No tempo que Porto Alegre era linda

Em 2010 a Europa ganhou 306 bilhões de euros em divisas deixadas por turistas no continente. Muitos deles são atraídos basicamente pelo legado histórico europeu: são centenas de centenas de cidades históricas caprichosamente preservadas ou restauradas, de Paris a Veneza. Muitos turistas brasileiros vão à Europa em busca desse charme, e eu me pergunto como nossa cidade pode ter se perdido tanto em termos de preservação. Porque aqui (quase) tudo foi demolido, dando lugar a essas terríveis blocões dos anos 40 e 50? Como cidades que foram bombardeadas na Europa possuem hoje ainda um look medieval, e nossa cidade está quase que desprovida de qualquer significativa beleza arquitetônica? Porque Buenos Aires tem seus ares europeus, e Porto Alegre tem ares de nada?

Quero compartilhar dessas indagações com vocês e também partilhar algumas fotos do tempo que Porto Alegre era bela. Clique para ampliar!

Primeira foto: Acima, o Porto, lindo, charmoso, a cidade antiga em todo seu esplendor. Abaixo, Porto Alegre, incrivelmente semelhante, e como poderia ser hoje, com sua parte velha preservada e a parte moderna restrita à zonas mais afastadas, ou novas.

A graciosa vista da Catedral, a vista do rio abaixo, os prédios em harmonia: essa foto parece muito com algumas que podem ser tiradas hoje em Lisboa.

Abaixo, a zona da Baixa lisboeta, e na foto antiga, a Rua Sete de Setembro, em Porto Alegre. Conseguem ver nossa rua antiga iluminada, cheia de bares, tascas, restaurantes e lancherias?

A praça Dom Sebastião, na frente da Beneficência Portuguesa. Reparem no canteiro de flores, nas árvores cuidadosamente podadas.

Abaixo, a mesma praça.

A Praça da matriz, no tempo que se podia ver os prédios históricos ao redor.

Ao lado da Praça da Matriz havia o auditório Araújo Viana, com seus corredores de pérgolas e jardins franceses!

Nunca deveria ter sido permitido construir prédios altos (e feios) perto das jóias do centro, como o Mercado e a Prefeitura velha. Olhem que lindo ficam sem os paredões horrorosos ao redor! Se isso não é tão lindo como Lisboa, Praga ou Madri eu não sei o que é beleza então.

Ao lado do Mercado Público, complementando sua beleza, jardins. Imagina!

Aqui um desajeitado exercício de imaginação: o Centro Histórico hoje.



Categorias:Outros assuntos

50 respostas

  1. Olha, me deixa desconfortável essa comparação de Porto Alegre , uma cidade de 240 anos que ainda procura sua maturidade e estabilidade em termos de urbanismo e arquitetura com cidades européias que existem há mais de mil anos. Eu não vou negar, acho sensacional o legado que nos deixaram, da arquitetura eclética dos anos 20 com toda a ornamentação e toda pompa inspirada por movimentos artísticos europeus. Sou um grande fã da turma do Theodor Wiederspahn. Mas não podemos esquecer que a cidade ainda busca por uma identidade própria. O movimento modernista Brasileiro, que “sepultou” muitas das nossas construções clássicas foi uma busca por identidade própria… De forma hilária, o movimento moderno europeu e mais especificamente Le Corbusier, foram novamente a inspiração para essa arquitetura nova. Olhem HOJE para a avenida Farrapos, olhem o nosso acervo art-déco atirado à própria sorte. Hoje eles simbolizam o atraso e a decadência. Daqui a pouco aparece uma goldsztein da vida, coloca tudo à baixo e no lugar coloca umas 16 ou 17 torres iguais, enfileiradas, e sem valor estético/arquitetônico algum. Aposto que teríamos gente batendo palmas. Foi o que aconteceu em grande parte com Porto Alegre. Não adianta chorar pelo que não temos mais Marcelo. Temos é que pelejar pra salvar o que AINDA TEMOS. E olha, o 4o distrito é um exemplo concreto.

    Curtir

  2. Blog bipolar! pensei que gostassem de arranha-céus…

    Curtir

    • Eduardo, meu caro, leia atentamente o post: “Abaixo, Porto Alegre, incrivelmente semelhante, e como poderia ser hoje, com sua parte velha preservada e a parte moderna (com seus arranha-céus) restrita à zonas mais afastadas, ou novas”.

      Curtir

  3. Porto Alegre tá uma porcaria, buraco em tudo quanto é lugar, só arrumam quando tem eleições(mal e porcamente). Na Carlos Gomes(hahaha) se alguem estiver procurando uma rua transversal, vai passar da rua, porque a placa fica na esquina, depois que passa a rua.Vai passar no discovery lendas, azulzinho e PM em Porto Alegre, é igual ao pé grande, alguem viu mas não pode provar.

    Curtir

  4. Eu já conhecia essas fotos da época da construção do viaduto. Havia me esquecido. Obrigado por postá-las. Ao que parece, havia belos casarões nas imediações, mas a Borges de hoje eleva Porto Alegre a sua condição de metrópole. O canyon é a imagem da metrópole. Eu considero a melhor imagem urbana de Porto Alegre. Concordo, basicamente, com o VOP sobre sua visão da cidade. Mas Buenos Aires, apesar de ser a queridinha da classe média brasileira, ou dos novos turistas brasileiros, não é simples cópia de Paris. É uma cidade pujante, com vida própria. Por incrível que pareça, a sua suposta arquitetura copiada, de ‘’belle époque’’, lhe confere uma identidade que não a confunde com a velha Paris. Vale a visita. E creio ser pouco possível que, se SP ou POA não tivessem passado por transformações a partir dos anos 40, seriam assim tão parecidas com Buenos Aires. Esta era uma cidade rica nos anos entre guerras ( principalmente entre meado dos anos 10 e final dos anos 20), que se expandiu muito e com qualidade (o metrô, por exemplo, é de 1913). Boa parte da região central de Buenos Aires, hoje bastante preservada, foi erguida nessa época de ouro dos portenhos. Não creio que a qualidade, a relevância arquitetônica de POA e SP fosse comparável, apesar de possivelmente significativa.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: