Sambódromo de Porto Alegre terá estrutura permanente iniciada em 2012

Após a avaliação do Carnaval, realizada na tarde desta quarta-feira, 22, o prefeito José Fortunati determinou a retomada do projeto para construção permanente do Complexo Cultural do Porto Seco. “Tivemos, em 2012, o melhor Carnaval da história de Porto Alegre. Este é o momento de pensarmos na estrutura permanente que valorize a festa popular e garanta segurança e grandiosidade para o evento”, afirmou o prefeito, anunciando o início das obras já para este ano.

O Complexo teve um projeto criado, em 2003, pelo arquiteto uruguaio Raul Macadar. A proposta, que já sofreu alterações a partir das indicações feitas pela representação dos carnavalescos, será retomada pela prefeiura e dividida em módulos para sua construção. A primeira delas será realizada com recursos municipais. A definição da ordem de execução será feita quando o projeto estiver concluído.

Paralelamente à tramitação para construção do primeiro módulo, Fortunati garantiu a continuidade das tratativas para firmar uma parceria público-privada (PPP), a fim de promover a sustentabilidade do projeto. “Estamos com o firme propósito de levar um projeto mais amplo para o Porto Seco. Isso será bom para a Zona Norte e para toda a cidade”, enfatizou o prefeito.

A coordenação dos trabalhos será dos secretários municipais Edemar Tutikian, do Gabinete de Assuntos Especiais (GAE), e Sergius Gonzaga, da Cultura (SMC). A partir da determinação do prefeito, a equipe técnica fará análise e elaboração do cronograma da execução do projeto. Entre as próximas etapas está a elaboração dos estudos complementares (estrutural, hidráulico, elétrico e o Plano de Prevenção e Combate a Incêndios – PPCI).

Histórico – Em 2003, o arquiteto uruguaio Raul Macadar, radicado em Porto Alegre, venceu licitação para o projeto global do Centro Cultural do Porto Seco, apresentando ideias para os barracões e arquibancadas. No mesmo ano, os barracões começaram a ser executados e foram totalmente finalizados em 2008.

Desde a concepção, o projeto sofreu diversas alterações, decorrentes da experiência que as escolas acumularam com os desfiles naquele local. Com a colaboração da Associação das Entidades Carnavalescas (Aecpars), as ideias fora somando-se à proposta original. Entre as mudanças estão a colocação de frisas e a necessidade maior número de camarotes.

Nos últimos anos, a prefeitura buscou recursos nacionais e internacionais, a fim de firmar parcerias público-privadas para concluir a obra. Aliado a isso, em 2011, uma equipe da Coordenação de Carnaval da SMC, acompanhada pelos representantes da Aecpars, Vitor Hugo Amaro e Ademir Moraes, esteve no Rio de Janeiro visitando o sambódromo da Marquês de Sapucaí, em busca de sugestões e da avaliação sobre prós e contras daquele complexo cultural.

Carnaval de 2012 – A prefeitura reforçou os investimentos na infraestrutura para realização dos desfiles deste ano. A resistência das arquibancadas foi aumentada de 400kg/m2 para 800kg/m2. Todas as formas de ingresso (ticket de arquibancada, pulseiras para convidados dos camarotes e credenciais de imprensa e convidados ou funcionários do evento) tiveram chips que permitem o monitoramento da capacidade de público em cada local via computador. A iluminação da pista também foi reforçada, fortalecendo a imagem e o brilho das alegorias e fantasias.

Para o conforto do público, foi criado o Centro de Hospitalidade, um grande camarote com cinco degraus (de modo a impedir que os espectadores da frente impedissem a visão dos demais). O bar central mudou: no lugar do antigo camarote-bar foi criado o Butekão (nos moldes do Terreirão carioca), onde grupos de pagode e samba se alternaram durante a noite inteira, junto à praça de alimentação.

Estrutura do Porto Seco

  • Área pública do Complexo Cultural (pista de eventos e pavilhões) = 200 mil m2
  • Pista de desfiles
  • Comprimento: 329 m
  • Largura total da pista: 16 m
  • Largura da área de desfile: 12 m

Prefeitura

Imagens do projeto original, do site VITRUVIUS

Mais imagens: Vitruvius



Categorias:Cultura, Eventos

Tags:, ,

26 respostas

  1. tem gente que critica o carnaval se nao gosta de carnaval nao opine ,, mas concordo com com a questao,, que enquanto o governo faz arquibancadas para o carnaval, tem gente morrendo na fila do sus… (FATO) mas neim por isso deixaremos de parabenizar o governo de finalmente depois de toda a história do carnaval de porto alegre teremos um sambodromo para q a beleza do carnaval seja executada como merece OBS: agora se o governo realmente vai cumprir com o prometido nao sei… mas se for finalizado o projeto estaremos dando um passo atrasado, mas principal para a cultura de nossa cidade

    Curtir

  2. Ótimo. O carnavalcresce a cada ano que passa. Para os pouco informados o primeiro desfile de carnaval em Poa com as Grandes Sociedades foi na década de 1870. As primeiras Escolas de Samba populares, na época chamadas de grupos carnavalescos foram criadas na década de 1930. A cidade Baixa era um reduto boêmio e carnavalesco em meados do século XX e comportava dezenas de blocos, cordões e bandas carnavalescas. Muito, mas muito amtes do surgimento do primeiro CTG em 1945. O primeiro desfile tradicionalista foi em 1948, na João Pessoa. Então o que é a tradição?
    Temos espaços para todas as manifestações, e o carnaval tem história, memória e referência na vidade de Porto Alegre desde a fundação Açoriana. O tradicionalismo é uma invenção bem mais recente.
    Ótima notícia do blog. Abraços

    Curtir

  3. RIDÍCULO!

    Gastar fortunas pra construir algo que será usado em uma única semana do ano. E se pelo menos as escolas fossem boas…pff. CARNAVAL DE POA É UM LIXO, é PIOR que LIXO. Vamos falar sério… Esses desfiles são só pra ‘mamãe quero ser a sapucaí’. Só que com papel crepon, jornal, isopor e canetinha. NUNCA SERÃO.

    Que gastem em obras de educação, transporte, saúde…

    PS: Se o povo da Tinga fosse tão ‘guerreiro’ – como é no carnaval – pra melhorar aquele bairro com o tão tardio Hospital, mais creches, escolas..

    PÃO E CIRCO PARA O POVO!

    Curtir

  4. Ao acariocado acima, fica a dica: não existe caipira no RS, existe COLONO. Caipira é uma cultura do interior paulista e mineiro.

    O CARNAVAL em Porto Alegre é centenário, o samba NÃO É. O samba foi paulatinamente injetado em Porto Alegre pelas radios do centro do país, a partir dos anos 40~50. Os negros de Porto Alegre, nos seus carnavais de antigamente, dançavam ao som de tambores de batuque e marchas que se assemelhavam muito mais à murga e candombe uruguayos do que ao samba carioca.

    O samba em Porto Alegre é coqueluche das periferias, que se aculturaram ao ponto de assimilarem qualquer coisa que venha do RJ. Se escuta funk no Partenon, coisa que não existia 10 anos atrás. Esse lance do samba tradiucional, no Rio Grande do Sul, não é CULTURAL, malemal faz parte da cultura portoalegrense. O carnaval é uma forma de morte cultural gaúcha.

    Curtir

    • Sim! Obviamente o colono é superior ao caipira assim como os negros uruguaios são superiores aos negros cariocas…(ironia) Morte cultural é não aceitar a diversidade!

      Curtir

  5. Aos desinformados! Quem venceu o desfile desse ano em Poa foi a Restinga que sambou a respeito do vinho e recebeu patrocínio e incentivo de grandes vinícolas da serra gaúcha e que são na sua maioria de descendência italiana, realmente os “caipiras interioranos” não tem nada a ver com samba… aliás, circularam no porto seco aproximadamente 250mil pessoas nos quatro dias de carnaval… #ficaadica

    Curtir

  6. Quanta gente ignorante. O carnaval em Porto Alegre é praticamente centenário. Temos escolas de sambas muito antigas. Temos as tribos. Aqui rola muito samba, sim.

    Apenas não rola samba no mundo da elite. Mas o samba é coisa antiga em Porto Alegre. E reúne muita gente. Dando apenas um exemplo, a Banda do Saldanha trás multidões de pessoas que entopem de carros a avenida Padre Cacique todos os fins de semana.

    Detalhe: estou falando tudo isso, mas nem sou chegado à samba.
    Mas não fico achando que eu e minha cultura somos os centros do universo.
    E tenho repulsa a quem fica se achando superior que os outros.

    _______________________________________________________

    No caso, esses “que ficam se achando melhor do que os outros” que acabei de falar acima, são a classe média e a elite que ouvem música pop e ficam achando que aqui não tem samba… que também ficam achando que não deveria carnaval neste Estado tão culto (e quando veem as festas de carnaval na TV dizem “Lá ninguém trabalha?” , esquecendo que essas cidades já descobriram a muito tempo o que é Turismo e trazer milhões de divisas pra cidade)

    Que inventem um festival de música no Anfieatro, tipo Planeta Atlântida, Festival de Verão (Salvador), Rock in Rio, tipo o finado Hollywood Rock… seria ótimo também.

    Que todas manifestações culturais e de turismo abundem.

    E que nosso carnaval cresça e se fortaleça ! Isto não é atraso.

    Curtir

    • Tirou as palavras da minha boca Georgeano !!! Valeu o comentário!!!

      Curtir

    • Entao para ti, o RS comeca e termina em POA? O resto nao vale nada e tem que engolir guela abaixo uma cultura do RJ e minoria das minorias de POA??? (e se nao sao minorias, prq vai pouca gente? ja fui a okterberfest que tinha varias vezes o numero de gente que frequenta esses desfiles em POA, nem por isso se fala em rezervar uma area para essa festa, se faz em clubes! ja fui a bar mitzvahs tambem que dando as devidas proporcoes tinha mais gente tambem, mas nao, esses sambistas sao diferentes, tem que aparecer) Neste blog mesmo acima tem uma reportagem relatando problemas da cidade, mas resolve-los antes nao da! Mas SAMBODROMO em POA e’ pra ja!

      Holy jumping jehosaphat!

      Curtir

  7. Sou a favor tambem do termino do projeto. E’ a garantia que esse pessoal do samba ficara’ definitivamente la’ no Porto Seco, bem longe.

    Curtir

  8. Eu sou totalmente a favor do término do projeto. Qualquer coisa que qualifique culturalmente a cidade sou a favor. E aí já vão vir os que são contra o carnaval e tal, dizendo que carnaval não tem nada a ver com a cultura da cidade. Ignorância a parte, o complexo pronto vai ficar muito bonito. Espero que saia logo. Não precisamos bloquear investimentos em cultura como esse, pra que outros saiam.

    Curtir

    • E o carnaval tem a ver com a cultura de Porto Alegre, do Rio Grande do Sul?! Acho que deveríamos construir espaços para a nossa cultura, não as dos outros. Assim que morre aos poucos as tradições do nosso estado.

      Curtir

    • O carnaval em si já é um grande evento! E SIM! Tem muito a ver com a cultura gaúcha, já que o Rio Grande do Sul é um estado brasileiro! Os desfiles melhoram a cada ano, em 2012 foi surpreendente! Os céticos e separatistas se esquecem que os desfiles de escolas de samba de grande porte do Rio e de Sampa são as únicas que ganham destaque no cenário nacional e que devido a rivalidade das duas e o apoio do Rio a Porto Alegre, muito nossa cidade tem a ganhar. Espero que o sambódromo de Porto Alegre seja uma realidade permanente o mais rápido possível e que maravilhosos frutos amadureçam dessa empreitada! E em 2013 estarei lá prestigiando!!!

      Curtir

      • Isso aí Maycoin! Concordo plenamente! Isso que falam que o carnaval não é da cultura gaúcha não tem sentido. A cultura gaúcha não é uma só, não é só bombachas e chimarrão. É muito mais que isso. São muitas culturas. Nós somos um povo multicultural, multiétnico. É bobagem dizer que temos UMA CULTURA. Isso é pensar de forma retrógrada. As pessoas as vezes se mostram avançadas em algumas áreas e extremamente retrógradas em outras, demonstrando simplesmente pura ignorância (no sentido literal da palavra). Quem diz que Carnaval não pertence à cultura gaúcha, desconhece história, desconhece tudo do seu próprio povo. E quer ditar regras ainda por cima. O que falta ao carnaval de Porto Alegre é mais apoio por parte dos órgãos públicos e mais apoio de patrocinadores. Com dinheiro, os nossos desfiles ficarão muito melhores.

        Curtir

        • Bah que invencionise, se vcs gostam desse tipo de ritual, vai la e diz, “NOZ QUEREMOS UM SAMBODROMO EM POA PRQ NOZ GOSTAMOS DESSE TIPO DE COISA” e pronto!mas agora vir querer re-inventar a historia do rio-grande querendo que essa coisa seja parte da cultura local e’ forcasao de barra…oque os alemaes e italianos que sao no minimo 50% da populacao tem com isso?? nada ne’! Agora ir construir um predio na orla nao pode prq esse povo ai e’ contra! e tambem essa gente a favor, e’ contra os CTGs e semana farroupilha que pelo menos tem uma cultura de verdade por traz. Isso nao passa de macaquice (querer imitar o RJ, nao o animal)

          Curtir

        • Bom, se vamos falar da multiculturalidade do nosso povo, tudo bem. Mais de 70% da população gaúcha é descendente de imigrantes italianos e alemães (principalmente) do fim do século 19 e ínicio do século 20. Por que não é construida nenhum grande centro preservando essa cultura que é muito mais presente do que a da minoria carnavalesca. Devemos ser democrático e valorizar a maioria antes de algumas minorias. Não temos nenhum grande centro de cultura gauchesca ou europeia em Porto Alegre, do nível do projeto desse sambódromo. Sambódromo!

          Curtir

  9. Pergunta besta: o que seria feito da local durante o restante do ano? Para mim, é um grande desperdício ter uma estrutura deste tipo abandonada o resto do ano, salvo dois ou três eventos (quais?). Deveria ser pensado uma forma de aproveitar a estrutura continuamente, justificando o investimento e garantindo a animação urbana da região.

    Uma possibilidade seria fazer dos camarotes salas de aula, a exemplo do que era feito no Sambódromo do Rio de Janeiro antes da última reforma. Se estamos em fase de projeto, é a melhor hora pra pensar nisso.

    Curtir

  10. Que maravilha! O povo terá onde sambar!

    E quanto a transporte de qualidade, bons hospitais públicos, parques com boa infraestrutura e segurança, ciclovias,etc?

    Com tantas obras atrasadas, o prefeito fala em construir um sambódromo?

    Por acaso ele esqueceu que sequer começaram as obras do BRT? E as obras viárias da cidade (duplicação da Voluntários, Av. Tronco, obras na terceira perimetral…)?

    Sem mais comentários… vamos deixar o povo sambar.. isso é mais importante pelo visto..

    Curtir

    • Exato. E se querem dar lazer ao povo,primeiro deveriam pensar na orla toda da cidade, no mirante, depois no samba, que é apenas para alguns. A orla é para todos, o samba é para quem gosta de samba, somente.

      Curtir

      • Nao o multiculturalismo e’ mais importante, tudo para a minoria, nada para a maioria!! viva o brasil e sua super cultura de pessoas pulando feito retardados mentais.

        Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: