Sem aeroportos suficientes, bases militares podem ser usadas na Copa

Valcke (à dir.) veiculou possibilidade de utilizar bases militares para receber o tráfego aéreo elevado durante o Mundial Foto: Ulisses Neto/Especial para Terra

ULISSES NETO

Direto de Zurique (Suíça)

O governo brasileiro e a Fifa selaram a paz nesta terça-feira em Zurique depois de uma reunião de mais de seis horas. Apesar disso, os problemas estruturais do País para receber o Mundial continuam exatamente iguais. Entre eles, a falta de quartos nos hotéis de algumas sedes e a precária rede aeroportuária brasileira.

Faltando apenas 13 meses para o início da Copa das Confederações, fica difícil imaginar que essas questões serão resolvidas a tempo. Por isso, a Fifa já fala até em utilizar bases militares para receber o tráfego aéreo elevado durante o Mundial.

A entidade já sabe que não poderá hospedar torcedores, jornalistas e delegações em muitas das 12 cidades que vão receber a Copa na primeira fase. O jeito será manter os visitantes em trânsito antes e depois dos jogos, com base em grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. O problema então se torna outro: a falta de capacidade dos aeroportos.

A possibilidade de improvisar com bases militares foi levantada nesta tarde por Jérôme Valcke, secretário-executivo da Fifa, depois do encontro com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Segundo Valcke, o tema será debatido pelo fórum criado nesta terça que envolve a própria federação internacional, o governo federal e o Comitê Organizador Local da Copa (COL).

“Vamos buscar soluções para várias questões como problemas de mobilidade, aeroportos, bases militares, setor hoteleiro, entre outros temas. Vamos criar um elo com o governo federal para garantir que todos possam assistir à Copa”, disse.

O ministro Aldo Rebelo confirmou a possibilidade de utilização das bases militares para ajudar a receber o tráfego aéreo durante a competição. No entanto, disse que o plano ainda precisa ser analisado com mais cuidado.

“Nós temos um grupo que considera todas as possibilidades e essa opção (das bases militares) está sendo considerada”, declarou. “Mas a forma, o detalhe e as condições só podem ser reveladas quando resolvidas com o Ministério da Defesa que é, em última instância, a área responsável pela operação desses aeroportos”, completou.

PORTAL TERRA – COPA 2014



Categorias:aeroportos brasileiros, Aviação, COPA 2014

Tags:, ,

20 respostas

  1. Seria interessante algum jornal ou revista fazer umas reportagens ”retrôs”mostrando tudo que foi prometido pra copa e o que se está pensando hoje
    Manter os torcedores em transito?? Tipo, vamos ver um jogo la em Cuiabá e de tardezinha voltamos pro Rio. Perfeito!! Com a malha de trens de alta velocidade que temos no país fica fácil, não é?
    E usar bases militares, pelo amor de Deus. Isso se faz em catastrofes naturais, não em eventos onde se tem 10 anos para se planejar.
    O Brasil vai fazer, SEM SOMBRA ALGUMA DE DUVIDA, a pior copa da história tendo em vista a condição tecnologica e de bem estar de cada época.

    Curtir

  2. Alguém duvida que isso vai ser um fiasco? Como ontem um professor falando no JA sobre os problemas do Salgado Filho. A Cristina perguntou se para a copa etc etc… ele chegou e disse, minha preocupação é no natal de 2013. E ele tem absoluta razão. O que adianta se “preparar” para a copa, se o problema é bem diferente. O SF já está saturado e com mais pessoas viajando, vai ser um completo caos em épocas como essas que em nada tem a ver com a copa.

    Curtir

  3. Isso sera uma CATASTROFE!!!! E nao deixara muitas coisas feitas depois da copa, desperdicio total, mas esse e’ o brasil!!

    Curtir

  4. Tomara que aproveitem para acampar as bases e transformar em aeroportos…

    Curtir

  5. Que paisinho… depois queremos arrotar que a Europa está quebrada e os EUA tbm…

    Curtir

  6. No final, a ideia do Fmobus, eu acho, para o Salgado filho, vai se espalhar pelo Brasil.

    Curtir

    • Pois é, mas sabe que tenho medo de como vai ser isso. Pode ajudar com minha proposta e pode prejudicar. Explico:

      Pousar uma aeronave civil em uma pista militar é trivial. Os equipamentos são (praticamente) os mesmos, bastaria criar procedimentos adequados para os parâmetros de voo destes aviões. O grande problema é: o que fazer com esse avião (e seus passageiros) depois do pouso? Não basta apenas estacionar a aeronave, precisamos reabastecê-la, descarregar bagagens, fazer catering, trocar tripulação, etc, etc. Mesmo para uma operação temporária na Copa, precisamos de estruturas de reabastecimento, esteiras de bagagens, camâras frias, etc. Infelizmente, a estrutura das bases aéreas no Brasil geralmente é focada na missão dos esquadrões que ali operam. Temos galpões, casas de manutenção, depósitos, alojamentos, refeitórios, etc. Algumas bases até tem alguma coisa que se parece minimamente com um terminal de aeroporto, mas geralmente isso é dimensionado para atender aviões bem menores, que vem uma ou duas vezes por dia.

      O que eu temo disso tudo é que o resultado seja uma experiência pavorosa para os passageiros que pousarem lá, e se crie uma opinião pública negativa a respeito das bases militares em si, quando o único “pecado” delas foi não receber investimento para estrutura de terminal adequada. Mais um factoide que vão usar pró aeroporto lá no portão da casa do capeta.

      Curtir

      • De fato, e para solucionar essas questões vão instalar os maravilhosos “MOPs”, não como puxadinho de um grande Terminal aeroportuário, mas como um Terminal provisório instalado num Base aérea.

        Curtir

  7. Poderiam utilizar as áreas militares não somente durante a copa, mas sempre. Além disso poderíamos utilizar não somente as áreas militares mas os militares e sua infraestrutura completa para construir estradas, ferrovias, túneis, pontes, portos, bem como cuidar da segurança. Isso é feito no Haiti

    Curtir

    • Atualmente as forças armadas sofrem com uma imagem negativa associada à ditadura militar, apesar de serem constantemente acionadas para manter a segurança nas greves das polícias estaduais, nas favelas cariocas e nos desastres naturais que ocorrem brasil afora. A própria presidente não chamou um general de “milico de merda” no palácio do planalto? Pois é. Tem gente que defende a extinção do exército como um todo, então duvido muito que a gente vá ver militares realizando obras públicas por aí.
      Mas que podiam, ah podiam.

      Curtir

  8. Poderiam utilizar as áreas militares não somente durante a copa, mas sempre. Além disso poderíamos utilizar não somente as áreas militares mas os militares e sua infraestrutura completa para construir estradas, ferrovias, túneis, pontes, portos, bem como cuidar da segurança.

    Curtir

  9. Legal, nas proximas eleições a fifa vai concorrer a presidencia do Brasil, eles mandam em todos os governos.Tem solução para todos os problemas de cada Pais.

    Curtir

    • Pelo menos eles tentam fazer algo….e os oficiais eleitos oque fazem?????

      Curtir

    • ué, são as exigencias da fifa, os paises não são obrigados a fazer a copa, mas sabem bem o que a Fifa pede para ser sede.

      Triste é o nosso pais que com tanto tempo pra se organizar, consegue falhar assim.

      A Africa, que muitos pensam que é um nada no meio da terra, acredite se quiser, tem quem pense que as pessoas vivem como animais por la, bom, a tal africa conseguiu organizar a copa com muito mais seriedade e qualidade que o Brasil ta cosneguindo.

      haha

      Curtir

  10. Esse pais me enche de orgulho!!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: