principios de legalidade, impessoalidade,moralidade,publicidade e eficiência e,….2. O Lerner foi contratado pela Prefeitura de POA contrariando a Lei Federal 8.666/93 que orienta os Processos Licitatórios.3. Ele foi contrado sem Processo Licitatório com o argumento que por seu notório saber a inexigibilidade de licitação seria forma correta de contratá-lo. 3. Todos nos sabemos que não é o único no Brasil. E o Oscar Niemayer, não é? Entre outros. 4. O valor do contrato é de R$ 2.107.606,32, pago pela população de POA. 4 O correto e legal seria fazer um concurso para dar a oportunidade para os nossos arquitetos e urbanistas poderem participar. 5. O IAB como entidade dos profissionais de arquitetura e urbanismo e em defesa, inclusive, dos futuros profissionais, deveria possisionar-se firmemente e públicamente na exigência da realização de um concurso público. 6. O IAB com sua postura republicana daria um exemplo para toda a sociedade. .

    Curtir

  2. Por que não: o Morro Santa Teresa (por exemplo), uma boa oportunidade para um concurso?

    Por que tem de encher o saco para um problema que já está encaminhada sua resolução, ao invés de procurar outros, dezenas, que estáo esperando solução, concurso, propostas?

    Curtir

  3. Ao que parece o RS carece de bons Arquitetos, também parece que a Pref. Mun. POA não dispõe de técnicos ao nível de apresentar um proposta para a revitalização da orla privatizada do Guaíba, o que teria levado a buscar um profissional de outro Estado.

    O que chama a atenção é a dispensa de licitação por notório saber, cá entre nós, mais parece um negócio de amigos. Esse cidadão já teve como presente o projeto do Caís do Mauá, isso novamente sem Licitação Pública.

    O que se discute por parte da IAB é a realização de um concurso público para as obras que Porto Alegre necessita, o que teria impedido isso por parte da Pref. Mun. POA.

    Esse cidadão Lerner usa seu nome através de um escritório para se beneficiar na brecha da legislação vigente para dar rasteira a vários outros profissionais disponíveis neste mercado.

    Graças a Deus o pleito eleitoral deste ano está próximo e aí os cidadãos darão a devida resposta para as negociatas que são feitas por parte da Pref. Mun. POA.

    Seria interessante a Pref. Mun. POA informar o valor dos honorários cobrados pelo mesmo, há comentários de um valor em torno de R$ 2 milhões, quem sabe.

    Outro fato que chama a atenção é a visita do Pref. Fortunati a Curitiba para fechar um negócio de alto valor para os cofres públicos, isso tudo sem Licitação Pública.

    Curtir

  4. Porto Alegre tem tudo. Mas não aproveita nada.

    É resumo de nossa cidade. Enquanto ficamos discutindo licitações, participação da sociedade, inclusão social e maricás da orla o tempo e continuamos a ser uma cidade sem atrativos.

    Curtir

  5. Membros do IAB está em peso aqui defendendo a sua chance de aparecer. Triste

    Em tempo: Essa Bianca Grando é do IAB?

    Curtir

    • Não, não sou do IAB.
      Mas sou da área porque vou me formar em Arquitetura em agosto.

      Pelo visto, argumentar sobre um assunto e defender um ponto de vista, independente se os outros concordam ou não, quer dizer que a pessoa quer aparecer ou faz parte do clã então?!

      Tu, ao invés do que todo mundo vem fazendo nos tópicos sobre isso, não tem um pingo de respeito com a opinião alheia e atiça um pseudo ataque ao invés de trazer uma crítica construtiva ou um real contraponto ao que eu disse. Mas normal, quem não tem argumento estruturado sempre atira pro lado pessoal. Patético.

      Parece até um desocupado aí que resolveu me perseguir e não falava nada que prestava. Como eu disse pra ele: não gosta do que eu escrevo? Pula o comentário! Quer coisa mais fácil que isso?!

      Antes de concordar ou não com IAB, eu NÃO concordo com a possível ROUBALHEIRA que está pra acontecer nessa contratação.
      Eu fui uma das que mais defendeu a contratação do Lerner logo que foi lançada essa notícia, ao contrário de muitos que criticavam que era sem licitação e que ele não era do RS. Porém, no momento que eu soube que a obra custará 3X ao invés de X, eu retrocedo sem dó a minha opinião.

      Explicado agora Mr. Pablo Wendson?
      Senão, eu desenho.

      Att.

      Curtir

    • Pablo: por favor mantenha-se no assunto e não faça ataques pessoais.

      Curtir

  6. A ex-governadora Yeda beneficiou o seu amiguinho de partido (PSDB) e entregando a ele sem nenhuma concorrência pública o projeto do Cais. E o pref. Fortunatti, completou o quadro lamentável…
    É papel legitimo do IAB e qualquer, cidadão portoalegrense, questionar isso…
    Teve no passado, alguns que diziam: “roubou, mas fez”… o que interessava eram as “obras”…
    Agora, segue a mesma lógica, mas como novos argumentos: tudo “sem licitação, transparência pública”, mas está envolto em “notório saber” – aproveitando a brecha na lei – e vamos lá, a obra que seja feita… E a culpa, é dos arquitetos locais, que não são consultados, para nada….E até, dos eco-xiitas,kkkkk
    Pior, ter q engolir essa porcaria de Projeto para Cais…

    Curtir

  7. O melhor que esse presidente pode fazer,eh baixar a sua cabeça e trabalhar para terminar a sede da iab.e tentar melhorar a qualificaçao de seus associados ,porque ca entre nós os arquitetos gauchos não estão com nada ,apenas copiam coisas ja feitas por ai.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: