Novo polo naval

O Rio Grande do Sul terá um segundo polo naval, além do que está sendo construído em Rio Grande, hoje em parte já saturado. Ele se localizará junto ao rio Jacuí em Charqueadas, onde já há três canteiros implantados, segundo o presidente da agência de desenvolvimento e promoção, AGDI, Marcus Coester. O polo naval precisa se localizar perto de água, dado o tamanho e peso de seus produtos. O Rio Grande do Sul tem uma vantagem sobre os demais estados que produzem navios e plataformas. É o único que está totalmente verticalizado, produzindo desde o parafuso ao estaleiro, segundo Coester.

Um desconhecido

A constatação, sempre repetida pelo “caixeiro viajante” Marcus Coester da AGDI em suas viagens de “venda do Rio Grande do Sul”, é que ele é um ilustre desconhecido. O Brasil continua sendo principalmente Rio de Janeiro e São Paulo. Como eram as cidades da China, da qual se conhecia até há pouco somente Hong Kong.

Affonso Ritter



Categorias:Economia, Economia Estadual

Tags:, ,

1 resposta

  1. A tempos atrás criticaram as pontes da travessia do RIO Guaíba por apresentarem ou vãos móveis ou grandes elevações.

    Talvez agora os críticos entendam porque da execução deste tipo de obra.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: