Bourbon Wallig abre ao público hoje

Empreendimento do Grupo Zaffari é a nova atração para os consumidores gaúchos. O shopping concentra 237 operações

Além do hipermercado Zaffari, são também lojas-âncora do estabelecimento Renner, Centauro, Marisa e CeA Crédito: MAURO SCHAEFER

A partir de hoje, o Bourbon Shopping Wallig abre suas portas para receber o público de Porto Alegre. Situada na avenida Assis Brasil, entre as ruas Francisco Trein e Joaquim Mesquita, o empreendimento tem 199,2 mil metros quadrados de área construída e quatro pavimentos de lojas. Será mais uma opção para os consumidores da zona Norte e dos demais bairros da cidade. O novo local de compras concentrará 237 operações. Além do hipermercado Zaffari, também são lojas-âncora do shopping Renner, Centauro, Marisa, Riachuelo e C&A.

O mix de lojas conta com as unidades De Conto, Arezzo, Gang, Bibi, Datelli, Gaston, Boticário, Luigi Bertolli, Tok, Colchões Ortobom, Panvel, Multisom, Home e Cook, Safira, Paquetá Esportes, TNG, City Shoes, Claro, CVC, Colombo, Hering Store, Oi, TAM Viagens, Trópico, Mil Sons, Inter Sports, Atavios, TIM, Pro Sport, Raro Efeito, Digimer, TVZ, Vivara, Elegance, Pitt Jeans, Carmem Steffens, Wall Street Posters, LG Mulher, Camicado, Vitasons, Mahogany, MK Makenji, Bagaggio, Bolicho do Bicho, Memove, Superlegal, Barred”s, Sonia Cruz, Pentefino, Bazz Jeans, Aramis, DXD Informática, Via Uno, Espírito Santo, Rosa Paulina, Bebê Básico, Planeta Digital, M. Officer, LG, Butique Nô, entre muitas outras. Em serviços bancários, a Caixa Federal e o Bradesco instalaram agências.

Na Praça de Alimentação o público terá uma ampla diversidade de atrações gastronômicas: MCDonald”s, Burger King, Bobs Burger, Baked Potato, Confraria do Café, Chocolate Prawer, Nanking, Jefe Grill, Troppo Buono, DaDo Bier, SubWay, Frango & Cia, Bocattino e Divino Fogão e também quatro restaurantes.

Dirigentes elogiam empreendimento

Localização estratégica do Bourbon Wallig garante expansão do consumo Crédito: cristiano estrela

Dirigentes do varejo da Capital comemoram a chegada do Bourbon Shopping Wallig. O empreendimento entusiasma o mercado pela sua alta qualidade, característica da marca Zaffari. Irá fortalecer e especializar o setor na tarefa de bem atender à população. No segmento da gastronomia, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/RS) considera importante o investimento por permitir expansão no mercado da alimentação. “É o nascimento de um novo polo gastronômico de grande importância para a zona Norte, área onde há crescimento da classe média, do consumo e da renda”, avalia a presidente da Abrasel/RS, Fernanda Etchepare.

Há outros fatores celebrados pela Associação. A geração de emprego e o aprimoramento do mercado são exemplos. Com mais poder de compra, a população está exigente e cada vez menos almoça em casa. “Isso exige do ramo competência e criatividade. Como o Bourbon Shopping Wallig atrairá multidões em busca de diferenciais, a praça de alimentação será obrigada a corresponder à altura a essas expectativas”, assinala Fernanda.

Mesmo sem números, a Abrasel/RS aposta numa significativa movimentação econômica no setor de alimentação do novo shopping. “Trata-se, agora, de uma área mais nobre.” Nos cálculos de Fernanda, as 19 lojas de alimentação mais os quatro restaurantes “consagrados” deverão gerar, aproximadamente, 500 empregos entre diretos e indiretos. Como a região no segmento imobiliário se caracteriza pelo lançamento de condomínios e verticalização habitacional, a Abrasel vê boas oportunidades de negócios, também no futuro, aos empreendedores da praça de alimentação do shopping.

Prédio ocupa área de fábrica de fogões

O Bourbon Shopping Wallig está localizado no terreno onde antigamente funcionava a fábrica de fogões Wallig. Em operação no período de 1953 a 1981, foi considerada a maior fábrica de fogões do país e empregava quase 4 mil funcionários. Na década de 70, devido à crise financeira, a empresa decretou falência. O fechamento provocou impacto na economia gaúcha e os operários fundaram cooperativas para manter a produção, o que ocorreu por cerca de dez anos.

Aquisição de terreno ocorreu em 2009

Após a falência, o vasto terreno da antiga fábrica de fogões Wallig passou a ser utilizado para outros fins, entre eles, depósito de gás e instalação de parques e circos. Porém, a maior parte da estrutura do antigo estabelecimento sofreu com a ação do tempo e do vandalismo. À beira da ruína total, o terreno foi adquirido em 2009 pelo grupo Bourbon, que inaugurou as instalações com quatro pavimentos de lojas.

Inauguração muda cenário da região

A abertura oficial do Bourbon Shopping Wallig, na zona Norte de Porto Alegre, provocará um dos maiores impactos viários ocorridos na região, em especial no bairro Cristo Redentor, considerado um elo de ligação da Capital com as cidades da região Metropolitana. Erguido na avenida Assis Brasil, uma das mais importantes da Capital, o empreendimento está localizado entre as ruas Francisco Trein, Umbu e Antônio Joaquim Mesquita, perto do Hospital Conceição.

Uma das principais mudanças com a construção do complexo está relacionada ao trânsito. Com um fluxo intenso em todos os horários do dia, a preocupação dos moradores e dos comerciantes da região é de que a situação fique ainda mais caótica. Segundo o diretor de trânsito da EPTC, Carlos Pires, as mudanças serão efetivadas nesta quinta-feira, quando o local será aberto ao público. A alteração mais importante está relacionada à avenida Grécia, que tem alargamento previsto até a Avenida do Forte. A ideia é que a via seja uma alternativa para evitar congestionamentos na avenida Assis Brasil. A sinalização viária da avenida Grécia foi revitalizada, com implantação de sinaleiras nos cruzamentos, pinturas e novas placas de trânsito. Segundo a EPTC, até o dia 3 de maio o tráfego seguirá em meia pista entre a rua Antônio Joaquim Mesquita e a Avenida do Forte. Para facilitar o fluxo viário, a Assis Brasil ganhou mais uma faixa no sentido centro-bairro, no trecho entre a rua Joaquim Mesquita e a Francisco Trein.

Carlos Pires destacou ainda que não foi estimado qual será o volume de trânsito que o complexo comercial atrairá. Mesmo assim, ele reconhece que nas primeiras semanas o fluxo será intenso em função da curiosidade da população em conhecer o shopping. Com a intenção de amenizar os impactos no trânsito, a EPTC distribuirá um folder com informação aos motoristas e moradores do entorno.

O trecho da avenida Francisco Trein que, atualmente, é de mão dupla, entre a Assis Brasil e o Hospital Conceição, passará a ter sentido único. No sentido contrário, porém, estará funcionando um corredor de ônibus, que deve facilitar o acesso aos clientes, além de permitir a passagem de lotações e ambulâncias.

A prefeitura também exigiu uma série de obras relacionadas à rede de esgoto e água, de drenagem, iluminação pública e telefonia. Foi preciso ainda instalar sinalização específica e reconstruir áreas de passeio. Pelo impacto das fundações, foi exigido o salvamento arqueológico do local. O serviço foi realizado entre 2009 e 2010. Além das ações de engenharia, está prevista a instalação de duas câmeras de monitoramento na Assis Brasil, uma próxima à Estação Obirici e outra na esquina da rua Fernando Cortez, para fazer o acompanhamento do transporte público e a circulação de pessoas 24 horas por dia. O objetivo é promover mudanças nos tempos dos semáforos, caso haja necessidade.

Gastronomia consolida negócios

Para o Sindicato da Hotelaria e Gastronomia de Porto Alegre (Sindpoa), cada vez mais a área da gastronomia – nas suas diversas formas de apresentação, como lancherias, fastfood e restaurantes – é imprescindível à consolidação do êxito nos negócios do varejo em grandes centros comerciais.

No caso do Bourbon Shopping Wallig “isso fica muito claro com a oferta de 1.085 lugares na praça de alimentação, comprovando que é inconcebível a existência de um shopping sem atenção especial, e até privilegiada, à gastronomia”, observa o presidente do Sindpoa, José de Jesus Santos.

A boa empregabilidade e a oferta de produtos de qualidade do setor da alimentação aos milhares de consumidores do novo shopping acrescentarão conhecimento e ganhos importantes, ressalta o dirigente. O Sindpoa, por isso, tem dedicado esforços ao treinamento da mão de obra. Para quem vai trabalhar no Bourbon Wallig, o sindicato oferece cursos gratuitos, das 8h às 22h, no Centro de Qualificação Profissional. “A especialização, como nunca antes, é necessidade urgente”, diz Santos.

Correio do Povo – 26/04/2012

____________



Categorias:Comércio, Economia, Economia da cidade, Shopping Centers

Tags:,

30 respostas

  1. Pois foi estimado sim!!! Foi estimado para daqui a 20 anos!! Está tudo no relatório de Impacto Ambiental e Estudo de Tráfego. Tudo pensado, estudado e colocado em prática!! E é por isso que foram exigidas tantas obras viárias!! Parabéns pra nós!! Vai ser um baita shopping!!

    Curtir

  2. Amei esse trecho da matéria : “Carlos Pires destacou que ainda não foi estimado o volume de trânsito que o complexo comercial atrairá ” .

    Curtir

  3. Adoro o Grupo Zaffari pois além de valorizar nosso bairros é algo de primeiro mundo. Estão todos de parabéns principlamente nós do Cristo Redentor o resto é pura inveja!!!!

    Curtir

  4. Eu estou torcendo para que saia um Shopping Boubon Praça Garibaldi… não dá mais para aguentar os marginais que circulam por ali.

    Curtir

    • é, porque o único jeito de acabar com esse problema dos marginais e mendigos é eliminar todas as praças da cidade

      Curtir

      • Não é o único jeito… mas daí teria que depender dos nossos governantes.
        Não conheço ninguém na Cidade Baixa que goste daquela praça… tenho amigos que moram na frente dela e já foram coagidos/assaltados pelos marginais que ficam ali. Por esta mesma razão seus apartamentos estão completamente desvalorizados.

        Um shopping, Mc Donalds,… qualquer coisa comercial revitalizaria a região.

        Curtir

        • Ou uma praça bem iluminada, bem conservada, com segurança e presença contínua de público. Isso pode ser alcançado até com uma banca de cachorro quente 24 horas ou coisa parecida. O que eu não concordo é jogar fora o equipamento urbano que é a praça assim.

          Curtir

        • Não concorda pq não mora lá! Para quem mora a situação é bem mais urgente e mesmo algo que não seria o ideal já seria um grande avanço.

          Curtir

      • fmobus, um grande vantagem dos shoppings é a segurança, ausência de flanelinhas e isso não tem nas praças. Na segunda feira teve uma notícia bomba no clickRBS que mas de 2/3 dos crimes em PoA não é nem sequer investigado (o BO vai para um arquivo morto e dali não sai).

        Então nós e o Blog também se interessa mais por fazer um festival de posts sobre o novo shopping de PoA e nada sobre segurança…

        Essas são as condições e a responsabilidade é totalmente nossa, se não falarmos nada sobre isso, simplesmente não é importante.

        Curtir

  5. “…..Como o Bourbon Shopping Wallig atrairá multidões em busca de diferenciais, a praça de alimentação será obrigada a corresponder à altura a essas expectativas”, assinala Fernanda…”
    Hummmm…..qual seria esse “diferencial”??
    Esses empreendedores adoram exagerar o que nao tem.

    Curtir

  6. Não ia ter uma Chungo de Buenos Aires? Era o que eu mais estava esperando.

    Curtir

  7. Fuleira pq ,e oque tem de pior as pessoas que moram na Assis Brasil de vc por exemplo Ricardo uk?

    Curtir

  8. So’ loja fuleira pelo jeito… o pessoal da Assis Brasil vai adorar.

    Curtir

  9. Agora Porto Alegre passa a contar com 4 shoppings grandes (Barra, Iguatemi, Praia de Belas e o Bourbon Wallig), os outros são de bairro. A zona leste continua carente de um empreendimento desse porte, quem sabe quando o Belvedere sair do papel.

    Curtir

  10. Já encheu o saco esses posts do Bourbon… até parece que foi a coisa mais importante que já aconteceu em PoA!

    Curtir

    • Eu sempre recomendo que quem não quer ler um post ou está “cheio” de algum assunto, é só não ler, pular o post e comentar o próximo.

      Curtir

      • Isso aí Gilberto. Tens a liberdade de colocar o que quiser e temos a liberdade de não ler.

        Só me entristeço de comemorarmos opções de “lazer” privadas, nada que realmente qualifique o turismo da cidade… por enquanto só o blá blá blá de ano de eleição…

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: