E o guarda-corpo da ciclovia da Ipiranga, como vai ?

Recentemente tornaram-se polêmicos os guarda-corpos do primeiro trecho da ciclovia da Av. Ipiranga.

Vamos relembrar a história:

O primeiro guarda-corpo proposto: de madeira. Foto: Andrey Cidade/Divulgação PMPA

a prefeitura instalou guarda-corpos de madeira no primeiro ponto (protótipo) da ciclovia. Segundo os técnicos, o equipamento, construído com madeira de eucalipto de reflorestamentoque, atenderia às normas técnicas nacionais e internacionais. Após esta instalação grande polêmica tomou conta das redes sociais. A população, principalmente os ciclistas mais organizados, não gostaram. Com razão! O guardo-corpo transformaria a Ipiranga num verdadeiro curral deviso ao aspecto rústico e grosseiro da estrutura.

Após este momento, a prefeitura resolveu repensar a utilização do material como proteção dos ciclistas. O prefeito José Fortunati, solicitou a colaboração dos arquitetos para encontrar um projeto melhor para a estrutura. Resultado: 37 projetos foram enviados pelos arquitetos para o IAB que se prontificou a organizar a seleção. Depois de 3 projetos selecionados o grande vencedor foi o projeto desenvolvido pelo arquiteto Rodrigo Troyano, com material reciclável, a um custo de 150 reais o metro.

Nascendo o primeiro trecho da ciclovia, com cerca de 450 metros o guarda-corpo foi instalado.

Pois bem, agora, cerca de 1 mês em funcionamento, o guarda-corpo está assim:

Texto: Gilberto Simon / Fotos: Gerson Ibias

____________________________________

Leia mais sobre o caso nos seguintes posts:




Categorias:ciclovias

Tags:, , ,

21 respostas

  1. Pergunta aos especialistas: um muro verde não teria um custo muito menor, dando a mesma proteção aos ciclistas?

    Curtir

  2. Bah, mas que bagaceiro esse troço.

    Curtir

  3. Qualidade do guarda-corpo igual a dos guard-rails que colocaram pela cidade toda, o vento faz balançar e querem que segure carros.

    Curtir

  4. @Guilherme: Nao acoh que foi vandalismo, nao!
    Eu caminhei bem devagar uns bons 200m da ciclovia(pra fazer as fotos) e vi que o grande problema foi o materia fragil utilizado e a pessima colocacao/fixacao do mesmo.
    quem tiver um tempinho, de uma passada por la e vejam in loco o que estou falando!
    VERGONHA!!!!

    Curtir

  5. Eu acho lindo essa onda de sustentabilidade, de usar tudo reciclado, mas te coisas que não funciona! Esse plástico reciclado não tem resistência e com o calor logo logo va se esfarelar! Mas também não da pra se esperar muito de uma licitação de projeto que veio a mil por hora, foi escolhido rapidamente pra subsituir aquela outra porcaria que o prefeito tinha mandado colocar lá hehe

    Curtir

  6. Em nada tem a ver o fato de o material ser pet reciclado, com suas características químicas ou físicas, mas sim à maneira como foi modelado e instalado.

    Curtir

  7. Da discussão que vinha sendo proposta resulta que nem sempre o concurso é a melhor saída, pois nem sempre escolhem o MELHOR. Disso, todos nós já sabíamos. Espero que não culpem o prefeito pela qualidade vagabunda do material. Quer ser cool e usar material reciclável? Pois invista em pesquisa e não simplesmente transformar uma garrafa pet em estrutura e pronto. Está feito o melhor material que poderia ser utilizado e ainda com o selo do IAB. Porto Alegre merece coisa melhor. Vamos parar de pensar o mais simples para esta linda cidade.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: