Máquinas já trabalham na Av. Beira-Rio

Avenida Beira-Rio inicia mais um trecho da duplicação

Máquinas na Beira-Rio: obras do trecho 3 começaram nesta quinta-feira, 22 Foto: Cristine Rochol/PMPA

Máquinas já trabalham na duplicação de mais um trecho da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio. O prefeito José Fortunati e os secretários de Obras e Viação, Cássio Trogildo, e de Mobilidade Urbana e Diretor-Presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, assinaram nesta quinta-feira, 22, a ordem de início do trecho 3 da avenida. (vídeo)

A duplicação se estende por mais 2.334 metros da Edvaldo, próximo à Casa de bombas do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), em direção à Zona Sul. O prazo previsto para a conclusão do trecho 3 é de até 12 meses. A obra, que será realizada pelo consorcio Toniolo Busnelo S.A, tem investimento de R$ 22,5 milhões.

No local, o prefeito destacou que a obra está direcionada para a realização da Copa, mas que ficará de legado para a cidade. “É uma obra importantíssima, pois teremos uma via, que hoje está congestionada no horário de pico, que irá permitir melhor mobilidade para quem se desloca para a Zona Sul”, destacou. Fortunati prometeu, ainda, que com a nova faixa a avenida será bloqueada nos finais de semana para o passeio da população.

O diretor da EPTC também ponderou que a obra, além de facilitar o acesso aos jogos no estádio da Copa, irá qualificar grandes eventos públicos que estão direcionados para a avenida. Conforme o secretário Cássio, as obras da avenida está dividida em três etapas e integra a Matriz de Responsabilidades da cidade em preparação para sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014. As duas primeiras fases já estão em execução.

No trecho da construção da nova pista haverá um canteiro central, três faixas de rolamento, ciclovia e passeio, totalizando 16 metros de largura. A intervenção completa consiste nos serviços de terraplenagem, drenagem, pavimentação, iluminação e sinalização.

Também participaram da cerimônia, a coordenadora do Gabinete de Articulação Institucional, Ana Pellini; o secretário de Planejamento, Márcio Bins Ely; vereadores e conselheiros do OP.

Em execução – No dia 2 de março, foi iniciada a construção da ponte sobre o Arroio Dilúvio, que ligará os trechos 1 e 2, que , em fase de conclusão, estão em obras desde julho de 2010. No momento, são realizadas as intervenções para o alargamento da avenida Ipiranga, entre a Beira-Rio e a Borges de Medeiros, para receber a cabeceira da ponte.

Para esta intervenção, o investimento é R$ 4,5 milhões, incluindo a construção da ponte, que terá extensão de 80 metros, o alargamento e a repavimentação do trecho. A execução está a cargo do consórcio EPT-Procon. O prazo de execução é de aproximadamente oito meses, com estimativa de conclusão até o final de 2012, dependendo das condições climáticas.

A obra completa – A duplicação da Edvaldo compreende quatro trechos, somando 5,8 quilômetros. A primeira fase, composta pelos dois primeiros trechos, que totalizam 1,38 quilômetro de extensão, está em fase de conclusão. Com investimento de R$ 7,2 milhões, a obra é executada pela construtora Extremo-Sul Ltda (Coesul). Neste trecho, são realizados serviços de alargamento, readequação e repavimentação dos canteiros e da rótula da Aureliano de Figueiredo Pinto.

A obra, incluindo a quarta etapa entre a Aureliano de Figueiredo Pinto e a Usina do Gasômetro, resultará em três pistas em cada sentido, rótulas, ciclovia, ponte sobre o Arroio Dilúvio e viaduto sobre a avenida Padre Cacique, além de ciclovia paralela ao Guaíba, e estacionamento junto à Usina. A previsão de conclusão é no final de 2013.

Prefeitura



Categorias:COPA 2014, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:

8 respostas

  1. Importante avenida que vai melhorar o fluxo para a zona sul, ainda muito precária de acessos viários. Ficará um lugar bonito da cidade, os turistas vão gostar de passar, principalmente para acessar o Beira-Rio durante a Copa do Mundo/2014.

    Curtir

  2. O que estou meio ressabiado em relação a essa obra é que em termos práticos ela vai usar aquela pista de chão batido que tinha perto do Montana Grill para fazer uma pista. Aquela pista era muito usada para lazer e não veja uma outra pista equivalente sendo feita para as pessoas.

    Fora isso, não vi sinal da ciclovia ainda. Deu medo que no final façam apenas mais uma pista para carros e nada mais, não é de se duvidar.

    Curtir

  3. Bem que podiam fazer de concreto portland… Já é pedir demais.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: