Governo vai rever obras da Copa por conta de atrasos

Secretário-executivo do Ministério do Esporte pode cortar projetos “não essenciais”

Depois de enfrentar críticas da Fifa em relação ao atraso nos preparativos para a Copa de 2014, o governo federal já admite rever obras “não essenciais” e diz estar buscando “atalhos” para agilizar a organização do evento.

A informação é do secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, que deu entrevista ao site da “BBC Brasil” na tarde desta quarta-feira (14) e garantiu que o governo está analisando adaptações e substituições.

Apesar de admitir que o projeto da Copa ganhará uma nova versão em abril, Fernandes não revelou quais obras seriam carimbadas como desnecessárias para o Mundial.

“Não há motivos para duvidar do sucesso da Copa do Mundo. Estamos absolutamente confiantes de que os jogos serão realizados. No entanto, estamos estudando possibilidades de substituição e adaptação de algumas obras que podem não ficar prontas a tempo”, afirmou o secretário.

Levantamento do Portal 2014 mostra que, somando investimento em estádios, aeroportos e mobilidade urbana, o orçamento da Copa de 2014 supera os R$ 24 bilhões.

Apesar de os estádios apresentarem bom andamento, boa parte das obras de transporte e de infraestrutura aérea está atrasada.

PORTAL 2014



Categorias:COPA 2014

Tags:,

8 respostas

  1. Nenhuma novidade, com jeitinho tudo acaba em samba, isso é Brasil.
    “Não precisamos nos esforçar para cumprir metas, simplesmente adptamos as metas ao nosso esforço.”

    Curtir

  2. Preferia mil vezes que as obras de infraestrutura estivessem mais adiantadas do que os estádios.

    Brasil é uma desgraça… o povão vai ter onde ver seu futebol, mas vai continuar sem transporte e infraestrutura adequados

    Curtir

  3. Fantástico!

    Isso é a cara do Brasil: se não consigo resolver um problema, faço ele perder importância; se não consigo fazer algumas obras, torno-as desnecessárias; se não consigo baixar a inflação, mudo os critérios de calculá-la (lembram); se não consigo ampliar os Terminais dos aeroportos, aumento sua capacidade com um canetaço, etc.

    Cara, nos estamos muito longe, mas muito longe mesmo, de sermos um país desenvolvido ou uma nação civilizada.

    Curtir

  4. A propósito, alguma obra ficará pronta? Pelo menos como nos projetos apresentados? O tal do BRT, as paradas envidraçadas com ar-condicionado, eu duvido, pois fico imaginando aquela caixa de vidro, no dia que o ar condicionado pifar e alem do mais, algum inteligente resolver fumar pra esperar o onibus; o parque de diversões do remendão jamais sairá do papel como apresentado; duplicaçao da beira-rio, parada; pontal do estaleiro, parado; e por aí vai…

    Curtir

  5. Curioso para saber quais seriam essas obras “não essenciais”. Bah, com tanta coisa para se fazer na cidade, será que aquele enxuto e medíocre pacote de obras do pacote para a Copa teria conseguido se dar ao luxo de chegar até mesmo obras não essesnciais, hein… Falavam que tudo era importntíssimo naquele pacote e por isso outras obras acabaram preteridas em detrimento às do pacote. Agora são “não essenciais” a ponto de serem cortadas.. Não duvido nada que cortem a futura avenida Tronco (que seria útil, mas jamais fundamental, sobretudo diante de outras necessidades viárias gritantes por investimento na cidade). E o metrô capenga, que vai ter meia dúzia de estações em um caminho em que os ônibus são muito mais atrativos, percorrendo o mesmo percurso com mais paradas (o que atrasa um pouco a viagem, mas deixa mais perto de casa e do trabalho).. Outro candidato a cair, já que é um investimento bilionário e agora a moda é falar nos brt’s fakes de poa que tanto agradam às atuais empresas de ônibus da cidade, que os administrarão…… A ampliação da pista do aeroporto também já estão falando em rever e cancelar. Vai sobrar o quê, hein. Meios-fio de calçadas pintados de verde amarelo para celebrar a brasilidade. Viva ao Brasil da Odete Roitman.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: