Duplicação da avenida Tronco começará em maio

Jornal Metro – Porto Alegre – 26/04/2012



Categorias:COPA 2014

Tags:, , ,

41 respostas

  1. Transporte de massa que realmente cumpra seu papel é METRÔ. Aeromóvel é PALIATIVO que não comporta a demanda.

    Curtir

  2. Acho que todos vocês sabem que muitas pessoas que “‘ ganham ” as casas quando são retirados de algum local as vendem e voltam a invadir em outro lugar. Isto é comum e nem mesmo o controle que existe para conter este fato consegue fazer com isso não aconteça.

    Curtir

  3. Eu sou a favor a construção de moradias dignas para invasores de área públicas e privadas e moradores de vilas e favelas em situação de degradação no Brasil a fora. O que sou contra é darem essas casas gratuitamente. Pagar por suas coisas com “suor de seus rostos” é muito mais digno e gratificante e tenho certeza que essas pessoas, com um pouco de ajuda, conseguiriam adquirir esse patrimônio sem problemas.

    O problema é que pelas últimas decisões tomadas ultimamente em todos os níveis de governo, infelizmente, o Brasil está abandonando valores como o trabalho, o esforço pessoal a ordem e o mérito, substituíndo-os, na busca pelo desenvolvimento econômico e social, pelo assistencialismo, a dependência, a malandragem, o jeitinho e os atalhos pouco resolutivos.

    Curtir

    • Julião

      Não tenho certeza, mas me parece que isto já está ocorrendo, porém o mais importante é que a propriedade está sendo dada não mais para o homem da família, mas sim para a mulher, evitando que o imóvel seja comercializado pelos “bonitos” e depois fica toda a família de novo sem casa.
      Agora quanto o assistencialismo acho que não é bem assim, quando a pessoa passa de uma favela para uma residência em média (não estou falando de casos) o desemprego da família diminui e inclusive, o mais interessante, a taxa de natalidade diminui. Logo este “assistencialismo” se revela a longo prazo em uma eliminação do próprio, o que todos desejamos.

      Curtir

    • o problema é que as pessoas sabem que se forçarem a barra, vão ganhar de graça, e se não ganharem, sabem que é mais barato invadir um terreno e fazer a favelinha la…

      Curtir

  4. A foto é na Av.Divisa, que será duplicada, no meio da Vila do Arroio Sanga da Morte

    Curtir

  5. Essa foto talvez seja do arroio na Av. Divisa com a Icarai, onde vai ser o fim da Av Tronco.

    Curtir

  6. Fico impressionado com a quantidade de terrenos abandonados no entorno do Jockey Club e no bairro Cristal. Uma zona tão privilegiada merece melhor cuidado. A quem pertencem?

    Curtir

  7. É isso aí, + carro – cidadania!!
    imaginem, duas pistas de cada lado separando um lado do bairro do outro…com gente cruzando a todo momento = várias mortes e acidentes!!
    pista de corrida do lado do campinho de futebol e das moradias!!

    Curtir

    • Mas que comentário non-sense.

      Curtir

      • passe la (Avenida Tronco) depois de 2014 e confirmarás!!!

        Curtir

        • Sim, na tua cabeca, miseria, favelas e crime e’ igual a “cidadania” garanto que tu es um destes que acha a miseria um “barato” super legal!!!

          Curtir

        • Vou passar…
          Numa avenida bem arrumada, sem favelas, sem lixo, boas pistas, bom asfalto, acessos para as ruas….

          Vai ser perfeito…
          😀

          E sim, vou de carro, de preferencia com um SUV gastando 5 litros por quilometro rodado e ocupando espaço pra 3 carros…. e sozinho é claro….

          Curtir

    • Eu sabia que ia ter um comentario assim.
      hashuashasuhasu

      Vai la andar de bike no meio da favela… haha

      Curtir

    • Essa gente quer mesmo e’ que as favelas continuem favelas e os favelados continuem favelados. E’ a mafia do social, muito presente em POA (tem ate’ candidata a prefeita agora dessa turma).

      Curtir

      • Eu quero que este pessoal que invadiu este local se exploda. Não tenho pena de invasor. A Av. Tronco esta assim porque os prefeitos ficaram com pena de desalojar os invasores que construiram lá suas casas como muito trabalhador não tem, sem pagar imposto nem nada. Várias ruas da Vila dos comerciários não terão acesso a Av Tronco porque nos seus leitos estão os invasores.

        Curtir

  8. Ah, detalhe. A obra está para ser feita desde 1959…agora vejam Shangai, a diferença em 1990-2010

    Curtir

    • Adriano, esta obra foi inicada antes de 1950. Em 1951/52 havia uma parte, com meio fio e rede de esgoto pronta, atras do Posto da então Vila dos Comercários, agora englobada pela famigerada vila cruzeiro. A Vila dos Comerciários era um modelo francês de construção de casas, eram 202 casas e 48 apartamentos. Foi inaugurada pelo então presidente Brasil Getulio Vargas. Todos nós sabemos como tudo se arrasta nesta cidade, então a Av. Tronco foi esquecida e sobre o seu leito hoje estão os invasores, cheios de direitos. Foi um candidato a vereador que levou para lá os primeiros invasores. É uma m.e.r.d.a. Acho que aprendi. Vou dizer uma última coisa para quem acha certo invadir. Aguém permitiria a invasão de um terreno, casa, sítio ou sei eu lá o que por alguém e ficaria quietinho? Eu não.

      Curtir

  9. Bonus moradia? Aluguel social??? Tá na hora de acabar essas esmolas do governo, acho que a maior parte do pessoal que mora lá pode trabalhar pra se sustentar. Eu tenho que trabalhar, tu tens, todos temos. Eu não tenho família com grana, nem herança e moro de aluguel, e nem por isso ganho esmola do governo. (Espero as pedradas… hehe)

    Curtir

    • Realmente, num país desenvolvido como o Brasil, só vagabundagem mesmo pra explicar porque alguém vive num assentamento irregular. Pra quem combater a pobreza? Só é pobre quem quer!

      Curtir

      • exato.

        Hoje em dia tem trabalho de sobra, cursos de qualificação e muito mais.

        Não ter dinheiro não é justificativa para invadir terrenos de quem pagou por eles.

        Curtir

    • Caro Mateus e outros.

      Quando se faz qualquer programa público, há os aproveitadores e há os honestos, isto ocorre tanto numa moradia social como num empréstimo que se faça a indústria para que ela se reequipe e produza mais, temos que analisar o balanço final e não olhar casos.
      Um bom exemplo disto é a bolsa família, logo vamos ao resultado final da mesma em termos do índice que gosto muito e que é dificilmente manipulado, a demografia.
      Com a introdução da bolsa família, muitos questionaram este benefício pois incentivaria a natalidade para os casais ganharem mais subsídios. Porém esta crítica veio abaixo com o resultado do censo 2010 que saiu a poucos dias, e quais foram estes resultados:
      Primeiro, a taxa de mortalidade infantil declinou espantosamente nas zonas mais pobres (sem contar que a em épocas passadas muitos óbitos não eram registrados), no Nordeste por exemplo ela caiu de 4,47% para 1,85%, ou seja, uma enormidade.
      Bem pode-se pensar que com a bolsa família e a queda de mortalidade infantil a taxa de fecundidade (número de filhos por mulheres) tenha subido, mas aconteceu EXATAMENTE AO CONTRÁRIO, dando de novo o nordeste como exemplo a taxa de fecundidade caiu em 23,4%, ou seja, os programas sociais que pareciam para muitos incentivadores da natalidade foram mais efetivos do que campanhas de planejamento familiar.
      No caso das residências populares, é exatamente o mesmo, se dá melhores condições de vida e a reação quanto a natalidade é instantânea, ela diminui.
      Isto se explica, pois no momento que se dá condições mínimas de qualidade de vida ocorre dos fenômenos, primeiro as pessoas viram cidadãos e começam a pensar como tal, e segundo e mais importante, a pessoa começa pensar em melhorar mais ainda.
      Há muita mística sobre o efeito de programas sociais, e elas não resistem a uma análise mais científica baseada em dados, as coisas ocorrem completamente diferente do que muitos falam.
      Agora quanto aos safados (sem teto, classe média e ricos) deve ser empregado o rigor da lei, se é proibido vender as casas é só o Estado verificar e expulsar os que não são os donos iniciais, simples e límpido, afinal de contas, para que serve a polícia!
      Outra coisa que chamo a atenção, é a quem entregar a propriedade dos imóveis, há pouco tempo deu uma LUZ no GOVERNO FEDERAL e passaram a entregar os títulos de propriedade as mulheres, não aos homens, por um simples motivo, quando desaparecem os “bonitos” quem segura a barra e se torna a cabeça de família são as mulheres!
      Não se pode pensar que trabalhamos com 100% de pessoas honestas, porém não podemos deixar que uma meia dúzia impeçam a se fazer as coisas certas.

      Curtir

  10. Que piada. “Valorização”, “Resistência”. Interessante, não sabia que podia-se lucrar ou tirar benefícios através de terra pertencente ao “Estado”. Por mim, fazia operação igualzinha a executada no “Pinheirinho” em São José dos Campos.

    Curtir

    • Adriano
      Vamos recompor a realidade.

      1) Pelo que eu saiba não havia registro de imóveis antes da chegada do Cabral no Brasil, logo por direito natural o Brasil todo pertencia aos índios.
      2) Com a chegada dos portugueses, na mão grande, todas as terras brasileiras foram tomadas pelos portugueses dos 2 milhões de índios que moravam por aqui.
      3) Sem mais nenhuma demora estas terras foram transformadas nas terras da coroa.
      4) Dividiram-se em capitanias, dando certo duas ou três e o resto não.
      5) Foram retomadas pela coroa real portuguesa.
      6) Criaram-se os cartórios e sua majestade distribuía as terras que não eram suas, por direito de sucessão (afinal ele não era índio!), aos seus amigos compadres e pedacinhos pequenos aos colonos europeus (com bolsa família, implementos agrícolas e tudo mais).
      7) Por este tanto, um monte de africanos trabalharam a terra que era dos índios e não ganhavam um tostão.
      8) Foi abolida a escravidão, e os filhos os netos e os bisnetos daqueles que trabalhavam as terras foram chutados para fora delas e deixadas para os filhos, os netos e os bisnetos dos portugueses que nunca trabalharam a terra.
      9) A turma da imigração, continuou trabalhando a terra nas suas pequenas propriedades e quando juntavam algum dinheiro compravam uma terra de um dos filhos, netos ou bisnetos dos portugueses que não queriam trabalhar na terra.
      10) Chegando os dias de hoje, a república brasileira, herdou as terras do império brasileiro, que por sua vez herdou as terras do império português que tinha roubado dos índios.
      11) Agora de quem são as terras do governo brasileiro? Da república, do monarquia brasileira, da monarquia portuguesa ou dos índios ou daqueles que trabalharam nelas.
      12) Esta questão de definir de quem é o real proprietário das chamadas terras públicas fica engraçado, pois nenhuma parte do Brasil foi comprada originalmente dos índios, logo o que tem é pura grilagem! (Os colonos Norte-americanos compraram a Ilha de Manhattan dos índios norte-americanos, lá pode-se dizer que a posse é legal).

      Curtir

      • Quanta bobagem num só texto!

        O que define o que é propriedade do Estado são as leis vigentes. E ponto final. O Estado de direito, o império da lei e a propriedade privada são os pilares de qualquer sociedade civilizada.

        Curtir

    • Adriano

      Só não entendi o teu comentário, de quem eram as terras do pinheirinho. Do cara que roubou a bolsa de valores brasileira ou do povo que morava lá?

      Curtir

      • “”1) Pelo que eu saiba não havia registro de imóveis antes da chegada do Cabral no Brasil, logo por direito natural o Brasil todo pertencia aos índios.””

        Bah cara, da um tempo, ou pelo menos pense no que escreve. Se nao havia titulo de imoveis, nem paises antes de cabral chegar, LOGO, COMO OS INDIOS ERAM DONOS???? DONOS DO QUE??? E COMO ALGUEM PODERIA TER ROUBADO ALGO QUE NAO TINHA DONO, E TU MESMO RECONHESE ESTE FATO.

        Curtir

      • O dono era o cara que aprontou na bolça de valores.

        Não importa se a grana era roubada ou não, ele pagou pelo terreno.

        Quem invadiu… estava ROUBANDO.

        Curtir

        • O terreno deveria ter passado ao estado com a morte dos donos que não tinham herdeiros, e eventualmente apareceu em nome do Najas e não existe nenhum sinal de pagamento sobre a área. Logo, quem roubou foi ele.

          Curtir

        • Carlos

          Não entendeste a lógica de alguns. Terreno mesmo que roubado, com título de propriedade frio, vale.
          Já ocupar terras que não eram de ninguém ou que ninguém reivindicou por longo tempo, é roubar.
          E o pior que o Najas, quebrou a bolsa de valores do Rio de Janeiro com todos os seus esquemas ilegais.
          O chamado escândalo do Pinheirinho começou há trinta anos, eram mais de um milhão de metros quadrados que pertenciam a um casal de alemães que não possuíam herdeiros e que foram assassinados em circunstâncias até hoje não esclarecidas. Depois disto a área passou das mãos do Estado de São Paulo, governado pelo probo PSDB, dono das terras após a morte do casal, para por fim passar para a empresa Selecta, propriedade de Nahas.
          A revelação desta imensa maracutaia de 180 milhões de reais deixa quaisquer tucanos, tucanões e tucaninhos nervosos.

          Curtir

    • Pra que tanto ódio e tanta simplificação?

      Curtir

  11. Eu acho que esta foto não tem nada a ver com a avenida Tronco.. ou estou enganado?

    Curtir

    • A foto da reportagem, pelo ângulo, parece ser de outra área (ao lado do Barra Shopping) prevista para receber outro projeto. Não parece ser da área da av. Tronco.

      Curtir

    • A foto foi tirada a cerca de 200 metros da avenida Icaraí, no local em que vai passar a nova via, junto ao arroio Sanga da Morte. Atualmente, só passam nesse trecho moradores, não os demais veículos. Abs.

      Curtir

    • A Zona Norte já está contemplada merecidamente com o METRÔ, e em breve começarão as obras.

      Já a ZONA SUL tem um trânsito caótico, que só piorará nos próximos anos, tendo em vista a quantidade de unidades habitacionais (prédios, casas) que estão sendo construídos nessa região.

      Já temos o AEROMÓVEL instalado por boa parte da Av. Loureiro da Silva. Esse meio de transporte é a solução para que daqui a alguns anos não vire o CAOS o deslocamento para essa parte da cidade.

      O AEROMÓVEL, hoje, indo pelo menos até o Barrashopping, É FUNDAMENTAL !!!!

      Poderia, dali, ter um TERMINAL DE ÔNIBUS (aliás já tem da Carris) para desafogar o trânsito para outros bairros dessa região de Porto Alegre.

      A duplicação da Beira-Rio NÃO vai ser suficiente.

      A ZONA NORTE já tem metrô, e ouço falar em Aeromóvel indo para CANOAS.

      Com todo o respeito, mas CANOAS não pertence ao nosso município !!!

      A Zona Sul engloba uma grande parcela da população nos bairros Cristal, Tristeza, Cavalhada, Ipanema, Guarujá, Espírito Santo, Restinga, Lami, e por aí vai …

      Precisamos da força dos nossos representantes no município, pois ESSE É O MOMENTO, de darmos continuidade a melhora dos meios de transporte dessa cidade: AEROMÓVEL PARA ZONA SUL JÁ !!!

      Curtir

Trackbacks

  1. ATIVIDADE 3os. ANOS ENSINO MÉDIO | COLÉGIO ELPÍDIO PAES

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: