RS: Frota cresce 10 vezes mais que a população

Número de carros cresceu 56,6% em 10 anos

créditos: Infográfico: Zero Hora

Quem percorre as ruas de Porto Alegre logo percebe a lentidão e os congestionamentos gerados pela grande quantidade de carros, um fenômeno que se repete em cidades de todo o estado. Em apenas uma década, de 2001 a 2011, o número de veículos em circulação no Rio Grande do Sul (RS) foi de 3.211.739 para 5.031.931, um avanço de 56,67%. Se comparado ao crescimento populacional, no mesmo período, o aumento da frota impacta ainda mais.

Nos últimos 10 anos, o crescimento da população no RS foi de apenas 5,02% – o que significa um acréscimo de 512 mil habitantes – o menor registrado em todos os estados brasileiros, segundo o Censo 2010. Isso mostra que o aumento no número de carros foi 10 vezes superior ao de habitantes, o que influência na qualidade do ar e de vida dos gaúchos.

“Há o fenômeno da ‘motorização’. As pessoas estão com mais dinheiro e compram carros. Vamos ter mais uns 10 anos com esse fenômeno, em razão da classe média que vem chegando com maior poder aquisitivo”, diz o engenheiro Luiz Afonso Senna, especialista em transportes em entrevista ao jornal Zero Hora.

Os números preocupam, mas especialistas garantem que a solução existe: está na racionalização do uso do carro e em investimentos em transporte público de qualidade. “Temos de usar o carro de forma mais racional, compartilhar o carro com outras pessoas. Considere que enquanto numa faixa exclusiva de ônibus se transporta, pelo menos, 15 mil pessoas, numa de carros conseguimos transportar umas 1.500”, explica Daniela Facchini, diretora de Projetos e Operações da EMBARQ Brasil.

MOBILIZE.ORG

Autor: Da Redação | Postado em: 09 de fevereiro de 2012 | Fonte: Embarq Brasil e ZH

 

 



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

18 respostas

  1. E o pior é que a prefeitura gasta dinheiro público para duplicar vias, fingindo que vai resolver alguma coisa. Quanto mais espaço se dá para carros, mais vão aparecer… pior o trânsito vai ficar e ninguém vai sair feliz (exceto os empreiteiros).
    Se querem resolver o trânsito de verdade, peguem esses milhões e invistam pesado em transporte público e faixas cicláveis.

    Curtir

  2. Os malefícios causados ao meio ambiente devido ao uso de veículos automotores é absurdo! O que mais me indigna é que não há nenhuma manifestação dos defensores do meio ambiente. Isso sem contar o espaço público que é cedido aos veículos.

    Curtir

  3. A frota vai sempre aumentar, a diferença vai ser se a população vai ter uma opção de transporte publico pra ir ao trabalho, ou qualquer outra coisa… evitando a hora de pico..

    Assim só vão usar o carro pra ir ao mercado, viajar, sair pra noite, coisas onde não sai todo o povo ao mesmo tempo, como ir trabalhar.

    Curtir

    • Exato, o que não dá é para continuar essa lógica de um carro por pessoa, e usar o automóvel individualmente para fazer absolutamente tudo. Haja estrutura viária é pulmão sadio para respirar tanto co2.

      Curtir

  4. O aumento da frota vai continuar até que venhamos a ter um sistema de transporte coletivo com qualidade. Como no Brasil se investe pouco em transporte público, especialmente em trens e metrôs, essa situação vai demorar bastante para se inverter.

    Curtir

    • Isso em parte é verdade, mas por outro lado a maioria da população não está cobrando por transporte melhor, está é louco para ter um carro. Aliás, para ter um carro que vai ser usado até para ir comprar pão a duas quadras de casa.

      Não estou discordando, mas acho que tem os dois lados, é muito cultural também.

      Curtir

      • Por isso algumas decisões, de onde investir o dinheiro público, não deveriam levar em conta necessariamente o desejo da população. Mas, para isso deveriamos ter políticos e administradores público com uma visão mais abrangente – o problema é que essas pessoas não são os mais populares.

        Curtir

      • Não só no Brasil, os latinos-americanos como um todo adoram políticos populistas.

        Curtir

      • Isso é Brasil, ja viu esse povo reclamar de algo que não envolva futebol ou carnaval?

        Curtir

  5. êba, mais tranqueira!!!

    Curtir

  6. O Luis Carlos Prates (o Lasier Martins de Santa Catarina) falou uma verdade tempos atras a respeito disso e foi mandado embora pela RBS…

    Curtir

    • Sim… carro é só pra rico. Pobre não pode ter carro.
      Cada coisa que eu leio…

      Curtir

      • Não, ele falou que quem não tem condições de manter uma carro não deveria tê-lo – no que está absolutamente certo, pois nossas ruas estão entupidas de carros (e motos) caindo aos pedaços, sem seguro, sem os sistema de segurança necessários, com motoristas andando sem carteiras. Mas também tem aqueles com carteira, mas sem noção dos conceitos de espaço e velocidade e, o que é pior, sem bom senso.

        Só o que faltava agora, o automóvel virou mais um “direito social” nesse país.

        Curtir

        • “Só o que faltava agora, o automóvel virou mais um “direito social” nesse país.”

          realmente um absurdo qualquer um ter um carro hoje… pfff…

          Aposto que a maioria aqui não larga o seu carrinho nem pra ir no super.

          Curtir

      • Olha, acho que o estado de conservação dos automóveis é o menor dos problemas. Os maiores são a quantidade deles (gerando poluição), a falta de educação dos motoristas, independente de terem um fusca ou um a3… e assim vai. Na real, o que é absurdo nisso é que ter carteira de motorista é um direito. Deveria ser muito mais fácil perdê-la, vide nossos indicadores de violência no trânsito.

        Curtir

        • Um problema maior que a quantidade de carros é o subaproveitamento da extensão da plataforma de carga, tem muita gente que compra determinados modelos por conta de um prestígio social quando algum modelo menor possa ser até mais prático ao uso no dia-a-dia.

          Quanto à tua observação sobre a poluição, vale destacar que também há o problema do descarte inadequado de pneus, que facilmente se tornam “berçários” do mosquito da dengue, e tal problema poderia vir a ser atenuado com o uso de triciclos.
          http://cripplerooster.blogspot.com/search/label/triciclo

          http://cripplerooster.blogspot.com/2010/12/triciclos-uma-alternativa-para-aliviar.html

          ‘Os mesmos congestionamentos e dificuldade de encontrar espaços para estacionar e manobrar que direcionam alguns consumidores a modelos como o Smart seriam um atrativo a mais para triciclos, ao ser levada em conta a questão do transporte individual. Com o preço absurdo que se cobra no mercado brasileiro pelo carrinho francês devido aos altos impostos de importação é possível comprar uma caminhonete média com motor flex, que por conta das condições socioeconômicas acaba sendo preferida tanto por uma sensação de segurança a bordo de um veículo maior (como se isso significasse que as áreas de absorção de impacto fossem melhor projetadas em função do tamanho) quanto pela maioria dos consumidores priorizar um único veículo que pudesse atender a diversas necessidades ao invés de adquirir modelos específicos a cada necessidade, fazendo com que tais veículos compactos sejam considerados “excentricidades” ou simples “brinquedinhos de filha de dono de Mercedes” como dizia o engenheiro Dr. João Augusto do Amaral Gurgel. Desde triciclos brasileiros para transporte de cargas leves improvisados a partir de motocicletas modificadas artesanalmente até modelos como o Piaggio Ape e diversos similares de fabricação indiana (e mais recentemente chinesa), não é difícil encontrar modelos com comprimento menor que os 2,69m e largura inferior a 1,56m do Smart com uma melhor otimização do espaço.’

          Curtir

    • Qual é a verdade que ele disse?

      Só sei que tem carro de mais, seja de rico ou de pobre.

      Curtir

  7. Se ao menos fossem carros, e não as carroças..
    =//

    Isso que o Brasil dificulta a compra das carroças, por que com os impostos e o lucro Brasil….

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: