Lancheria é interditada durante fiscalização na Cidade Baixa

Três estabelecimentos foram notificados por descumprir normas estabelecidas pela prefeitura

A primeira noite da força-tarefa formada pela prefeitura de Porto Alegre para fiscalizar o cumprimento do acordo firmado entre autoridades, moradores, empresários e frequentadores do bairro Cidade Baixa, terminou com três autuações, além da interdição de uma lancheria. Os estabelecimentos foram notificados por barulho, isolamento acústico e descumprimento das novas normas de funcionamento, assinadas pelo prefeito José Fortunati na semana passada.

A Vigilância Sanitária municipal, que também integrou a força-tarefa, vistoriou 20 estabelecimentos no bairro. Durante a inspeção, uma lanchonete que fica na esquina da rua da República com a rua General Lima Silva foi interditada por apresentar más condições de armazenamento e higiene, além de produtos vencidos, conforme o coordenador do órgão, Anderson Lima. “O local apresentava irregularidades e teve as atividades suspensas. E agora é com os donos buscarem regularizar a situação e voltar a funcionar”, detalhou.

Apesar dos registros, a maior parte dos bares fechou conforme as disposições dos decretos municipais, segundo o secretário municipal da Produção, Indústria e Comércio, Omar Ferri Júnior, que acompanhou a operação. “Não houve um problema maior. Tivemos, inclusive, alguns bares que fecharam antes do previsto. Tudo ocorreu da melhor forma possível”, resumiu Ferri Júnior.

Por um período experimental de três meses, os bares, restaurantes e casas noturnas da Cidade Baixa devem encerrar as atividades às 2h nas sexta-feiras, sábados e vésperas de feriados. De domingo a quinta-feira, o horário é até a 1h com a colocação de cadeiras em calçadas e decks somente até à meia-noite. A tolerância é de 30 minutos para todos os casos. O balanço completo da operação deste final de semana será divulgado na próxima segunda-feira.

Correio do Povo

Esclarecendo:

A “lancheria” interditada é a “padaria”:

Foto: Gilberto Simon



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

24 respostas

  1. Isso é um desrespeito com a saúde do consumidor tantos empresários que presam pela limpeza e organização de seu estabelecimento, e é esses locais que deveríamos
    procurar frequentar e evitar lugares como o speed.

    Curtir

  2. É um assunto que dá “ibope” mas politicamente não é bom “mexer”, pelo menos não a fundo! O que tem de bar com alvará em construções clandestinas, sem as minimas condições de estrutura física para o exercício da atividade, sem banheiros, pia c/ água e material de higienização, isso sem falar do acúmulo da sujeira por todo lugar. Basta sair de uma porta e entrar na outra! O assunto é tão mal cuidado pelas autoridades que não dá para culpar os comerciantes, que pela falta da exigência e fiscalização, desprezam qualquer critica que o consumidor possa fazer.
    Agora se olhar para o lado da saúde propriamente dita, o HPS é mais um exemplo de descaso e da sujeira que qualquer profissional da saúde tem vergonha de falar. Vá ao portal da Prefeitura, e veja as notícias da SMS, o quanto tem sido feito, não dá para esconder que é muito pouca produção para as necessidades mínimas dos cidadães de Porto Alegre.

    Curtir

  3. E o pior é que são bons dimóóois…
    ashsuauhauashuashuashas

    Obs. as vezes comento no blog pelo tablet, acabo errando alguns digitos por que não to acostumando, não reparem..

    Curtir

  4. Esse lugar ai é bizarro de sujo e nojento. Quando passo pela calçada desta lancheria reparo na gordura impregnada nos exaustores. Mas o que me intriga é que mesmo as pessoas sabendo que é sujo continuam indo lá. Esse cruzamento da republica é famoso pelos bares deste nível, dum lado o pinguim do outro o speed, a lancheria ali e em frente aquela barraquinha de cachorro quente.

    Curtir

    • Ui… bares “deste nível”… É bom pracacete! Produto vencido é sacanagem, concordo que merecem uma multa gorda. Mas são bons pracarai, se não gosta, tem a Padre Chagas.

      Curtir

  5. Deveriam era interditar o Pinguim! Uma vez comi um arroz tão bizarro lá que eu duvido que houve alguma higiene, devia ter dois meses de requentadas. Além disso, o atendimento é desrespeitoso. São muitos relatos lamentáveis.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: