Sistema de bilhetagem nas lotações está previsto para agosto

ATL está analisando as propostas para a implantação do serviço JOÃO MATTOS/JC

A Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação de Porto Alegre (ATL) prevê para o mês de agosto a implantação do sistema de bilhetagem eletrônica. O projeto está em fase de análise das propostas encaminhadas pelas empresas responsáveis por fornecer a tecnologia. Ao todo, as mais de 400 lotações da Capital contarão com o serviço, semelhante ao TRI Transporte Integrado.

De acordo com o gerente-executivo da ATL, Fernando Michel, a intenção é facilitar a vida do usuário, a fim de que todos possam usar o mesmo cartão utilizado no transporte coletivo convencional. Ele explica que, por ser um tipo de serviço seletivo, não há a possibilidade do desconto ou de meia passagem para os estudantes.

As propostas foram enviadas por empresas do segmento que já trabalham com essa tecnologia, como Digicom, Dataprom, Prodata, Associação dos Transportadores Intermunicipais Metropolitanos de Passageiros (ATM) e Tacom (com a proposta de comercialização integrada), e Associação de Empresas do Transporte de Passageiros de Porto Alegre (ATP), através do TRI. “Após receber as propostas, a ATL vai chamar as empresas para uma conversa e apresentação das ideias de bilhetagem, o que deve acontecer na primeira quinzena de maio”, conta Michel.

O investimento em tecnologia será de responsabilidade do permissionário. “Estamos trabalhando com a previsão de um valor entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões para a aquisição dos equipamentos. Soma-se ainda o custo de comercialização e manutenção do software”, explica o gerente. A ideia é implantar o serviço em todos os veículos desde o início das operações.

O sistema de transporte de lotação opera atualmente com 403 veículos do tipo micro-ônibus, todos equipados com ar-condicionado. O serviço é distribuído em 29 linhas e 18 desmembramentos, transportando 60 mil passageiros por dia. A tarifa é fixada entre 1,4 e 1,5 vezes o valor da do ônibus, de acordo com o disposto em lei. Além da bilhetagem, o sistema de lotações da Capital deve sofrer mais mudanças. No próximo ano, a ideia é de que os permissionários poderão formar consórcios para racionalizar o uso da frota.

Jornal do Comércio



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

1 resposta

  1. Tomara que tenhamos mesmo esse sistema!! Pois tinham prometido que até o ano que vem os lotações contariam com o TRI! Fico contente que as “coisas estão andando”.

    Mas eu ainda gostaria que houvesse mais linhas de lotação na cidade, em localidades ainda não contempladas com esse serviço. E isso sem ter que tirar carros de outras linhas, como aconteceu recentemente com a Jardim Botânico. Saíram dois carros dessa linha e um da Canal 10 para ampliar a frota da Partenon Pinheiro, que já está com 24 carros.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: