Rodovias pedagiadas retornarão à União em 2013

Medida entrará em vigor após encerramento dos contratos

A partir de 2013, as rodovias federais pedagiadas no Estado ficarão sob responsabilidade de manutenção do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit). A medida passará a valer a partir do encerramento dos atuais contratos de pedágio no Rio Grande do Sul. O acordo foi realizado nesta terça-feira em Brasília entre o secretário estadual de Infraestrutura e Logística (Seinfra), Beto Albuquerque, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, e o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos.

O titular da Seinfra ressaltou que a exigência do Executivo é de que as rodovias federais, hoje administradas pela iniciativa privada, não sejam precarizadas após o retorno à administração federal sem a cobrança de pedágios. Ele destacou que a partir desse momento as rodovias federais retornam normalmente ao governo federal. “O ministro já determinou ao Dnit as providências para que tão logo encerrem-se os contratos dos pedágios nessas rodovias já se tenha um programa de manutenção federal, a exemplo do que o Rio Grande do Sul prevê com a implantação da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) para manutenção das rodovias”, explicou.

A partir do ano que vem, Estado e União reassumem suas responsabilidades na malha viária gaúcha, conforme Albuquerque. “Os contratos têm data para acabar e nós faremos essa desmobilização conjuntamente entre governo Estadual e Federal. O pedágio comunitário que a EGR administrará na parte estadual terá uma tarifa muito menor do que a praticada hoje. Esse é um compromisso do governador Tarso Genro de reduzir tarifas, ampliar o volume de obras e eliminar a praça de Caxias-Farroupilha”, garantiu.

O atual modelo de pedágios, segundo o secretário, só gerou insatisfação com preços altos e não apresentou obras. “No RS, há 14 anos pagamos tarifas de autoestrada para andar em estradas de pista simples”, afirmou.

Correio do Povo



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, Pedágios

Tags:,

17 respostas

  1. Em vez de criticarem cegamente a proposta da EGR, leiam a respeito:
    http://sul21.com.br/jornal/2012/06/as-tarifas-irao-baixar-no-primeiro-dia-diz-tarso-sobre-pedagios/

    É muito cliché e fácil ficar batendo no governo.

    Curtir

    • As tarifas irão baixar. OK! E os serviços de socorro mecânico e ambulância permanecem? Atualmente os pedágios privados oferecem estes serviços.

      Curtir

  2. Petista e’ mal intencionado, ate’ que me provem o contrario. Entao, a principio, acredito que o colega acima esteja correto.

    Curtir

  3. Sem contar na tal de EGR, mais um cabidão para acomodar “cumpanheiros CCs” com salários estratosféricos, daqui a pouco já vai surgir a “Asociação dos funcionários da AGR” para?? pedir aumento de salários, alguma dúvida quanto a isto, os funcionários públicos são muito bem organizados, trouxa somos nós que pagamos esta festa e nem fomos convidados, como dizia o Cazuza “Brasil mostra a tua cara, quero ver quem paga pra gente ficar assim”…

    Curtir

  4. Alguém tem alguma dúvida de que estas estradas serão precarizadas?? O dinheiro do pedágio “comunitário” vai para o caixa único, vai pagar salários, mamatas e outras coisinhas mais, e manutenção que é bom nada, lembram do pedágio antigamente na freeway?? além do que pedágio “comunitário” não dá assistência quando o carro quebra e acho que não tem serviço de ambulâncias!! que retrocesso.

    Curtir

  5. Governo vai assumir pedágios, ok. Aí vão cortar os impostos de rodovias, né? Ah, não? Ué.

    Curtir

  6. roda roda roda e faz oq o governo anterior queria fazer… pelo jeito o Tarso decidiu fazer um governo só, pq se for concorrer pro segundo vai ficar sem propostas de governo pra copiar

    Curtir

  7. Comemoro pelo fato de não precisar mais pagar.
    Lamento pelo fato de contar com estratadas sucateadas em no maximo 5 anos.

    Curtir

  8. Deixa acontecer ué. Assim está caro e sem melhorias.

    Curtir

  9. haha…
    quero só ver…
    Governo administrando pedagios, a casa caiu…

    Curtir

  10. Só tem um detalhe, que ninguém lembra, só nos países da América Latina que se cobra pedágio em estrada de pista simples, e não é porque eles são bonzinhos, é porque com volume pequeno os custos fixos tornam-se muito grandes em relação dos custos reais de manutenção das estradas, logo o pedágio serve mais para pagar a administração do que a operação!

    Curtir

  11. Achei engraçado a seguinte frase:

    “O titular da Seinfra ressaltou que a exigência do Executivo é de que as rodovias federais, hoje administradas pela iniciativa privada, não sejam precarizadas após o retorno à administração federal….”

    Quem é o betinho para exigir qualquer coisa do governo federal!

    Ele poderia dizer que já está negociando com o DNIT a manutenção das estradas, ficava mais elegante e mais de acordo.

    Curtir

  12. Tarifa do pedágio privado cara, vejamos:
    – Preço: R$ 8,00
    – Sem imposto de 20%: R$6,40 (as rodovias administradas pelo estado não incidem impostos, nas privadas não era para ter também)
    – Com cimento asfáltico a preço de outros países: vou chutar uns R$4,50 (a Petrobrás vende um dos cimentos asfálticos mais caros do mundo, o dobro dos EUA)
    – Sem serviço de guincho: vou chutar novamente R$4,40 (nenhuma federal tem/tinha serviço de guincho)
    – …

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: