Falta de faixas de segurança dificulta travessia de pedestres na Avenida Beira-Rio

Em Porto Alegre, o entorno da rótula próxima ao monumento das Cuias teve o asfalto recapeado há dois meses e desde então a sinalização para pedestres não foi pintada

Pedestre se arrisca ao atravessar a rua créditos: Divulgação

O novo revestimento de asfalto no entorno da rótula próximo ao monumento das Cuias pode até ter sido comemorado pelos motoristas que circulam em Porto Alegre, mas a celebração não se estendeu aos pedestres.

Desde que foi concluída a obra, há dois meses, o trecho que une as avenidas Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), Aureliano de Figueiredo Pinto e Augusto de Carvalho não teve a faixa de segurança pintada. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) assegura que a sinalização deve ser realizada ainda nesta semana.

Morador do bairro Menino Deus, Osmar Moreira, 63 anos, enfrenta dificuldades para atravessar a rua e chegar à pista de caminhada localizada às margens do Guaíba.

— Depois que reformaram o cruzamento, não foram recolocados os sinais de trânsito. É difícil, principalmente, pro pessoal que faz ginástica e, normalmente, é mais velho — reclama o aposentado.

O corretor de imóveis Luiz Corrêa, 52 anos, calcula o tempo que leva para cruzar a rua:

— Às vezes, fico ali cinco minutos. Eu tenho uma boa condição física, mas quem não consegue correr tem mais dificuldade. É preciso estar bem atento.

A saga para atravessar a Avenida Edvaldo Pereira Paiva também é enfrentada pela aposentada Avani Cardoso, 68 anos. Ela se exercita diariamente nos aparelhos de ginástica.

— É um perigo! A gente brinca que esse local serve pra matar os velhos, porque só velho se exercita aqui e depois precisa atravessar a rua para voltar para casa.

A EPTC afirma que, mesmo com a pintura das faixas de segurança, é preciso que os motoristas respeitem os pedestres.

— É necessário uma mudança de cultura, é preciso que as pessoas respeitem. O pedestre sempre tem preferência na faixa de segurança — afirma o assessor de imprensa Cláudio Furtado.

Uma hipótese levantada por frequentares da região é a instalação de sinaleiras:

— Ali é um local que a faixa de segurança não dá certo porque os carros vêm muito rápido e não têm tempo de parar. Poucos respeitam — relata Corrêa.

A ideia, no entanto, não é cogitada atualmente pela EPTC.

— Assim que as faixas forem pintadas, o trecho será monitorado por agentes de trânsito. Se houver necessidade, vamos discutir — avalia o Furtado.

Da Redação | Postado em: 08 de maio de 2012 | Fonte: Diário Gaúcho

MOBILIZE.ORG



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

16 respostas

  1. Pior é na frente do marinha…depois de eu encher o saco dos caras da EPTC, por internet e no atendimento ao cidadão eles pintaram…mas ainda falta “alongar” os quebra-molas, pois os mesmo são “driblados” pelos motoristas, colocando, sempre, a vida do pedestre em risco, pq ele pensa q o cara vai reduzir a velocidade devido ao quebra-mola, mas na hora H, ele dribla e o pedestre foi pro saco!!

    Curtir

  2. Realmente, é complicado de atravessar ali….

    Por mim, sinaleiras para pedestres resolveriam tudo, era só sincronizar elas que não ia complicar o transito.

    Curtir

    • Guilherme demorou pra falar algo que preste, mas desta vez falou muito bem, continue assim! Só sinaleira funciona em POA, inclusive pra quem está dirigindo, pois é só esperar abrir e relaxar! Rótula, como aquela antiga da Carazinho com a Nilo (que virou sinaleira) é um stress!!

      Curtir

  3. E não é há dois meses, é desde NOVEMBRO DE 2011 QUANDO COMEÇARAM A RECAPEAR!!!
    o jeito é reclamar no atendimento ao cidadão da EPTC, em frente ao Ginásio Tesourinha…pq o “Fala Porto Alegre” é uma mentira, segundo os próprios atendentes!

    Curtir

  4. Na entrada de Carlos Barbosa, na Serra há uma placa dizendo: “Com povo educado, não precisa de sinaleiras”

    Curtir

  5. Precisamos de mudança de cultura mesmo, como dizem ali. Precisamos de motoristas e pedestres mais educados, e de agentes públicos que façam seu trabalho em vez de vir com esse tipo de desculpa.

    Dois meses pra pintar uma faixa é piada…

    Curtir

    • Não é mudança de cultura… é fiscalização mesmo! Experimente cometer alguma irregularidade em qualquer país desenvolvido para ver o que acontece!

      Curtir

    • Concordo, mas aí que está, algo precisa ser feito para mudar a cultura. Uma coisa é fiscalização, outra outra é educação mesmo, assim por diante. Mas para haver tudo isso precisamos de outra postura dos agentes públicos.

      Curtir

      • Mas aí eu pergunto pra vocês: tanta grana pra asfalto e melhorias viárias…no entanto as migalhas de investimento, que são calçadas – rampas de cadeirantes, faixas de segurança, fiscalização são SEMPRE deixadas em 8º plano pela prefeitura…
        A atual Prefeitura SEMPRE PECA NOS DETALHES, SÓ QUE OS DETALHES SÃO OS CIDADÃOS!!!
        E outra, deem uma olhada no que a EPTC estuda fazer, e certamente fará:

        foi mal por ser no facebook, mas não consegui pegar em outro lugar…
        Agora me respondam, como se faz a educação e conscientização sem SER PELO BOLSO DOS MOTORISTAS???
        Alguém aí acha que ta certo amenizar punições só pq não se fiscaliza nada?!

        Curtir

        • Bah que péssimo isso, já se multa muito mal e muito pouco, só vai piorar.

          Curtir

        • Caso isto aconteça aí sim veremos o que é o caos, com multa já é assim imagina com multa leve.
          Agora me digam, vocês acreditam em sã consciência que o que falta é educação no trânsito? Todos que dirigem, pelo menos eu acredito nisso, fizeram auto escola e lá se aprende tudo, eu pelo menos aprendi. As pessoas não querem ser educadas, as pessoas querem ter vantagem, ser melhor que o outro, quebrar regras. Então multa neles.As estatísticas dizem que apenas 10% dos motoristas transgridem e reincidem, a maioria cumpre a lei.

          Curtir

      • Para criar a cultura do ‘faça errado’ é só deixar de punir as ações erradas e não dar vantagem nenhuma para quem faz certo.

        Daí o sujeito é imprudente, afinal de contas não dá nada, o filho vê isso todo dia e faz igual, alguns amigos são influenciados e fazem igual. Está aí a cultura.

        Por isso que essa história do cara cometer uma infração e receber um papel meses depois e doer no bolço só no outro ano não funciona! Tem que ser na hora! Errou, tem 3 dias para pagar com desconto, um mês para pagar com o preço normal! Essa farra de recursos nas infrações de trânsito é porque a fiscalização é parcial, interesseira e tendenciosa!

        Nos EUA, estacionamento ilegal custa só 15 USD, mas tem que pagar logo, se não sobre para 30 USD e depois para 60 USD.

        Curtir

  6. hahahahaha! Grande piada! Roubado.
    Por que não colocam cameras no vermelho da sinaleira para multar. Já sei, é por que eles tambem tem carro.

    Curtir

  7. como se alguma faixa de segurança fosse respeita em porto alegre.
    Ah nao, me esqueci de esticar a mão antes de atrevessar….

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: