Destino Certo: Zona Sul recebe unidade para descarte de lixo

Contêineres são para os resíduos não recolhidos nas coletas regulares Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Uma nova alternativa de descarte de lixo chegou à Zona Sul nesta segunda-feira, 19, com a abertura da Unidade Destino Certo na avenida Diário de Notícias, 1.111. O prefeito José Fortunati e o diretor-geral em exercício do DMLU, Carlos Vicente, inauguraram o serviço que estará disponível de segunda a sábado, das 8h às 18h.

O projeto visa ao combate do descarte irregular de lixo. No local, estão instalados contêineres para destinação daqueles resíduos que não são recolhidos nas coletas regulares de lixo orgânico e seco. A destinação é separada em quatro grupos – madeiras beneficiadas, móveis e colchões; terra, entulhos, caliça de obra e cerâmica; resíduos arbóreos e capina de jardins; e sucatas de ferro e eletrodomésticos.

O objetivo é expandir o projeto por toda a cidade, organizando de acordo com as regiões do Orçamento Participativo. “Precisamos pensar a limpeza urbana com ações que se complementem, buscando efeito multiplicador entre os cidadãos. Prestando serviços de qualidade e colocando alternativas de descarte à disposição, vamos mudando o cenário da cidade”, defendeu o prefeito.

Serviço para o cidadão – Conforme o diretor-geral em exercício do DMLU, o serviço é focado aos cidadãos. As empresas devem ser responsáveis pela correta destinação dos seus resíduos. “As unidades Destino Certo são alternativa simples e produtiva, pois oferecemos opção de descarte aos moradores e combatemos os focos de lixo”, disse Carlos Vicente.

Um novo espaço está em construção na Vila Dique. Hoje, já são três unidades Destino Certo. A primeira funciona há dois anos na Vila Cruzeiro do Sul, e há cerca de 60 dias o DMLU instalou a segunda na rua Carvalho de Freitas, no bairro Glória. As unidades Destino Certo estão equipadas para receber resíduos dos pequenos geradores, com limite de 0,5 metro cúbico para materiais. Além de grande contêineres para os resíduos diferenciados, também estão à disposição um posto de coleta de óleo de fritura usado, um posto de coleta de lixo seco (seletivo) e uma área protegida para receber pneus velhos.

Focos de lixo – São mais de 300 os focos crônicos de lixo cadastrados pelo DMLU. Esse serviço resulta na coleta de uma média diária de 500 toneladas de resíduos que não são destinados às coletas regulares. O custo para os cofres públicos chega a R$ 1,150 milhão por mês, o que significa R$ 13,8 milhões a cada ano.

Prefeitura



Categorias:Coleta mecanizada de lixo, Meio Ambiente

Tags:,

3 respostas

  1. Entendo que para o sucesso dessas iniciativas é fundamental que a informação sobre a sua existência e forma de utilização chegue aos moradores de cada região abrangida. A grande maioria não recebe a informação e, portanto, não utiliza do serviço. Seria de grande proveito se o DMLU editasse um simples panfleto que fosse distribuído pelas residências e empresas de cada região.

    Curtir

  2. Belo trabalho da prefeitura, faz falta um lugar para recolher este tipo de lixo, agora eles tem que providenciar um “Destino Certo” pelos lados da Voluntários da Pátria para servir os bairros Floresta, Navegantes e arredores. Parabéns prefeito bela iniciativa.

    Curtir

  3. Essas noticias geralmente nao dao muito ibope com o pessoal, mas e’ uma ideia excelente! Em Londres, cada sub-prefeitura tem locais desse tipo, onde o cidadao vai pra jogar lixo domiciliar que e’ dificil de ser recolhido, como, por exemplo, restos de construcao, tralhas de garagem etc. Para evitar que picaretas levem lixo nao-domiciliar, os centros exigem prova de residencia; podiam fazer o mesmo no Brasil, ja’ que e’ certo que vao tentar levar vantagem. De qualquer forma, mais um ponto pro Fortunati na luta contra a comunista de pelo no suvaco.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: