Trecho da ciclovia da Ipiranga será inaugurado dia 7

Ciclovia da avenida Ipiranga: liberada a partir da manhã desta segunda, 7 Foto: Andrey Cidade/Divulgação PMPA

A partir da manhã de segunda-feira, 7, entra em funcionamento a Ciclovia da avenida Ipiranga, trecho localizado entre as avenidas Érico Veríssimo e Azenha. A inauguração acontece às 10h com a presença do prefeito José Fortunati e do diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, além de outras autoridades do município e representantes do Grupo Zaffari, parceiro da Prefeitura neste empreendimento.

O trecho, 416 metros, tem piso de asfalto, caracterizado na cor vermelha, sendo devidamente sinalizado. O guarda-corpo, colocado para uma maior segurança no deslocamento dos ciclistas, é de plástico reciclado, capaz de absorver o impacto em caso de queda. A obra, em toda a extensão da Av. Ipiranga, total de 9,4 km, entre a Edvaldo Pereira Paiva e a Antônio de Carvalho, deve estar concluída até o final deste ano, numa parceria público-privada.

Além da Ciclovia da Ipiranga, estão sendo finalizados os trabalhos de implantação da ciclofaixa da avenida Icaraí, bairro Cristal, extensão de 1,7 km e largura de 1,5 m, entre a Wenceslau Escobar e Chuí, inauguração prevista para a próxima semana (dia 10 maio, às 14h); e a Ciclovia da Restinga, total de 4,6 km, na João Antônio da Silveira (3,5 km) e na Nilo Wulff (1,1 km). O pavimento é de asfalto, com 2,5 m de largura, investimento da Prefeitura de cerca de R$ 1 milhão. A inauguração deve acontecer no primeiro semestre deste ano.

Prefeitura de Porto Alegre

__________________

Que engraçado inaugurar apenas um trecho…  fazia tempo que não via esse tipo de coisa. Talvez signifique que nunca inaugure toda a ciclovia ou que demore muito. Lamentável….



Categorias:Bicicleta, ciclovias

Tags:, ,

56 respostas

  1. Levaram 229 dias para construir 416 metros de ciclovia.

    Isso dá uma média de 1,8 metros por dia. Seguindo nesse ritmo, a implementação dos 495km Plano Diretor Cicloviário será concluída no ano de 2758.

    Curtir

  2. O Grupo Zaffari, deveria fazer uma intervenção neste projeto, já que os recursos para esta obra foram bancados pelo Zaffari Walig, como contra-partida do investimento do novo Shopping, O grupo zaffari é padrão em qualidade em tudo que faz. Quase R$ 300 mil, jogado no lixo, numa obra de ciclovia sem segurança e protegida por um Guarda-Corpo, além de muito feio, não seguiu as normas técnicas da lei. Prá remediar, penso ser plantado urgente no entorno da proteção, vegetação capaz de cobrir e dar embelezamento natural ao projeto. Prá que servem os arquitetos do municípios? Não vejo opinarem em nada.

    Curtir

  3. A verdade é que como quase ninguém anda de bicicleta em Porto Alegre, ninguém vai reclamar que ficou ruim.

    Curtir

    • Estás por fora.
      Aliás, isso não diz respeito apenas ao que já andam de bicicleta, mas também aos que gostariam mas não fazem por medo e falta de estrutura na cidade. Até a EPTC já fez uma pesquisa domiciliar para ver os “usuários de bicicleta em potencial”, e o resultado é que uma boa parte da população utilizaria se houvesse infraestrutura. Por causa dessa demanda que foi aprovado o Plano Cicloviário:

      http://pt.scribd.com/doc/62612614/Plano-Diretor-Cicloviario-Integrado-de-Porto-Alegre-%E2%80%94-Relatorio-Final

      Curtir

      • Eu concordo que bicicleta é um meio de transporte muito interessante, mas não adianta se isolar da verdade que em porto alegre pouca gente usa.

        Curtir

      • Eu justamente expliquei que isso é por causa da falta de estrutura para ela. Por isso que tem que reclamar do que está errado, quanto melhor forem as estruturas cicloviárias, mais gente vai usar. Foi assim em todos os lugares do mundo que investiram em ciclovias, o número de usuários de bicicleta se multiplicou.

        Curtir

        • Concordo plenamente que se deve investir nisso e que investindo aumenta o número de usuários, mas não se deve ignorar que, repito, o número de usuários de bicicleta como transporte público em porto alegre é pequeno.

          Curtir

        • Bah Lucas, o número de usuários de transporte público em Porto Alegre é pequeno? É o modal que mais transporta pessoas, segundos dados da própria EPTC!

          Incrível como o engarrafamento de carros causa a ilusão que a maioria das pessoas andam de carro. É um veículo espaçoso que geralmente está transportando apenas uma pessoa no horário de pico. Eficiência social zero. Enquanto isso, cada ônibus está com umas 60 pessoas dentro deles.

          Curtir

  4. quem sabe tu vais lá fazer, gênio! Expert no assunto!!kkkkk

    Curtir

    • Gilmara, não é difícil fazer melhor, sério. Já expliquei diversas vezes aqui nos comentários o jeito certo de fazer. Já apontei diversas referências demonstrando os resultados das implementações de ciclovias e ciclofaixas mundo afora. A visão que eu tenho da solução é alinhada com o que os ciclistas (que têm mais experiência no assunto que você) desejam.

      E não Gilmara, eu não sou projetista ou engenheiro da SMOV ou da EPTC. Em verdade, eu sequer sou engenheiro. Sou desenvolvedor de software e, se tem uma coisa que eu aprendi em dez anos de profissão é que eu sirvo ao usuário, não à tecnologia. O mesmo vale para obras de engenharia civil: de nada adianta ter os engenheiros com melhor capacidade de erguer estruturas e fazer cálculos se eles estão completamente desligados das necessidades reais daqueles que irão se beneficiar de suas obras.

      A julgar pelos teus comentários aqui no blog (neste e em outros assuntos), tu pareces defender as terríveis decisões de projeto da prefeitura simplesmente no argumento de “se a prefeitura está fazendo assim está certo”. Se tirares um pouquinho a cabeça desse buraco do argumento por autoridade, e tomares um tempo para prestar atenção aos detalhes das implementações viárias das outras cidades, verás como a prefeitura da capital da resistência rotineiramente erra grosseiramente a mão.

      No fundo de tudo isso, está a absoluta falta de transparência e participação do público interessado na confecção dos projetos. Só pra citar alguns resultados disso:

      – camelódromo com acesso de ônibus grudado em avenidas movimentadas, forçando os veículos a darem ré em plena Av. Mauá. Erro simples de projeto que qualquer motorista de ônibus poderia ter apontado.

      – projeto de trincheira na Anita em completo desacordo com o caráter residencial do bairro, em completo descompasso com as necessidades dos motoristas

      – ciclovias da Restinga com POSTES no meio e zero espaço para pedestres, sob a estapafúrdia desculpa que não era possível usar o leito da rua (tem espaço sobrando no alinhamento da via)

      – projeto de metrô absurdamente opaco, mas que já prevê a não-construção de estações óbvias como Terceira Perimetral e Camelódromo; isso pra não falar do erro grave que é montar uma estação-término numa área enclausurada por prédios como é a Esquina Democrática quando existe um largo formidavelmente amplo em frente ao mercado público.

      Curtir

  5. E toda esta proteção dos dois lados da ciclovia é por causa de uns idiotas que caem dentro do arroio de carro (a estatística está alta) ou que irão subir o passeio e atropelar os ciclistas ou atropela-los nas esquinas quando entrarem a esquerda. Devido a má educação dos portoalegrenses no trânsito é necessário parafernálias no entorno para protege-los da sua imprudência ao se locomoverem.

    Curtir

    • Quanta bobagem Gilmara.

      Sim, caem carros no arroio com uma frequência alarmante, mas isso não quer dizer que os ciclistas estejam em risco contínuo de atropelamento a ponto de justificar a proteção entre a ciclovia e a pista de rolamento. Além do mais, essa proteção não vai fazer ABSOLUTAMENTE NADA para resolver o problema da segurança nas conversões à esquerda. Existem padrões internacionais para resolver este problema, os quais Porto Alegre está ignorando completamente e inventando soluções bizarras.

      Curtir

  6. Este trecho é um protótipo, um teste para ver como ficaria. Existem muitas questões técnicas envolvidas que não tem nada a ver com o prefeito ou qualquer outro político. Porque todo mundo só ve o lado negativo, hein?

    Curtir

    • Se é um protótipo, então está uma BOSTA. Sinal de que o projeto deve ser completamente revisto.

      Curtir

  7. Prefeito sacana. Tipico politico brasileiro. Anuncia a obra 1 ano antes da eleição, 6 meses antes inaugura 10% da obra (fotos, midia, marketing). É falta de vergonha na cara. Porto Alegre definitivamente não precisa de gente assim. Muita cara de pau.

    Curtir

  8. Vai inaugurar 416 metros? O Sr prefeito está de brincadeira! E nos cruzamentos irá existir ciclovia? Creio que não. Aliás, acho uma palhaçada o que está acontecendo em Porto Alegre. Existe uma forte tendência em cidades desenvolvidas de utilizar bicicleta, o seu uso se justifica por n motivos, e ele está sendo literalmente transposto para a nossa capital. Porém, isso acontece mais pela via política do que pelo lado racional e técnico, que pensa na mobilidade urbana da capital como um todo. Uma ação isolada como essa, não vai mudar o panorama do transporte em Porto Alegre, apenas serve para alardear a população, e preencher páginas em jornais.

    Curtir

  9. Eu acho lamentável afirmar “Lamentável” sem ter conhecimento. Será lamentável se ocorrer, senão acho que deverias um “pedido de desculpas”.

    Curtir

  10. Com essas ondulacoes bizarras….ta mais pra pista de motocross do que ciclovia.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: