Comitê organizador afirma que o Estado pode mudar estádio

O diretor de comunicação do Comitê Organizador Local (COL), que cuida da realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, Rodrigo Paiva, disse ontem que somente o governo gaúcho pode mudar o estádio sede dos jogos. “O governo tem o poder de mudar”, declarou com insistência Paiva, por telefone da Suíça, onde acompanha a Seleção Brasileira. Segundo o diretor, a escolha do Beira-Rio para receber os jogos em Porto Alegre foi indicação local. Prefeitura e Estado integram comitê estadual. O prefeito José Fortunati disse que apenas a Fifa pode descredenciar o estádio. No dia 7 de março, uma comitiva de 40 pessoas da entidade internacional vem à Capital para vistoriar o Beira-Rio, obras de mobilidade, aeroporto e hospedagem. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, ao visitar a Capital antes do Carnaval, também alegou essa prerrogativa da Fifa para definir os estádios.

Fortunati explicou que se ocorrer a exclusão do estádio do Inter, aí sim a cidade pode indicar um substituto. “Quem coordena a Copa aqui sou eu. Cabe a mim apontar outra saída”, adiantou o prefeito, que mesmo assim se mostrou confiante com o Inter. Mesmo assim, admitiu que o prazo do clube se esgota em março. “É um mês decisivo. Não tem mais como postergar”, preveniu. “Agora ata ou desata”, confrontou Fortunati, que aponta outra pedra no caminho da preparação local: a incerteza sobre a data para lançar a ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho.

Segundo Paiva, cresce a preocupação com o futuro das obras de reforma do Beira-Rio diante da indefinição sobre a assinatura do contrato do Colorado com a construtora Andrade Gutierrez (AG). Paiva informou ainda que o presidente do Internacional, Giovanni Luigi, fez contato telefônico com o COL, na sexta-feira passada, apontando expectativa de formalizar o acordo com a empresa nesta semana. Não é a primeira vez que o clube anuncia prazos e descumpre. “A situação cada dia que passa preocupa mais”, admitiu o diretor.

Paiva diz que há ainda prazo para executar a obra, mas o que sempre despontou como um dos empreendimentos mais fáceis de executar entre as arenas das 12 subsedes para o Mundial transformou-se em uma novela. A obra do Beira-Rio é privada. No ano passado, a indecisão sobre a retomada da reforma, parada desde junho logo após o clube aprovar a construtora como a executante do projeto, despontou como principal razão para Porto Alegre ficar fora da Copa das Confederações, prevista para 2013.

Paiva evitou falar da alternativa da Arena do Grêmio, com finalização marcada para novembro deste ano, caso o Beira-Rio perca a posição de titular do evento. “Quem definiu o estádio foi o governo, único que pode fazer a mudança”, reforçou o diretor do COL. Caso se mantenha o impasse sobre a reforma do templo colorado e isso se coloque como um problema para o Mundial, aí sim o comitê poderia solicitar a indicação de um local. “A alternativa é o governo quem pode dar. Se o governo quiser enviar hoje uma carta, o COL iria aceitar”, ilustrou Paiva, que frisou que a esperança do COL com a opção Colorada se mantém.

A novela Inter e AG começou a semana com temperatura nas alturas. Após comunicado divulgado pela empreiteira nos jornais no fim de semana culpando o Banrisul pelo fracasso na obtenção do empréstimo para as obras, o governador Tarso Genro lançou pela primeira vez, em entrevista na manhã de ontem à Rádio Gaúcha, dúvida sobre a exclusividade na indicação colorada, mesmo reafirmando que lutará para a escolha permanecer.

Patrícia Comunello – Jornal do Comércio



Categorias:COPA 2014

Tags:,

9 respostas

  1. Ja falei, na Arena não rola a oportunidade de desviar dinheiro, só resta o beira rio pra isso, e é ai que começa o problema..
    haha

    Curtir

  2. Meu comentário seria o mesmo do Jorge B.

    Curtir

  3. Prefeitura e Estado OMI$$O$!

    Depois vão chorar quando excluírem POA da Copa. Pra FIFA é muito melhor fazer em menos cidades, ela mesmo ja disse.

    Curtir

  4. É estranha esta insistência em manter o Beira Rio, como sede da copa, tendo um estádio novo na cidade se encaminhando para a finalização.

    Curtir

    • Para mim tem politicagem nisso. Entre outras coisas, ninguém quer ser aquele que tirou a copa do inter. Apesar que acho que a estas alturas mudar para a Arena seria melhor para absolutamente todo mundo.

      Curtir

  5. Prefeito Fortunati: “Quem coordena a Copa aqui sou eu. Cabe a mim apontar outra saída”

    Humm, agora sabemos quem é o verdadeiro culpado por Porto Alegre perder a Copa das Confederações.

    Aliás, sempre disse que não havia interesse da Prefeitura em receber esse evento preparatório da Copa, pois todas as obras previstas para a cidade estavam, como ainda estão, atrasadas e tinha como receber visitantes com a “casa desarrumada”.

    Curtir

    • Tirou as palavras da minha boca, Julião! DISSE TUDO!

      Curtir

    • Exatamente, Julião!! Por mim ele leva fumo nessas eleições! Campanha: #RessuscitaThompsonFlores Pois ninguém nascido atualmente aqui em POA e engajado na política está prestando para grande coisa.

      Curtir

  6. Talvez esteja equivocado o Pref. Mun. Fortunati, em alegar que eu comando a Copa do Mundo em Porto Alegre/RS, como se dono fosse deste encaminhamento, em que o povo não participou desta decisão, aliado a falta do bom encaminhamento, vivemos um momento em que se procura um culpado pelo atraso das obras no Inter, mas convenhamos, como pode chegar a este ponto.

    Diante da insistência de manter os jogos da Copa do Mundo em Porto Alegre, o Pref. Fortunati puxa para si, um fato de ampla discussão no cumprimento da assinatura da A.G. para a execução das obras no estádio, se a mesma não possui garantias para tal, como manter esta decisão, a não ser que alguns pensem e tratem isso como dever do Estado, se não há garantias, obras não serão realizadas, simples raciocínio, sem garantias, nada feito.

    Talvez alguns Agentes Públicos tentem agora de todas as formas forçar o Gov. Federal a por dinheiro público em uma obra privada, com isso se realizariam como Políticos da Copa, “eu trouxe a Copa para a POA”, “eu sou o cara” e, “você povo”, “cidadão que paga impostos”, “que banque a conta”, o que interessa neste momento é a Copa do Mundo, “o resto é um detalhe”.

    Não podemos esquecer neste momento, que o argumento de trazer para a Copa do Mundo para Porto Alegre, teve como base o propósito de se alterar varias situações na área urbana, privilegiando com isso há muito empresário, tudo com a desculpa da Copa do Mundo, aí fica a pergunta: a quem interessou toda esta jogatina com fins privados.

    Se Porto Alegre ficar fora da Copa do Mundo, como vamos sustentar a necessidade de obras que estariam vinculadas aos jogos, em que se tirou cidadãos de sua casa para agradar a certos cidadãos a valorização do seu bem patrimonial, este vinculada as áreas desapropriadas para o evento.

    Enfim, se prosperar a ideia de se realizar os jogos na Arena, o cidadão, também, já tem a conta a ser paga, a infraestrutura do entorno da Arena sairá a um custo de R$ 80 millhões para o Governo do Estado e Prefeitura Municipal, em que um complexo particular se instala e cobra que o Governo banque obras(infraestrutura) que deveriam correr à custa do ente privado,

    Finalmente, viva a Copa do Mundo, esta com dinheiro público.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: