Capítulo 5.839: Inter e AG podem definir hoje data da assinatura do contrato

Presidente da construtora telefonou para prefeito de Porto Alegre

Presidente Giovanni Luigi pode anunciar a data da assinatura ainda hoje Crédito: Mauro Schaefer

Depois de idas e vindas, Inter e Andrade Gutierrez estão praticamente prontos para formalizar a parceria que fará do Beira-Rio um estádio moderno e pronto para a Copa do Mundo de 2014. Os últimos detalhes foram resolvidos entre a tarde e a noite dessa quinta em conversas por telefone dos dirigentes do Inter com executivos da Andrade Gutierrez.

O dia foi agitado e cheio de informações desencontradas. Pela manhã, irritado com a indefinição, o governador Tarso Genro fulminou a empresa. “Nossa relação com a AG está esgotada. Eles não apresentaram nenhuma proposta de financiamento até agora e ficam dando declarações como se não tivessem nada a ver com o assunto. A construtora tem de assumir a responsabilidade. Se não o fizerem, serão irresponsáveis”, afirmou, sem anundiar alternativas.

No início da noite, com o objetivo de acabar com uma série de boatos que davam conta do rompimento das tratativas com o clube, potencializados pela fala do governador, a própria empresa divulgou mais uma de suas notas oficiais: “A Construtora Andrade Gutierrez informa que segue nas negociações para o projeto de reforma e modernização do Estádio Gigante da Beira-Rio”.

Em seguida, um dos principais executivo da AG, Sérgio Andrade, telefonou para o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. O intuito do contato foi “pedir desculpas” pela demora na resolução dos problemas da parceria e garantir – mais uma vez – que haverá um final feliz para o imbróglio. Espera-se que a data da assinatura do contrato seja anunciada hoje. E que a cerimônia para tal seja marcada para o início da próxima semana.

A Andrade Gutierrez confirmou aos dirigentes colorados, durante as conversas ocorridas ao longo da tarde, que já conseguiu o financiamento do BNDES que viabilizará a obra. Também concordou em assinar um adendo ao contrato que torna sem validade a famosa “cláusula de saída”, que facultava a empresa o direito de abandonar o negócio em até 120 dias caso não conseguisse os investidores e/ou o financiamento. Esta foi a última exigência dos colorados e já havia sido aceita na semana passada. No entanto, voltou à pauta dessa quinta.

A partir de agora, detalhes do cerimonial serão tratados. O projeto é fazer a formalização com a presença de autoridades. Segundo os dirigentes colorados, será preciso pelo menos dois dias para a emissão dos convites. “A ideia sempre foi fazer uma espécie de solenidade para marcar o começo da parceria. Não vamos fazer nada na calada da noite”, confirmou o 2° vice-presidente do Inter, Dannie Dubin.

Os capítulos

AGOSTO DE 2010 – Andrade Gutierrez procura o então presidente Vitório Piffero e faz uma proposta para reformar o Beira-Rio. Ela, em um primeiro momento, não é levada em consideração pela diretoria do Inter.

JANEIRO DE 2011 – O Inter, já com Giovanni Luigi na presidência, anuncia que não tem condições de concluir a reforma do Beira-Rio com recursos próprios. Propõe ao Conselho Deliberativo a análise de uma parceria para finalizar a obra e sugere que seja com a Andrade Gutierrez, a que oferecera a melhor proposta até então.

MARÇO DE 2011 – Por unanimidade, o Conselho Deliberativo aprova o estabelecimento de parceria estratégica com uma construtora. O clube abre concorrência e recebe quatro propostas dentro do prazo. É escolhida a da Andrada Gutierrez. Advogados passam a trabalhar na elaboração da minuta do contrato.

MAIO DE 2011 – Obras do Beira-Rio são paralisadas. São gastos R$ 14 milhões nas fundações da futura cobertura.

DEZEMBRO DE 2011 -Após longa discussão e da análise da minuta do contrato, CD aprova parceria com Andrade Gutierrez com 229 votos favoráveis e 47 contrários. Ou seja, abre-se o caminho para a assinatura.

25 DE FEVEREIRO DE 2012 – Andrade Gutierrez divulga nota oficial nos jornais dizendo que o Banrisul não concordara em repassar o financiamento do BNDES. Ou seja, repassando para o banco a responsabilidade pela demora no processo.

2 DE MARÇO – Presidente da Andrade Gutierrez garante pela manhã, por telefone, que a negociação continuará. À tarde, a empresa divulga uma nota oficial confirmando que já tem os investidores necessários para a conclusão do negócio.

5 DE MARÇO – Luigi nega que construtora a mineira inicia as obras antes da assinatura do contrato.

7 DE MARÇO – Fifa e integrantes do Comitê Organizador Local da Copa (COL) vistoriam o Beira-Rio, apesar das obras paradas. Em reunião privada com visitantes, Giovanni Luigi garante que “contrato estará assinado até segunda ou terça-feira”. Ou seja, prevê final do imbróglio para 13 de março. A informação foi repassada para a imprensa pelo prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, presente nas reuniões.

15 DE MARÇO – Contatos por telefone entre os dirigentes do Inter e gestores da construtora alinhavam últimos detalhes antes da assinatura do contrato com avanços significativos.

Correio do Povo



Categorias:COPA 2014, Reforma do Estádio Beira-Rio

Tags:, , , , ,

2 respostas

  1. E o que aconteceu entre Dezembro de 2011 e 25 de Fevereiro de 2012?

    Curtir

  2. cara!! Na boa, sejam mais profissionais. Não adianta marcar data, isso já está provado que não funciona e é só para mentir. O lance é convocar todos e assinar esse bendito contrato. Fica mais digno e bonito.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: