Andamento das obras do Auditório Araújo Vianna

Estas duas fotos foram tiradas esta semana e mostram que estão bem adiantadas as obras. Mas vão atrasar e inaugurar somente em junho, ao contrário do prazo anterior, que era na semana de Porto Alegre, em março.



Categorias:Restaurações | Reformas

Tags:,

7 respostas

  1. Sobradinho é o ser mais esquerdista que conheço.

    Prefere ver um local abandonado, como o Araújo Viana, o Cais e o Estaleiro, do que concedê-los a iniciativa privada e entregá-los de volta ao convívio dos porto-alegrenses.

    Vale o mesmo para a orla.

    Curtir

  2. Sobradinho open mind…

    Curtir

  3. Empreendimentos como este necessitam de manutenção continua, na mão do poder público não existe manutenção constante, tudo se deteriora até a destruição. Já a iniciativa privada quer tirar o seu lucro portanto CUIDA.

    Curtir

  4. Seria interessante se colocar em pauta a privatização deste espaço, este por alguns anos, em que o ente privado inicialmente apresentou um custo e, o mesmo agora se apresenta em torno de 3 vezes, chegando a batela de 18 milhões a restauração.

    Aqui fica a pergunta, a quem interessa tudo isso, como pode a Pref. Mun. POA não por em discussão o fato de que o empreendedor deseja aumentar o prazo de concessão, este sob a alegação que o custo da obra mudou.

    Chega um momento, que somente a participação do Min. Público Estado do RS intervir neste caso, visto que a Pref. Mun. POA procura se esquivar esse assunto em uma discussão mais ampla com a sociedade.

    Questão de ponto de vista.

    Curtir

    • Sobradinho, acredito que isso seja um exemplo de parceria entre o poder público e o privado. É muito fácil fazer um comentário como esse que vc fez, sabendo que a Prefeitura não tem o fôlego necessário pra um empreendimento destes. Ai fica a cidade a mercê destes centros de cultura, por que o poder público não pode ceder parte do uso a uma empresa privada ? Que medo é esse das empresas privadas? Elas estão investindo na cultura, com alguma contrapartida pra elas é óbvio. Que adianta não fazer a parceria ? Esperar 40 anos pra prefeitura reformar o Auditório? Ta na hora de deixar entrar mais ar nas nossas mentes…

      Curtir

    • Exato, é muito fácil fazer essa popo de intelectual crítico a tudo que envolve dinheiro privado sem nunca apresentar uma solução além do “o estado deveria fazer”. Aham. Tava ótimo do jeito que estava, nas mãos da prefeitura.

      Sem falar que falar em privatização parece tão anos 90 hhehehehe.

      Curtir

      • Não estou a par do processo, mas creio que o questionamento do Sobradinho tenha sido sobre o processo de concessão, não sobre existir a concessão. Pra que as parcerias público-privadas funcionem é preciso sempre ficar de olho, senão é muito fácil o poder público ser capturado pelo ente privado.

        O fato de que “se não privatizar ninguém faz nada” não significa que se privatizar tudo vai ser feito, e de forma eficiente e honesta, como os posts acima parecem dar a entender ignorando o questionamento do Sobradinho sobre o valor e os prazos da concessão.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: