Fabricante de semicondutores portuguesa poderá se instalar no Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul está mais perto de conquistar uma unidade da fábrica de semicondutores portuguesa Nanium Holding. O presidente da companhia, Armando Tavares, fez o anúncio de se instalar no País ao secretário de Inovação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Nelson Fujimoto, conforme divulgado no Jornal do Comércio do dia 27 de janeiro. Caso o investimento venha para o Estado, o Parque Tecnológico de São Leopoldo (Tecnosinos) está no topo dos favoritos.

A diretora de Inovação e Tecnologia do Tecnosinos, Susana Kakuta, confirma o interesse da empresa Nanium e diz que as expectativas são bastante positivas. “Estamos articulando junto ao governo do Estado uma forma de apresentar uma negociação”, disse a diretora. Disputam o investimento também os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Apesar do clima de otimismo, até o momento, há apenas um anúncio genérico por parte da empresa. “Acreditamos que o Rio Grande do Sul está trabalhando para isso e ainda venha a se transformar no primeiro parque tecnológico de semicondutores do Brasil”, confia.

A empresa Nanium é especializada no encapsulamento de chips. O anúncio do destino da unidade deverá ser feito em março. A empresa planeja investir entre US$ 120 milhões e US$ 200 milhões.

O Rio Grande do Sul possui um ambiente favorável para que esse tipo de fábrica se instale no Estado. O Tecnosinos, de acordo com a diretora, tem como meta para 2012 ampliar a presença de empresas de semicondutores, instalando o Instituto de Semicondutores, uma iniciativa da Unisinos. Já está sendo construída a fábrica da HT Micron, resultado de uma parceria entre a sul-coreana Hana Micron e uma joint venture formada por empresas brasileiras.

O secretário de Inovação do Mdic, Nelson Fujimoto, reconheceu a vocação do Estado gaúcho para atração de empresas de base tecnológica. “Existem empresas, universidades e parques tecnológicos gaúchos atuando de forma muito coordenada nesse sentido”, elogia.

O Parque Tecnológico de São Leopoldo foi criado há mais de 10 anos, recebendo o nome de Polo de Informática de São Leopoldo. O Tecnosinos abriga hoje mais de 70 empresas, divididas em polos com especialidades nas áreas de Tecnologia da Informação, Automação e Engenharias, Comunicação e Convergência Digital, Alimentos Funcionais e Nutracêutica e Tecnologias Socioambientais e Energia. A estrutura do parque compreende 144 mil metros quadrados, incluindo incubadora tecnológica e condomínios para as empresas.

Jornal do Comércio



Categorias:Economia Estadual

Tags:,

3 respostas

  1. o eike deve anunciar em março uma parceria para produzir semicondutores… em BH

    ele estima em 500 milhões o investimento

    Curtir

  2. também acho Felipe. Acho que precisamos focar no nosso potencial e nosso diferencial Se essa área obtiver grandes investimentos podemos nos destacar nessa área internacionalmente. Incentivar e fomentar a educação e desenvolvimento de tecnologias limpas e de alto valor agregado.

    Curtir

  3. Pra mim esta notícia é importantíssima. O estado tem que apoiar investimentos em tecnologia, como este, que é de uma empresa portuguesa. Aliado a isso precisaria não só buscar empresas coreanas, como a Hyundai, mas também copiar daquele país o modelo educacional, para que possa sustentar uma mão-de-obra qualificada e que garantirá o futuro do Rio Grande do Sul.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: