Prefeitura assina contrato para obras no entorno da Arena

Serão investidos R$ 14,9 milhões na Voluntários da Pátria e imediações Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Nesta quarta-feira, 13, às 10h30, o prefeito José Fortunati assinará a contratação da empresa vencedora da licitação para as obras de mobilidade nos acessos ao bairro Humaitá. O ato será realizado durante a visita do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, à Arena do Grêmio, para verificar o andamento das obras do estádio, que possivelmente será Centro Oficial de Treinamento para a Copa do Mundo de 2014.

Serão investidos R$ 14,9 milhões em intervenções nas ruas Voluntários da Pátria, Padre Leopoldo Brentano e Rua 1. O conjunto de obras viárias irá qualificar a infraestrutura de acesso ao bairro, em processo de modernização com projetos como a Arena e outros empreendimentos, sustentando principalmente o impacto do fluxo a ser gerado pela BR-448, a Rodovia do Parque.

O contrato para as obras terá prazo de 12 meses e inclui pavimentação, drenagem, sinalização, esgoto e iluminação do local. Para a realização da fase inicial do sistema viário, o investimento será custeado em parte por emenda parlamentar, originalmente de R$ 20 milhões, mas que teve apenas R$ 8,7 milhões empenhados pela União. O município aplicará outros R$ 6,2 milhões como contrapartida.

Veja o Vídeo da reportagem:

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

4 respostas

  1. Só não entendo uma coisa, a Rua 1 é dentro do “complexo” estádio- predios residencias- comercial. Por que não utilizaram essa verba pra A J Renner, essa via sim beneficiando o bairro e quem utilizar a Br448. Dúvidas muitas dúvidas. Por que a própria OAS não fez essa via?

    Curtir

  2. Renovo a proposta para que o Grêmio, através da OAS, faça essas obras viárias do bairro Humaitá em troca de isenções de impostos federais, benefício que a construção do estádio não obteve por estar fora da Copa.

    Curtir

  3. excelente..

    Curtir

  4. Isso só dá para o início. Faltam recursos para o que é necessário e a União resiste na liberação do principal.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: