Obras do BRT de Porto Alegre começam segunda-feira (12)

De olho na Copa e nos problemas diários de congestionamento, a capital gaúcha decidiu iniciar a construção de seu sistema BRT (Bus Rapid Transit)

Atuais condições do corredor da Av. Protásio Alves créditos: Francielle Caetano/PMPA

Está marcada para a próxima segunda-feira (12), às 10h, o anúncio oficial do prefeito José Fortunati de início das obras no corredor da avenida Protásio Alves.

O projeto faz parte do conjunto de obras listadas na Matriz de Responsabilidades da Copa, e tem a grande missão de qualificar o sistema de transporte público, além de amenizar o problema de trânsito caótico que os porto-alegrenses enfrentam todos os dias. O documento será assinado na parada de ônibus da av. Protásio Alves, mais próxima à avenida Saturnino de Brito, sentido centro-bairro.

Saiba mais sobre o BRT, clicando aqui.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

The City Fix Brasil

MOBILIZE.ORG

Veja aqui em baixo a matéria de ZH.




Categorias:BRT, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

28 respostas

  1. As paradas de ônibus bem que poderiam ser iguais as de Dubai, conforme o video de apresentação do Globo Reporter dessa sexta (25/05), vejam o fim do clip. Claro, sonho, imagina como ficam os fumantes? E o pessoal que adora por cartazes nas paradas??? http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2012/05/gloria-maria-apresenta-os-encantos-de-dubai-no-globo-reporter.html

    Curtir

  2. errata
    a redes = as redes
    e outros erros….

    Curtir

  3. BRT é coisa velha e atrasada… Não sei porque não colocaram trens leves, que é mais econômico, bonito e polui menos. Máfia dos ônibus? Quem sabe.

    Curtir

    • Trens leves realmente me PARECEM uma boa alternativa. Me dão melhor impressão que ônibus. Mas não tenho conhecimento técnico pra afirmar qual é melhor.

      De qualquer maneira, a questão da “máfia dos ônibus” em POA é bem pertinente. Poucas vezes vi uma cidade do tamanho de Porto Alegre com aversão tão grande a outros tipos de transporte público. São discussões que vivem nas ruas, na imprensa e nunca na prefeitura. A exceção é o Trensurb. Ainda bem que as coisas parecem mudar nos últimos tempos, mas é bom ficar atento à “Máfia”. Não podemos provar que ela existe, mas é bem provável que tenham muito poder dentro da administração pública de POA.

      Curtir

      • Eduardo
        Trens leves tem um custo de implantação bem maior para os cofres públicos a medida que tanto a linha como a redes elétricas e os veículos ficam por conta do agente público, entretanto depois de implantado os veículos tem uma durabilidade espantosa. Além disto para um estado que construirá nas sua com a Argentina o o complexo hidrelétrico de Garabi que produzirá 2.700 MW de potência, que tem um potencial de energia de biomassa ainda totalmente inexplorado além de outros recursos para geração de energia elétrica, lançar-se num modal (BRT) que consome petróleo e não energia elétrica como os trens leves é simplesmente burrice.
        Uma coisa é a energia elétrica, que depois de construída o seu valor pode ser contratado a valores constantes e outra coisa é o petróleo que se o USA entrar em guerra com o Irã o preço pode facilmente atingir 150US$ ou até 200US$ o barril.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: