Ciclovia da Ipiranga: primeiro trecho entregue à comunidade


Trecho 416 metros será modelo para o restante do projeto Foto: Cristine Rochol/PMPA

Está aberto para trânsito dos ciclistas o primeiro trecho da Ciclovia da avenida Ipiranga, entre as avenidas Érico Veríssimo e Azenha. A infraestrutura e os critérios de segurança desenvolvidos para os 416 metros serão modelo de implantação para o restante do projeto, que somará 9,4 km entre a Edvaldo Pereira Paiva e a Antônio de Carvalho. A ciclovia tem piso de asfalto, devidamente sinalizado para orientação dos ciclistas. Para segurança da população, foi instalado guarda-corpo nos dois lados, capaz de absorver o impacto em caso de queda. A próxima etapa será implanta a partir da Érico Veríssimo em direção à Edvaldo Pereira Paiva. (fotos)

Conforme o prefeito José Fortunati, a entrega do primeiro trecho representa a superação de entraves técnicos e conceituais, que foram equacionados para possibilitar à população o transporte seguro por bicicleta. “Esta etapa é um marco no projeto de estimular o uso da bicicleta como transporte e melhorar a mobilidade urbana. Estamos entregando para a cidade um equipamento seguro e integrado ao meio ambiente, que será modelo para as demais ciclovias da cidade e parâmetro para projetos no país”, manifestou o prefeito.

A implantação da ciclovia é uma parceria da prefeitura, que custeia a execução do guarda-corpo, com a iniciativa privada, em contrapartida a investimentos na cidade. O Grupo Zaffari é responsável pelo espaço entre as avenidas Érico Veríssimo e Antônio de Carvalho, e o Shopping Praia de Belas realizará a etapa da Érico Veríssimo até a Edvaldo Pereira Paiva.

A obra completa na ciclovia da Ipiranga deve ser concluída neste ano, conforme o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Capelari. “Após essa fase de equacionamento, temos um método construtivo consolidado para o restante do projeto. O cronograma previsto para dezembro deste ano está mantido”, disse Capelari, destacando que já foram empenhados cerca de R$ 5,3 milhões em recursos para ciclovias neste ano, além das vias incluídas na Matriz de Responsabilidades da Copa de 2014 que também terão ciclovias.

Ciclovias na Capital – Além da Ciclovia da Ipiranga, estão sendo finalizados os trabalhos de implantação da ciclofaixa da avenida Icaraí, bairro Cristal, extensão de 1,7 km e largura de 1,5 m, entre a Wenceslau Escobar e Chuí, inauguração prevista para a próxima semana (dia 10 maio, às 14h); e a Ciclovia da Restinga, total de 4,6 km, na João Antônio da Silveira (3,5 km) e na Nilo Wulff (1,1 km). O pavimento é de asfalto, com 2,5 m de largura, investimento da Prefeitura de cerca de R$ 1 milhão. A inauguração deve acontecer no primeiro semestre deste ano.

Com a conclusão da duplicação da Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), obra preparatória para a Copa do Mundo que inclui uma ciclovia de cinco quilômetros, haverá integração dos espaços exclusivos para os ciclistas das avenidas Ipiranga, Edvaldo Pereira Paiva, Padre Cacique (1 quilômetro a ser implantado) e Diário de Notícias (2 quilômetros já existentes), resultando em 17,4 quilômetros de ciclovias integradas.

Segurança e sustentabilidade – Instalado para segurança no deslocamento dos ciclistas, o guarda-corpo utiliza na matéria-prima madeira sintética à base de resíduos sólidos. A aplicação em uma obra do material desenvolvido em laboratório é inédita, conforme o diretor técnico do Grupo Leão, responsável pela tecnologia, André Rodrigues. O material desenvolvido a partir de sacolas plásticas e outros resíduos é capaz de absorver o impacto em caso de queda. O modelo é resultado da seleção de ideias promovida pela prefeitura, com o apoio do Instituto de Arquitetos do Brasil/RS. O arquiteto Rodrigo Troyano foi o vencedor da seleção, entre 37 trabalhos apresentados.

Fotos: Cristine Rochol/PMPA

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Bicicleta, ciclovias

Tags:, ,

13 respostas

  1. Entendam os muuuitos poréns dessa ciclovia:
    http://www.poabikers.com.br/?p=661

    Curtir

  2. Mas para ai!!! Vcs nao estavam torrando os culhoes por causa desta trilha ai? queriam por que queriam uma trilha para andar de bicicleta. Ok Tai ai a coisa! Agora qual e’ o problema???Em POA onde tudo demora para sair, levou oque? 3 semanas? comecaram e estao fazendo, deixem eles trabalhar. Nao e’ isto que vcs que criticam o Fortunati dizem a respeito do lula e dilma inaugurando “placas de que um dia irao fazer algo”???. Vcs tiveram o PT ai por decadas, prq nao fizeram a trilha esta?

    Curtir

    • 3 semanas?

      Curtir

      • 227 dias CABRÓN!!
        Mas reflitam: trocar no mínimo 9 vezes de lado da orla até a Av. Antonio de Carvalho, e sofrer INUMEROS ESTREITAMENTOS, dividir a calçada nos viadutos com pedestres…precisa de algo a mais para reclamar da porcaria?
        ah precisa, UMA FORTUNA MAL FEITA!

        Curtir

      • Nos 16 anos que o Pt ficou na Prefeitura ninguem cogitou de fazer ciclovias, estavam todos interessados em andar de carro. Agora é uma nova onda. Todos querem andar de bicicleta? Quem quer mesmo vai de qualquer jeito sem ciclovia mesmo. Não dá para agradar gregos e troianos o que uns gostam outros odeiam,então tá, ficamos assim…

        Curtir

  3. Trata-se de um caso típico de falta de dimensão participativa, chamado no estudo da análise de políticas públicas, da Síndrome de D.A.D do Administrador Público, que é uma sigla que traduz as iniciais de Decido, Anuncio e Defendo.
    Isso significa que o Administrador – que a princípio deveria ser Público – decide sozinho, ou no máximo em âmbito de gabinete, qual e como a política pública ou programa deve ser implementado, sem qualquer consulta ou participação popular dos beneficiários e usuários do projeto, ação ou programa.
    Na segunda fase, ele anuncia com o fim de buscar a idealização daquele programa, ação, obra ou projeto procurando dar visibilidade e projeção aos seus feitos. Por último, mesmo sendo contrariado, por ter ignorado a opinião pública e a participação dos usuários, ele defende sua ideia de programa, projeto ou política pública ao máximo, levantando argumentos favoráveis e justificando a defesa com base no interesse público.
    É o caso da ciclovia da Ipiranga.
    + em http://sul21.com.br/jornal/2012/05/ciclovia-da-ipiranga-caso-tipico-de-sindrome-de-d-a-d-decido-anuncio-e-defendo-em-porto-alegre/

    Curtir

  4. Que palhaçada inaugurar um trecho desses, cadê o sendo de ridículo? Nem pra mim que moro do lado da Érico isso vai ter alguma utilidade.

    Curtir

  5. E’ a ciclovia que leva do nada ao lugar nenhum. E ainda sao tao burros que pensaram na ciclovia e nao foram capazes de colocar uma calcada para pedrestes.

    Curtir

  6. Fortunatti cicloviando na contramão… que feio!

    Curtir

  7. hahahahah
    Carropelari é uma comédia > Vanderlei Capelari. “Após essa fase de equacionamento, temos um método construtivo consolidado para o restante do projeto. O cronograma previsto para dezembro deste ano está mantido”

    só que consolidaram uma baita e cara porcaria!

    dezembro é? e se não acabarem posso cobrar da prefeitura? dezembro de 2025?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: